segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Como Romário dribla a verdade

Veja a lista de contradições que despertam a desconfiança do público

1) Romário dizia: “Fui à Suíça e o banco admitiu que nunca tive vínculo com eles”. O fato: BSI, parte interessada em mostrar que não permitiu vazamento de dados do cliente, apenas divulgou uma carta alegando que Romário “não é o titular dessa conta”.
2) Romário, portanto, alegava: “nunca tive vínculo” com o BSI. Na sexta-feira (27), disse ao Globo: “Quando jogava na Europa, tive conta no BSI, só não lembro o ano”.
3) Romário dizia – em vários posts – ter um parecer do Ministério Público suíço dizendo que ele não tem a conta referente ao extrato (ou “screen shot”) revelado em julho por VEJA, mas o MP da Suíça nunca emitiu qualquer documento sobre o assunto, como confirmou O Globo. A assessoria de Romário disse ao jornal na sexta que ele tem apenas um documento do BSI dizendo que não tem a conta.
4) Romário dizia – em vários posts – ter também um parecer do MP do Brasil sobre não ter a conta na Suíça, mas PGR afirmou apenas, em agosto, que não tinha nenhuma investigação aberta sobre eventual conta secreta.
5) Questionado pelo Globo “quando a conta”, que ele agora diz ter tido no BSI, “foi fechada”, Romário disse: “Não lembro. Mas, se tem conta no banco e não movimenta, acho que fecha automaticamente”.
A declaração é “automaticamente” risível, sobretudo considerando que Romário foi ao próprio BSI na Suíça após a reportagem de VEJA para verificar, segundo ele, se tinha a conta relativa ao extrato (ou “screen shot”) revelado pela revista.
Que o banco, supostamente consultado a respeito, não o tenha informado sobre a conta que Romário agora diz ter tido, e que o senador nem sequer se lembre quando ela foi fechada nem por qual motivo, é pura historinha que pode até enganar trouxa no Facebook, mas aqui não passará.
6) Depois que Delcídio do Amaral e seu advogado indicaram na gravação secreta de Bernardo Cerveró que Romário tem acordo com o prefeito Eduardo Paes para apoiar seu candidato à sucessão, Pedro Paulo, Romário afirma que não tem acordo com ninguém. Contudo:
a) A foto do encontro com Paes e Romário, citado por Delcídio, mostra o gesto típico de celebração de acordo, no dia 4 de novembro, mesmo após a revelação de que Pedro Paulo batia na ex-mulher.
Ferraço, Paes, Delcídio, Romário e Pedro Paulo: mãos sobrepostas têm significado, senador

b) Aécio, ciente de que o mar não está para peixe, cancelou encontro que teria com Romário para tratar de uma frente de candidatura à prefeitura do Rio em 2016.
Lauro Jardim informa: “O PSDB nunca teve dúvida de que havia um acordo entre ele e Eduardo Paes para apoiar o candidato do PMDB.”
A Época confirma: “ligação de Romário” com Paes, tratada na gravação, “desanimou Aécio. Além disso, Romário ainda terá de explicar imbróglio envolvendo a existência – ou não – de conta na Suíça – e isso poderá gerar desgastes a sua imagem”.
Já gerou. Até a TV Record fez reportagem sobre o caso: “Romário pode ter recebido ajuda de banco e Eduardo Paes para tirar conta do exterior”.
7) Romário dizia que “já está mais do que provado” que não tinha a conta e “já provei tudo que precisava provar”, mas agora diz que vai “provar de novo” – ou seja: como este blog afirma solitariamente desde agosto, Romário nunca provou.
8) VEJA publicou: “No mesmo dia em que deu a entrevista confirmando que teve conta no BSI, Romário enviou ofício ao procurador geral, Rodrigo Janot, pedindo que apure junto ao Ministério Público suíço os fatos relativos à ‘suposta conta’. Nem precisava. A Procuradoria Geral da República já anunciou que vai apurar não só a ‘suposta conta’, mas ‘todos os fatos’ relativos à história. VEJA, por seu lado, também continua empenhada na apuração profunda do episódio.”
Eu, colunista, pondero: se a PGR já havia decidido investigar o caso, como disse VEJA e mostrava a reportagem do Globo na mesma página da entrevista, Romário pode ter pedido a investigação só para posar de transparente.
A propósito, outra questão fica no ar:
O dono de um banco, se quisesse fingir que não permitiu vazamento de dados de cliente, teria meios de apagar todo e qualquer rastro da existência de uma conta? Ou os MPs de dois países, atuando em cooperação, conseguiriam rastreá-la?
9) Questionei no post anterior se Romário já teria mandado um emissário para falar na prisão com André Esteves, dono do BTG Pactual que comprou o BSI em 2014. Mas nem precisa. O advogado do banqueiro é o mesmo de Romário: Antonio Carlos de Almeida, o famigerado Kakay (foto).
Kakay deu entrada no STF com uma petição para libertar o banqueiro, cuja prisão temporária termina na noite deste domingo. Será que Romário agora está na torcida?
Alô? André?
10) Repito: as merecidas glórias de Romário no futebol não o eximem da vigilância que sociedade, imprensa e autoridades devem ter sobre poderosos senadores da República.
Todas as contradições listadas acima foram apontadas em primeira mão por este blog e, até agora, Romário não se explicou nem se retratou publicamente por nenhuma delas.
Como diria o próprio senador: “uma nova resposta deve ser dada a todos os brasileiros”. Depois de tantos dribles à verdade, eles já estão mesmo desconfiados.
11, o número do craque) Se a PGR conseguir efetivar a denúncia a tempo de manter preso André Esteves, a eventual delação premiada do banqueiro poderia resultar numa das mais animadas pescarias da história.

O que Jair Bolsonaro fez pelo Brasil? ✰ 6 fatos sobre Bolsonaro

Veja o que Bolsonaro já fez na política em defesa do povo brasileiro. 6 fatos que provam que Jair Bolsonaro trabalha para fazer este país melhor. Entenda, neste vídeo, porque Bolsonaro é considerado um mito por milhões.

Moro Incorruptível, Lula desesperado, intima protegidos pra realizarem explícitas Manifestações de Apoio

O mau cheiro do fim de carreira. A Podridão do ser desmacarado. O apelar para os mais baixos e escandalosos exemplos de total falta de caráter. O Exército de Lula tentou de todas as maneiras corromper ou descobrir atos falhos em Moro, na ânsia de encontrar argumentos, para a velha e vigarista chantagem. Usou de artíficios legais, dentro dos Padrões de Legalidade do Lulismo, armas para a "Chantagenzinha Báscia de Sempre", afastá-lo ou atrapalhar suas investigações. Fez de Cardozo, "Ponteiro" a guiar a Manada Vermelha, estando hoje trabalhando nos Bastidores, pra tirar policiais da Equipe do Juíz e infiltrar Petistas na lava a Jato. Deu tudo errado. Moro é uma Ilha de competência, cercada de Lama por todos os lados.
Ao imaginarmos terem cessadas as demonstrações do Muito que Lula Pouco vale, eis que surge a Ordem: Afilhados e Protegidos, Gente que só lucrou com Lula, estão intimados a vir a Público e declarar apoio. Quanto mais "midiático", mais agradará ao provedor. Preparem-se para a overdose. Artistas, Empresários, Políticos, Entidades, Autroidades, magistrados, e, claro, Clubes, com Rabo cheio de dinheiro sujo, virão a público, obedecendo igual a cachorrinho, ordens do Mestre. Oportunidade única pra sabermos quem é quem.Veremos de tudo a engrossar o Coro, menos pobres e micro empresas.
O Desespero mutila raciocínio e poder de percepção. A cada atitude mal articulada, Lula despenca mais um pouco. O Brasil sabe. Se eleição fosse hoje, em condições normais de temperatura e pressão, sem bulinar as urninhas, o Chefe da Gangue perderia. O problema dele é que PT também sabe. Passa a ser problema a se descartar. Não para de perder credibilidade e Poder de Articulação. Vai cair e, quando acontecer, se preparem.
Veremos grandes Campeões, mostrando que deveriam estar na Segunda Divisão. No Campeonato da Transparência, nem para o Desafio do Galo servem. Atenção Entidades de Proteção aos Animais. Lágrimas em ambundância correrão. Hora de proteger os inúmeros Crocodilos. 
VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO. Coisas de um País que virou uma coisa. E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda.

UBER de PeTista...

Dilma não pode gastar um tostão: país para a partir de 30 de novembro.

Com a decisão inédita da presidente Dilma Rousseff de suspender o pagamento de todas as despesas, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, convocou para a tarde de domingo uma reunião com integrantes do governo para discutir como será elaborado o decreto de programação financeira com um corte de R$ 10,7 bilhões nos gastos e como será executado o contingenciamento.
Na segunda-feira, os secretários-executivos de todos os ministérios também se reunirão para analisar de que forma cada pasta irá lidar com as suspensões de pagamento. 
A suspensão de todas as despesas discricionárias anunciadas na sexta-feira pelo governo significa deixar de fazer, por exemplo, o pagamento de todos os serviços de água, luz, telefone, bolsas no Brasil e no exterior, fiscalização ambiental, do trabalho, da Receita e da Polícia Federal. A suspensão também atingirá gastos com passagens e diárias. 
Por isso, Dilma cancelou duas viagens programadas para o Vietnã e para o Japão na próxima semana. A presidente manteve, no entanto, ida a Paris, onde está neste momento, para a Conferência do Clima da ONU, porque a suspensão dos pagamentos ocorrerá a partir do dia 1 de dezembro e ela retornará ao país no dia 30 de novembro.
Ontem, o governo extinguiu o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), sete secretarias ligadas aos ministérios, e 346 cargos comissionados, apenas 11% do que foi anunciado pelo governo. No dia 2 de outubro, a presidente Dilma informou a extinção de 3 mil cargos e 30 secretarias ligadas aos ministérios. 
Os cortes, que saíram em três decretos no Diário Oficial da União, levarão a uma economia de R$ 16,1 milhões ao ano. As funções do GSI foram distribuídas entre a Casa Militar e o Ministério do Planejamento. O decreto traz também a criação da Secretaria de Governo e as extinções das secretarias de Relações Institucionais, Micro e Pequena Empresa e Secretaria-Geral, que tinha status de ministérios.

Alô Dilma??? kkkkkkkk | Perdeu Controle

A verdadeira terrorista brasileira, nossa PresidAnta Dilma ta fulminando com tudo, aterrorizando o pais todo com essa merda de politica e quem paga são os inocentes! 

Queima de arquivo: Fuga de Ceveró poderia ser usada apenas para matá-lo.

a) Ceveró sabe de muita coisa.
b) Os criminosos envolvidos sabem que ele sabe.
c) Os criminosos envolvidos não têm escrúpulos.
d) Se Ceveró e seu filho (família) não tivessem gravado a conversa que teve com o senador, e entregue a gravação para a polícia federal. Ambos poderiam ser vítimas de uma emboscada fatal.
e) Muitos outros delatores, se não falarem tudo que sabe à justiça, poderão ter o mesmo destino de Celso Daniel e outras vítimas desses criminosos.
f) Talvez algum barco poderia explodir, ou um avião ou um helicóptero poderiam cair, caso o Ceveró tivesse fugido. Pois acidentes acontecem! Seria mais um final feliz para os bandidos que acabaram com o Brasil, e mais um dos infindáveis mistérios que envolvem a política nacional.
g) Abram os olhos delatores e as bocas principalmente. Pois aqueles que lutam pelo poder sempre são os criminosos mais perfeitos!
Essas são apenas algumas suposições plausíveis. Anon, SSXXI.

Repassem até chegar em alguém do Estado Islâmico

Petralha Delcídio Amaral não tem data para sair da cadeia. Pelo menos até a conclusão de toda a Operação Lava Jato, diz criminalista

Delcídio Amaral na carceragem da Polícia Federal em Brasília, em foto do site Diário do Poder. 

Preso por tentar subornar o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró a não citá-lo em delação, além de propor fuga para a Espanha, o líder do governo Dilma, senador Delcídio Amaral (PT) não tem prazo para sair da cadeia, segundo informa a coluna do jornalista Cláudio Humberto complementado a notícia com as seguintes observações:
- Para Luis Henrique Cesar Prata, perito em Direito Penal, é caso clássico de prisão preventiva por obstrução da “instrução criminal” e o petista pode ficar preso até o fim das investigações da Lava Jato.
- A prisão de Delcídio pode ser renovada inúmeras vezes. Ocorre a Marcelo Odebrecht, preso há cinco meses, e José Dirceu, há três.
- Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, que está preso na Lava Jato, gravou a trama usando o próprio celular.
- Quem conhece o líder do governo não se surpreendeu: a gravação mostra um Delcídio malandro, fanfarrão, arrotando vantagens.

Senador PRESO, governo EXPOSTO: As Incríveis Aventuras de Delcídio Amaral

Enquanto os brasileiros sofrem com a crise, Dilma se hospeda num hotel de luxo em Paris

Em vez de ficar na Embaixada Brasileira, que já custa uma fortuna aos cofres públicos, 
a Presidente preferiu ficar no caríssimo Le Bristol, um dos hotéis mais suntuosos da capital francesa.

Dilma Rousseff parece estar de brincadeira com o povo do Brasil. Só isso explica. Afinal, em plena crise econômica, com empregos sendo cortados, impostos aumentando, poder de compra caindo, ela “se concede” um luxo desse tipo (detalhe: ela entrou pela porta dos fundos).
A visita à França é de fato indispensável, haja vista a realização da COP-21 (Conferência do Clima), mas como Chefe de Estado do Brasil ela poderia, por exemplo, ficar na Embaixada – que, vale lembrar, custa muito aos cofres públicos, mas afinal de contas ao menos já pagamos tal valor.
Mas, não. Nossa “rainha” escolhe o hotel Bristol de Paris, um dos mais chiques (e evidentemente caros) da França.
É vergonhoso, é desrespeitoso, é mesmo inadmissível. Enquanto o povo se sacrifica de todas as formas no Brasil em meio a uma das piores crises por que passamos (e toda ela por culpa EXCLUSIVA da Presidente e de seu partido), nossa sobreana se hospeda num dos hotéis mais caros e suntuosos do mundo – mesmo podendo ficar na embaixada.
Isso é escárnio puro. E há quem não entenda porque quase todos os brasileiros querem o impeachment – a despeito da inércia até meio sarcástica de parte da oposição oficial.
A seguir, algumas fotos do hotel Le Bristol:
Que crise?

Na sua cabeça & Na realidade

Pela primeira vez, corrupção é vista como o maior problema do país. Parabéns, petistas.

Realizada nos dias 25 e 26 em todo o país, 34% dos eleitores da Datafolha colocaram a corrupção como o principal problema do Brasil na atualidade. Logo em seguida, saúde aparece com 16%, desemprego com 10%, educação e violência com 8%, cada um, e economia com 5%. A pesquisa aconteceu em meio à Operação Lava Jato, que começou apurando a atuação de doleiros em 2014, cresceu com a descoberta de um esquema criminoso na Petrobras envolvendo funcionários da estatal, grandes empreiteiras e políticos, e depois estendeu-se para o setor elétrico. A pesquisa foi publicada em reportagem do jornal Folha de S. Paulo na edição deste domingo.
O Datafolha investiga a principal preocupação dos brasileiros desde 1996, ainda durante o primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso na Presidência. Durante o período tucano (até 2002), o tema líder no ranking de principais problemas foi o desemprego, com o recorde de 53% no fim de 1999. Em algumas rodadas, fome/miséria apareceu em segundo lugar na lista de preocupações, assunto citado por apenas 1% atualmente. Desemprego continuou em primeiro lugar no ranking até o fim do primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006.
Sob Lula e FHC, corrupção nunca foi apontado como o principal problema do país por mais de 9% do eleitorado. O tema começou a ganhar força em junho de 2013, primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, mês de enormes protestos de rua pelo país com pautas variadas, da tarifa do transporte à violência policial. Naquele momento, a corrupção foi citada como maior problema por 11%, recorde na série histórica do Datafolha até então.

Quase...

Lava Jato avança em direção ao Planalto. Obrigado, Bernardo Cerveró!

Renan já mandou emissário falar com senador. Veja o resumão

1) VEJA: “Mulher de Delcídio quer que ele faça delação”. “Maika tem dito que Delcídio não pode pagar sozinho por erros cometidos pelo PT e pelo Planalto”. Boa, Maika.
Esperamos que esse discurso não seja apenas recado para que o governo dê um jeito de soltá-lo.
2) A Polícia Federal apreendeu uma cópia da delação de Fernando Baiano no gabinete de Delcídio. O chefe do gabinete, Diogo Ferreira Rodrigues, disse achar, segundo seu advogado, “que alguém da imprensa entregou essa cópia”.
Bravamente, resistirei a fazer uma lista de suspeitos.
3) Antes de ser preso, Delcídio estava grampeado com autorização da Justiça.
Ricardo Noblat, do Globo, diz que a PF “tem outras conversas dele gravadas – inclusive com um ministro do STF”.
A Folha acrescenta que Delcídio “teve audiência com Dias Toffoli, na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, na semana seguinte à conversa gravada em que disse já ter falado com o ministro sobre a situação de Nestor Cerveró.
‘Divulguei na minha agenda. Ele acompanhou um advogado na entrega de um memorial contra a cassação de três vereadores de Campo Grande. Não falou de Lava Jato’, diz o ministro.”
É dever de repórteres identificar o tal advogado e verificar se confirma a versão de Toffoli. É dever de colunistas desconfiar de um ministro historicamente ligado ao PT.
Lula, que indicou Toffoli para diferentes cargos, camufla seu lobby internacional com palestras. Toffoli não poderia camuflar papos indevidos com Delcídio com entregas de memoriais?
4) Lauro Jardim: “Renan Calheiros enviou um emissário — um advogado — para conversar com Delcídio Amaral na PF. Delcídio não o recebeu.”
Josias de Souza, do UOL: “Em privado, Delcídio recordou a pelo menos uma pessoa que o visitou na cadeia que foi Renan Calheiros, presidente do Senado, quem apadrinhou, em 2003, a nomeação de Cerveró, hoje um temido delator da Lava Jato, para o posto de diretor da área Internacional da Petrobras.”
Renan fez apologia à libertação de Delcídio no Senado, mas perdeu. Deve estar cada vez mais preocupado com o que o comparsa pode contar a seu respeito. Será que Romário já mandou um emissário para conversar com André Esteves também?
5) O Globo informa que a PGR quer denunciar Delcídio Amaral, André Esteves e Edson Ribeiro até este domingo, antes que vença o prazo de prisão temporária do banqueiro, à noite.
Segundo Geraldo Samor, de VEJA Mercados, “dentro do banco, muitos sócios já torcem discretamente para que Esteves permaneça preso. ‘O estrago da prisão já foi feito. Se ele for solto, tem a chance de querer retomar, ‘matar no peito’ e isso pode criar mais problemas para o banco, mas se ele ficar preso mais cinco dias, o fim dele já estará sacramentado’, diz uma fonte do banco.”
Fora do BTG Pactual, no entanto, o que não falta é gente poderosa torcendo pela soltura, com o rabo-preso na mão.
6) O Estadão noticia que as prisões de Delcídio e Esteves precipitaram o avanço da Lava Jato em sua investida sobre o Palácio do Planalto como origem do esquema sistematizado de corrupção iniciado no governo Lula, em 2003.
Entre os negócios investigados pelas autoridades, segundo o jornal, está a parceria da Petrobrás com o banco BTG Pactual na África, firmada em 2013, na primeira gestão de Dilma Rousseff.
“De imediato, um ex-ministro do governo Dilma Rousseff afirmou ao Estado que, se encontrada irregularidade nessa transação, ela ‘destrói’ a narrativa do governo de que as ilicitudes na Petrobrás se limitavam aos mandatos de Lula.”
Ou seja: a Lava Jato também pode destruir Dilma Rousseff.
7) Estadão: “Bumlai – o amigo de Lula –, Delcídio e Esteves atrás das grades, faz a Lava Jato considerar inevitável que novos nomes do Planalto surjam nas investigações, ainda este ano.
Além de consolidar o rol de provas para mostrar que o esquema desbaratado na Petrobrás foi reproduzido em outras estatais do governo, em diferentes áreas, como energia, comunicações e infraestrutura, dentro da mesma sistemática.”
Radar de VEJA: “O Ministério Público Federal espera que a homologação da delação premiada de Nestor Cerveró ‘destrave’ as tratativas com Renato Duque e Jorge Zelada, que também hesitavam em contar tudo o que sabem.”
Amém, Lava Jato. Avante, MPF. Obrigado, Bernardo Cerveró.

Hot Rods Brasil 2015 - Kultura Kustom - São Paulo SP

É tanta burrice, que dá até pena.

Há momentos que dá até pena dessa quadrilha por conta de tantas burradas, e esta mais recente, a do filho de Lula — não o Lulinha, que anda até sumido, mas do Lulazinho — é talvez a mais patética: o sujeito, para tentar enganar a PF, usou material colhido na Internet (Wikipedia), material este que nada tem a ver com o suposto trabalho que o Lulazinho teria prestado a uma empresa por R$2 milhões e 400 mil.
Mas por que essa empresa pagou essa fortuna ao filho do Lula? Simplesmente porque — segundo apontam fortes indícios — foi o preço cobrado (possivelmente pelo próprio Lulazinho) para que o seu pai presidente do Brasil assinasse aquela medida provisória que isentava as montadoras de veículos do pagamento de tributos. Vez que pai sempre atende aos pedidos dos filhos, ficou tudo acertado, desde que a empresa pagasse aquela quantia ao Lulazinho. É aquilo que, segundo a imprensa, configurou-se no chamado “Compra de Medida Provisória”.
Vez que a PF não dorme de touca, deu em cima do Lulazinho para o mesmo explicar como é que sua empresa, sem funcionário algum além dele, consegue ser escolhido para fazer um trabalho de sei lá o quê, sem que a sua empresa tenha experiência alguma na tarefa. Foi aí que o Lulazinho se estrepou: em vez de alegar o seu direito de manter em sigilo as suas técnicas e recursos profissionais, o abestado se socorre na Internet e justamente numa praça bem conhecida: o Wikipédia, espécie de enciclopédia virtual muito visitada.

Filho de Lula usou Wikipedia para tentar enganar a polícia

Relatório da PF diz que textos entregues por Luís Cláudio Lula da Silva para justificar o recebimento de 2,4 milhões de reais de um escritório de lobby foram tirados da internet e estão em "total falta de sintonia com os milionários valores pagos"

28/11/2015 às 10:14 - Atualizado em 28/11/2015 às 10:16
lulazinho.jpg Os textos que Luís Cláudio Lula da Silva entregou à polícia para justificar o recebimento de 2,4 milhões de reais de uma empresa de consultoria não passam de "meras reproduções de conteúdo disponível" na internet, "em especial, no site do Wikipedia", informa relatório da Polícia Federal.
No depoimento que prestou à PF no início do mês, o filho caçula do ex-presidente Lula afirmou ao delegado Marlon Cajado, responsável pela Operação Zelotes, que o dinheiro que recebeu entre 2014 e 2015 do escritório de lobby Marcondes & Mautoni eram referentes a pagamento por "trabalhos prestados" por sua empresa, a LFT Mar­keting Esportivo. A Marcondes & Mautoni é suspeita de ter negociado com autoridades do governo a renovação de uma medida provisória que, decretada em 2014, prorrogou benefícios para empresas do setor - o grosso da clientela do escritório. Seu principal sócio, Mauro Marcondes Machado, está preso desde o mês passado.
Solicitado a detalhar o teor de tão bem remunerado trabalho, Luís Cláudio afirmou à polícia ter entregue à Marcondes & Mautoni projetos de "pesquisa, avaliações setoriais e elaboração propriamente dita", com "foco relacionado à Copa do Mundo e à Olimpíada" do Rio. Cópias do suposto trabalho foram deixadas com os investigadores. Ao analisá-las, porém, a PF concluiu que , além de terem sido baseadas na Wikipedia, "pareciam ser de rasa profundidade e complexidade, em total falta de sintonia com os milionários valores pagos", conforme diz o relatório.
Luís Cláudio formou-se em Educação Física pela FMU, em São Paulo, mas sua defesa alegou à PF que sua expertise na área de consultoria tem "lastro na prestação de serviço, por cinco anos ininterruptos, em quatro dos mais destacados clubes de futebol": Luís Cláudio de fato passou pelos clubes São Paulo, Palmeiras, Santos e Corinthians., sempre levado por amigos do pai, mas em nenhum deles desempenhou atividade que pudesse ter utilidade nos projetos que diz ter desenvolvido para o escritório hoje sob investigação da PF.O caçula de Lula entrou no São Paulo como estagiário no departamento amador do clube, e dali em diante, nos demais times onde esteve, nunca passou de auxiliar de preparador físico.

30 de Novembro - Dia Nacional do Vigilante Sanitário

domingo, 29 de novembro de 2015

Leia, aqui, o depoimento completo de Delcídio do Amaral na Polícia Federal

Confira, abaixo, a íntegra do depoimento do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), prestado na última quinta-feira:
Ao(s) 26 dia (s) do mês de novembro de 2015, nesta Superintendência Regional no Distrito Federal, em Brasília (DF), onde presente se encontrava Thiago Machado Delabary, Delegado de Polícia Federal, 1ª classe, Matrícula (DPF) nº 13.538, lotado(s) e em exercício na GINQ/DICOR, compareceu Delcídio do Amaral Gomez, sexo masculino, nacionalidade brasileira, casado, filho de MIGUEL GOMEZ e ROSELY DO AMARAL GOMEZ, nascido aos 08/02/1985, natural de Corumbá (MS), instrução terceiro grau completo, profissão Senador da República, documento de identidade nº 46900135/SSP/SP, CPF 011.279.828-42, residente no SHTN, FLAT ALV BLEU TREE TOWER, 2090, bairro ASA NORTE, Brasília/DF. Cientificado acerca dos seus direitos constitucionais, inclusive o de permanecer calado, inquirido(s) a respeito dos fatos pela Autoridade Policial, RESPONDEU: que no ano de 1999 o declarante foi nomeado Diretor de Gás e Energia da Petrobrás, permanecendo no cargo até o final de 2001; que assumiu tal cargo atendendo a convite do então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, o qual lhe foi transmitido por Rodolpho Tourinho, que à época estava à frente do Ministério de Minas e Energia e era Presidente do Conselho de Administração da Petrobrás; que atribui esse convite a experiência profissional como engenheiro elétrico, eis que havia trabalhado em diversas empresas da área de energia e, além disso, havia sido Ministro de Minas e Energia no Governo Itamar Franco: que, ao deixar a Diretoria de Gás e Energia, o declarante assumiu a Secretaria Estadual de Infraestrutura no Mato Grosso do Sul, permanecendo no cargo por curto período, uma vez que se desincompatibilizou para fins de candidatura ao Senado pelo Partido dos Trabalhadores; que, em 2002, foi eleito Senador da República pelo Estado do Mato Grosso do Sul e reeleito em 2010; que, atualmente, portanto, encontra-se no cumprimento do segundo mandato; que conhece Nestor Cerveró desde a época em que trabalhou na Petrobrás, esclarecendo que a área em que ele atuava dentro da empresa (Gerência Executiva de Energia) ficava subordinada à Diretoria de Gás e Energia; que, quando o declarante deixou a Petrobrás, Nestor Cerveró permaneceu lá, na mesma Gerência; que, salvo engano, em 2003 ou 2004, Nestor Cerveró assumiu a Diretoria Internacional; que o declarante foi consultado pela então Ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, acerca da possível nomeação de Nestor Cerveró como Diretor Internacional, tendo se manifestado favoravelmente, em face da experiência que tiveram conjuntamente no âmbito da Diretoria de Gás e Energia; que acrescenta que a então Ministra Dilma Rousseff já conhecia Nestor Cerveró desde a época em que ela atuou como Secretária de Energia no Governo Olívio Dutra no Rio Grande do Sul; que, como a área de exploração de gás era bastante desenvolvida naquele Estado, havia contatos permanentes entre a Diretoria de Gás e Energia da Petrobrás e a Secretaria comandada pela Dilma Rousseff; que tomou conhecimento dos fatos que levaram Nestor Cerveró à prisão, especialmente os relacionados à compra da refinaria de Pasadena pela Petrobrás, salvo engano entre os anos de 2005 e 2006; que o declarante não teve qualquer participação na negociação que redundou na compra da refinaria de Pasadena pela Petrobrás, acrescentando que na época era Presidente da CPI dos Correios e, em razão de sua atuação rigorosa na investigação, passou a enfrentar restrições no âmbito do Governo Federal e, especialmente, no Partido dos Trabalhadores; que nunca teve qualquer participação na aquisição de sondas pela PETROBRÁS; que as decisões que determinavam as compras de refinarias e sondas, por exemplo, eram bastante complexas e baseadas em análises técnicas, o que evidentemente não elimina eventual desvio de finalidade; que, perguntado se tinha ou tem algum interesse na soltura de Nestor Cerveró, afirmou que sim, substancialmente por motivos pessoais em razão de ter trabalhado com ele na Petrobrás, por conhecer a família e presumir o sofrimento a que vinha sendo submetido, ou seja, por questões humanitárias; que, perguntado se tomou conhecimento de negociação mantida entre Nestor Cerveró e membros do Ministério Público Federal, voltada à celebração de acordo de colaboração, afirmou que sim, apenas pela imprensa; que acompanhou o desenrolar da negociação encetada por Nestor Cerveró, pela imprensa, com o mesmo interesse dispensado às demais; que acrescenta que teve uma experiência negativa decorrente de acordo de colaboração firmado por Paulo Roberto Costa, ex-Diretor de Abastecimento da Petrobrás que, segundo o declarante, lhe custou as eleições ao Governo de Mato Grosso do Sul; que, ao que lembra, Paulo Roberto Costa afirmou que teria ouvido rumores de que o declarante poderia estar relacionado a irregularidades no Programa de Geração de Energia da Petrobrás; que tal notícia foi encaminhada à Procuradoria-Geral da República e restou arquivada; que perguntado se um acordo de colaboração firmado por Nestor Cerveró lhe representava um temor, afirmou que não, reiterando que apenas mantinha acompanhamento pelas informações divulgadas na imprensa; que procedeu da mesma forma no tocante à colaboração de Paulo Roberto Costa; que, questionado se nos últimos três meses manteve contato com algum advogado que representava interesses de Nestor Cerveró, respondeu que sim, com Edson Ribeiro, com quem se encontrou em uma ou duas ocasiões a fim de tratar de créditos que ele afirmava dispor junto à Petrobrás; que ao menos um desses encontros deu-se no hotel Royal Tulip, em Brasília, no início do mês de novembro de 2015, salvo engano; que esclarece que os advogados que defendem interesses de Diretores da Petrobras são remunerados pela estatal, sendo que Edson Ribeiro havia defendido Nestor Cerveró em alguns processos e estava com com dificuldades de receber os correspondentes honorários; que o declarante foi procurado para que intercedesse junto à Petrobras nessa questão de pagamento de honorários; que nas reuniões mantidas com Edson Ribeiro houve a participação de Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, com o propósito de expor ao declarante as dificuldades que seu pai vinha enfrentando; que, precisamente, Bernardo pretendia que o declarante, valendo-se de sua posição, buscasse conversar com os Ministros do Supremo Tribunal Federal a respeito de Habeas Corpus que estavam tramitando na Suprema Corte; que, apesar de ter afirmado a Bernardo que já havia estabelecido contato com alguns Ministros do STF , o declarante afirma isso não ocorreu e que se constituiu na verdade, em “palavras de conforto”; que o declarante esteve há cerca de um mês com o Ministro Dias Toffoli, a fim de tratar de assuntos institucionais relacionados ao TSE, os quais não guardam qualquer relação com Nestor Cerveró; que não falou nem esteve com o Ministro Teori Zavascki, nem com qualquer outro Ministro do STF; que não solicitou ao Ministro Dias Toffoli, nem ao Senador Renan Calheiros, tampouco ao Vice-Presidente da República Michel Temer que estabelecessem contato com o Ministro do STF Gilmar Mendes para tratar de assuntos relacionados à Nestor Cerveró; que não nega ter afirmado a Bernardo que providenciaria essa interlocução, mas, de fato, tratou-se de “palavras de conforto”, como já dito; que o declarante jamais procurou por qualquer Ministro do STF, conforme lhe fora solicitado por Bernardo Cervero, uma vez que tal iniciativa seria infrutífera; que o advogado Edson Ribeiro, que   estava presente na reunião, acreditava que o declarante poderia obter algum benefício no âmbito do STF relacionado ao Habeas Corpus que havia impetrado em favor de Nestor Cerveró; que perguntado sobre a pessoa de Tarcisio, referido em diálogo transcrito nos autos da Ação Cautelar 4.039, afirma que se rata de um servidor do Senado que está cedido ao STF e trabalha no Gabinete do Ministro Edson Fachin; que contrariando o que afirmara no diálogo, o declarante não manteve contatos com Tarcisio, tampouco com o Ministro Fachin; que questionado a respeito do contexto de informações constantes no diálogo transcrito nos autos da Ação Cautelar 4.039, que se inicia aos vinte minutos e quarenta e oito segundos, em que faz menções a “José Eduardo” e “STJ” diz respeito à conversa que havia mantido com o Ministro da Justiça na qual houve comentário por parte dele no sentido de que possivelmente haveria decisão favorável a Marcelo Odebrecht, em Habeas Corpus que tramitava no STJ; que perguntado se a entonação com que deu essa notícias relacionada ao STJ a Bernardo e a Edson Ribeiro era positiva, o declarante afirma que sim, que a considerava uma boa notícia, no sentido de incentivá-los; que, perguntado a respeito de menções que fizeram no mesmo diálogo acerca de Renato Duque, ex-Diretor de Serviços da Petrobras, afirma que não se recorda do contexto; que a respeito de um trecho do citado diálogo em que o declarante referiu preocupação de “Michel” com “Zelada”, esclarece que se referiu ao Vice-Presidente da República, Michel Temer, que, “segundo informações que se tinha na época, mantinha relação próxima com Jorge Zelada”; que, perguntado em que consiste essa proximidade, o declarante assevera que prefere não responder a tal indagação; que, perguntado se conhece Fernando Falcão Soares, vulgo Fernando Baiano, afirma que foi apresentado a ele, à época em que era Diretor na Petrobras, pelo empresário espanhol Gregorio Marin, representante de empresa da qual não lembra o nome; que, após isso, encontrou Fernando Baiano apenas em uma única oportunidade, de forma ocasional, na ante-sala do empresário Eike Batista, a quem havia ido visitar; que tomou conhecimento das declarações de Fernando Baiano que implicam o declarante, o que ocorreu, inicialmente, a partir de matérias veiculadas na imprensa e, passado algum tempo, por trechos dessas declarações que foram levadas à liderança do Governo no Senado, possivelmente através de algum servidor do Gabinete que as obteve com algum jornalista; que perguntado sobre o que versavam tais declarações, afirma que tinham como tema a aquisição de sondas pela Petrobras ou a compra da refinaria de Pasadena; que conhece o empresário André Esteves, CEO do Banco BTG Pactual, afirmando que já esteve com ele em algumas ocasiões em razão do declarante ser Presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado; que perguntado se nos diálogos transcritos nos autos ad Ação Cautelar 4.039 houve menções ao empresário André Esteves e em qual contexto, assegura que não se recorda; que não se vê em condições de confirmar se o “André” mencionado no diálogo que se inicia aos cinte e cinco minutos e cinquenta e cinco segundos, em que o declarante faz alusão à “operação dos postos” (vinte e sete minutos e quatorze segundos), afirma que não se recorda; que não se recorda se André Esteves já teve investimentos no setor de postos de combustíveis, sabendo apenas que ele já teve negócios relacionados à exploração de petróleo, na África; que, ao lhe ser lido o trecho do diálogo que vai de vinte e sete minutos e quatorze segundos a vinte e oito minutos e vinte e quatro segundos, em que há alusões a “André” e “banqueiro”, o declarante confirma que o assunto se relacionava ao empresário André Esteves; que , quanto às demais indagações que lhe seriam feitas a respeito desse trecho do diálogo, o declarante antecipa que permanecerá em silêncio, afirmando que buscará esclarecimentos a serem prestados futuramente; que, perguntado se a conversa narrada no diálogo, supostamente havida com André Esteves, realmente ocorreu, afirma que sim, e que não responderá a qualquer outra que lhe for feita, reservando-se, a partir de então, no direito ao silêncio; que, por fim, o declarante afirma que gostaria de ter outra oportunidade de prestar esclarecimentos após a detida leitura dos autos da Ação Cautelar nº 4.039, eis que não houve tempo hábil para tanto. Nada mais disse e nem lhe foi perguntado. Foi então advertido da obrigatoriedade de comunicação de eventuais mudanças de endereço face das prescrições do Art. 224 do CPP. Encerrado o presente que, lido e achado conforme, assinam com a Autoridade Policial, com o(a) Declarante, com seus advogados Mauricio Silva Leite, OAB/SP 164483, com escritório na Rua Doutor Renato Paes de Barros, 1017, 5º andar, Itaim Bibi, São Paulo/SP 254644, com o(a) Representante do Ministério Público Federal Marcello Paranhos de Oliveira Miller e com o Representante do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Sergio Bruno Cabral Fernandes e, comigo, Cristiane Rodrigues dos Santos, Escrivã de Polícia Federal, Classe Especial, Matrícula/DPF nº 10.946, lotado(a) e em exercício no(a) Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado – DICOR/DPF, que o lavrei.

Bolsonaro Guerreiro Orgulho Brasileiro

Maika, mulher de Delcídio, desabafa e xinga Dilma Roussef: "A culpa de tudo é daquela FDP !"

Maika, a mulher de Delcídio Amaral, avisou publicamente que quer o marido em casa para passar o Natal com a família.
Ainda que isto seja feito ao preço da delação premiada.
A jornalista Vera Magalhães, na coluna Radar de Veja desta semana, chama o marido de filho da puta, embora com tom amoroso:
- Eu avisei aquele fdf. Ele devia ter saído do PT há tempo.
Em tom menos amoroso, ela também xingou Dilma Roussef:
- A culpa de tudo é aquela FDP.

Nem o carcereiro tem tanto amigo na cadeia

Os insuporto-alegrenses ✰ Artigo de Mateus Colombo Mendes

Bráulio Pelegrini Escobar, motorista do Uber espancado por taxistas, em 26/11/15.
"O Uber achou que Porto Alegre era terra de ninguém. Não é!", disse Fortunati.
Nisso o prefeito tem razão: Porto Alegre não é terra de ninguém; é terra de filhos da p...

Porto Alegre parece ser a menos gaúcha das cidades gaúchas. Parte dos habitantes desta paradoxal capital do Rio Grande sofre de um mal pouco recorrente no restante do estado: o mal da superficialidade sentimental, agravado por muita suscetibilidade. Analisando certas reações, a impressão é de que se trata de uma minoria de porto-alegrenses; mas uma minoria influente, em certa medida organizada, com acesso a rotativas e microfones, ao ponto de determinar os rumos da cidade. Falo dos insuporto-alegrenses.
Eles definem seus posicionamentos com base em impressões apressadas, apegadas às aparências. Por exemplo: não querem a revitalização (que chamam de “exploração”) da orla do Guaíba, na região do Cais Mauá. “O cais deve ser do povo! Fora privatização!”, bradam, apegando-se à fachada da questão. Ignoram que a orla como um todo só é utilizada pelo povo onde a tão mal-afamada iniciativa privada pôde intervir, na área do Gasômetro. Onde a orla é supostamente de todos, ela está abandonada, descuidada – e não pode ser aproveitada por ninguém.
Também, recusam o cercamento do Parque Farroupilha (Redenção) e seu fechamento à noite, porque, dizem, privará o acesso da população. Ora, tente passear pela Redenção após o anoitecer e a realidade lhe oprimirá mais do que qualquer cerca o faria. O parque já é naturalmente fechado à população à noite! Quem é obrigado a tangenciá-lo o faz às pressas, com muito medo. Cercas assustam, revelam nossa falta de segurança, nossa exposição à bandidagem; mas o que importa é que impedirão a utilização do local como reduto de delinquentes. Ponto. Faltam análises objetivas e sobram reações epidérmicas.
Foi assim quando da expansão do Hospital de Clínicas. Os insuporto-alegrenses se opuseram ao aparentemente terrível fato de que árvores dariam lugar a construções. Novamente, ficaram na superfície do problema, desconsiderando o mérito de que aqueles 10% da vegetação do terreno seriam replantados em outra área e dariam lugar a edificações que triplicariam a emergência do hospital e melhorariam o atendimento à população.
E o Uber? Com inovação tecnológica e oferecimento de boas possibilidades de locomoção aos cidadãos, obviamente o serviço já é combatido pelo poder público e pela vanguarda do atraso que conforma boa porção de nossa imprensa e de nossa – digamos – intelectualidade. Que essa gente seja contra o Uber, não pode haver surpresa. Mas chama a atenção que até entre os insuporto-alegrenses de sempre há quem seja a favor do serviço e condene a proibição imposta pelo Município e as reações truculentas dos taxistas.
Pois saibam, caros insuporto-alegrenses, que vocês têm enorme culpa por essa situação. Vocês, que abraçam meia dúzia de árvores (que seriam replantadas) mas viram as costas a pessoas que sofrem em filas de hospitais, vocês que não querem que se mexa nos redutos da bandidagem, vocês que enaltecem a “coragem” dos covardes dos Black Blocs e achincalham as famílias que vão às ruas pedir o fim dos desmandos do PT, vocês que se apressam em condenar policiais por qualquer ação que vá além da submissão aos marginais, vocês devem limitar-se a calar suas bocas e a babar em suas gravatas.
Não me surpreendo com o posicionamento de vocês. Conhecidos também como “SOCIALISTAS DE IPHONE”, normalmente defendem todo tipo de atraso e retrocesso mas são a favor de avanços e benesses que lhes beneficiam. Vocês são a favor do desarmamento, mas não abrem mão de seguranças particulares em seus condomínios; amam Fidel Castro, mas não deixam de ter quantas refeições fartas por dia quiserem; idolatram Hugo Chávez, mas não deixam de usar papel higiênico (admiram Lula, mas não perderam a virgindade com cabritas...). Vocês vivem de criticar a classe média e o empresariado, fazendo de conta que não são esses “opressores” que sustentam vocês, seja comprando as porcarias de seus jornais, seja com os impostos que pagam os salários dos funcionários públicos e professores universitários (os três grupos que mais fornecem integrantes ao insuportoalegrismo).
Se Porto Alegre é esse gigantesco balde de caranguejos, em que um puxa outro para baixo, em que não se evolui um centímetro em questões fundamentais, em que ser progressista é colocar as tetas de fora na Redenção e fumar maconha na universidade, em que falar em desenvolvimento social a partir do desenvolvimento econômico é um crime, se Porto Alegre é esta pequena Havana (sem o consolo do Caribe, mas com o reservatório de Nescau do Guaíba), a culpa é de vocês. Por anos, vocês pavimentaram a estrada que levou os vereadores a proibir o Uber, os taxistas a perseguir quem presta o serviço e o prefeito Fortunatti (um petista tão petista que saiu do PT motivado por vaidade) a capitanear a horda de ludistas.
A verdade é que, do Guaíba à Redenção, das cercas às árvores, os insuporto-alegrenses e sua superficialidade politicamente correta deixam nossa cidade cada vez menos gaúcha, mais insuportável e longe, muito longe, de ser alegre.

Lava Jato se aproximava da trama de Lula antes de ser fatiada pelo STF ✰ Coletiva da 19ª fase da Operação 'Nessun Dorma'

Dilma deixa o circo pegando fogo e passa o fim de semana em Paris

A presidente Dilma Rousseff chegou a Paris dois dias antes da 21º Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP-21, marcada para a próxima segunda-feira. Dilma e a comitiva de 17 pessoas deixaram o Brasil sem compromissos para o fim de semana previstos na agenda oficial. No final da tarde, a presidência informou que quatro reuniões bilaterais foram marcadas para o domingo, com a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, com os presidentes do Equador, Rafael Correa, e da Bolívia, Evo Morales, e com o representante da Comunidade do Caribe (Caricom).
Em meio à crise política, a presidente Dilma cancelou as visitas que faria na próxima semana ao Vietnã e ao Japão, mas manteve a viagem a Paris.

Alô, é do PT?

Aécio foge de encrenca e prefere manter distância de Romário

Estava marcado para segunda-feira, no Rio de Janeiro, um encontro do senador Aécio Neves (PSDB-MG) com o senador Romário e outros políticos. O objetivo de Aécio era construir mais uma candidatura de oposição ao PMDB, além de Marcelo Crivella (PRB), Marcelo Freixo (PSOL) e Alessandro Molon (Rede), que até alguma eventual mudança de planos são pré-candidatos à Prefeitura do Rio. O plano de Aécio era convencer Romário a ser candidato com o apoio do PSDB, no caso, leia-se com o seu apoio pessoal, afinal os tucanos no Rio de Janeiro são quase inexistentes, dois vereadores na cidade, dois deputados estaduais e um federal. Isso valeu até quinta-feira, até a gravação de Delcídio Amaral ter complicado a vida de Romário. 
Conversei há pouco por telefone com um deputado tucano, que não é do Rio de Janeiro, perguntei-lhe se Aécio desistiu de Romário por causa da história da conta na Suíça, que ele dizia não ter, depois se lembrou, mas esqueceu se foi cancelada. A resposta foi de bate-pronto: "Por enquanto Aécio vai manter distância de Romário, pelo menos até que seja comprovado que não há nada irregular. Já bastou a furada do apoio a Eduardo Cunha que causou desgaste ao partido (PSDB) e ao próprio Aécio. Não vale a pena arriscar agora se meter em outra encrenca. Se ficar provado que está tudo certo com Romário no próximo ano pode haver essa conversa". Tem lógica. Aliás, quem acompanha a política não vai acreditar que foi coincidência ou problema de agenda de Aécio o cancelamento do encontro com Romário. Está na cara que Aécio quer se preservar. 

Truque da percepção de espaço

Celso Russomanno, líder nas pesquisas em São Paulo, é condenado a 2 anos de prisão

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, o deputado federal e apresentador de TV Celso Russomanno (PRB-SP) foi condenado pela Justiça a dois anos e dois meses de prisão.
A punição pode ser convertida em penas alternativas. O motivo da condenação foi o fato de o pré-candidato a Prefeitura de São Paulo ter nomeado Sandra de Jesus, gerente de sua produtora de vídeo, como funcionária de seu gabinete, entre 1997 e 2001.
Segundo a Justiça Federal, a mulher recebia salário como assessora pela Câmara dos Deputados, mas trabalhava de fato na empresa de Russomanno, a Night and Day Promoções.
O episódio é semelhante a um novo caso noticiado pela Folha nesta semana. Russomanno nomeou como funcionários de seu gabinete cinco pessoas que atuam em sua ONG em São Paulo, o Inadec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor). Naquela ocasião, o deputado foi condenado por peculato e recorreu. O caso, então, seguiu para o STF, devido ao foto privilegiado parlamentar.
Neste processo, Russomanno negou ilegalidade e declarou que Sandra atendia consumidores em seu gabinete político em São Paulo (que funcionava no mesmo endereço de sua produtora) e cuidava da emissão de passagens aéreas.
A reportagem da Folha, no entanto, explica que várias testemunhas e documentos comprovaram que Sandra de Jesus, após ser nomeada para o gabinete do deputado, seguiu como gerente da empresa. Ela assinava as carteiras de trabalho de funcionários da produtora, por exemplo.

Black friday no Brasil

Senador Álvaro Dias cobra explicações sobre resultado da Mega-Sena

No início, o banco divulgou em seu site que o prêmio tinha acumulado. 
Em seguida, porém, a Caixa atualizou as informações no site e disse que havia uma aposta ganhadora de Brasília

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) anunciou nesta quinta-feira (26) que vai cobrar explicações imediatas da Caixa Econômica Federal sobre o concurso 1764 da Mega-Sena, sorteado na quarta-feira (25) e que pagou um prêmio recorde de mais de R$ 200 milhões para uma aposta única do Distrito Federal.
No início, o banco divulgou na tela inicial das Loterias, no site do banco, que o prêmio tinha acumulado mais uma vez. A palavra "Acumulou" permaneceu no portal por alguns minutos. Em seguida, porém, a Caixa atualizou as informações do site, informando que havia uma aposta ganhadora de Brasília, gerando desconfiança em muitos internautas.
De acordo com a nota divulgada pelo tucano no Facebook, "o desencontro de informações (...) alimenta especulações de irregularidades, que devem ser passadas a limpo urgentemente".
O senador ainda lembrou que já fez outras denúncias envolvendo manipulação de resultados, fraudes e lavagem de dinheiro com as Loterias da Caixa. "Fazem parte de uma investigação que compõe o inquérito policial nº 1-352, que tramita na Segunda Vara Especializada da Justiça Federal", contou.
A Caixa Econômica Federal, responsável pelo sorteio, informou que houve um atraso na atualização dos dados da tela inicial das Loterias no site, o que manteve a palavra "Acumulou", referente ao concurso anterior. 
Confira a nota da Caixa
"Em relação ao concurso nº 1764 da Mega-sena, cujo sorteio foi realizado ontem (25), a CAIXA esclarece que, exclusivamente na tela inicial das Loterias no site, que é um resumo, houve atraso na atualização dos dados, o que manteve a palavra “acumulou” referente ao sorteio anterior. No entanto, desde o primeiro momento, as informações sobre o referido concurso foram atualizadas normalmente na página específica da modalidade Mega-Sena (http://loterias.caixa.gov.br/wps/portal/loterias/landing/megasena/) e no aplicativo da CAIXA para celular.

7º Encontro Nacional de Veículos Antigos e Clássicos - Cabo Frio RJ

Papai Noel rouba helicóptero em São Paulo.

Um homem vestido de Papai Noel roubou um helicóptero em São Paulo na tarde desta sexta-feira (27). A aeronave da empresa de táxi aéreo Vortex foi levada do Campo de Marte, na zona norte da cidade. O suspeito alegou que faria uma surpresa de Natal e, durante o voo, rendeu o piloto e os dois seguiram para um sítio em Mairinque, onde outro comparsa os esperava.
O piloto foi amarrado e deixado no local, enquanto os dois fugiram com a aeronave. De acordo com O Estado de São Paulo, a vítima conseguiu se soltar e pediu ajuda a uma moradora da região, que a levou para uma base da Polícia Militar em Itu. O helicóptero, modelo Robinson 44, prefixo PR-DSF, ainda não foi localizado.

29 de Novembro - Dia Nacional da Humanização

sábado, 28 de novembro de 2015

Prêmio da Mega Sena sai para Brasilia. Que vergonha CAIXA FEDERAL

Pode ser coincidência (daquelas que só acontecem no Brasil), mas eu duvido. O Governo Lula/Dilma, além de "roubar" o País via corrupção, politicagem e impostos extorsivos, sempre insaciável em sua ganância, busca outras Fontes. No Brasil "Jogos de Azar, Cassinos e Bingos" são proibidos, mas o Governo deita e rola com Tele Sena, Loto isso, Loto Aquilo e infindáveis "Jogos de Sorte". Legal, só se for para os Cofres do Lulismo, via Caixa Federal. Claro que afirmam ser o dinheiro para investimentos sociais. Aqueles que aprecem nas propagandas, mas a gente não encontra nas ruas.
Arrecadam fortunas. Valor destinado aos apostadores vem de porcentagem mínima (cacife agiota) e ainda tem os mecanismos para sortes não identificadas. Basta fazer um levantamento. Toda vez que acumula, o Super Prêmio sai para o Planalto Central. Até quando iremos conviver com esse absurdo? Alguém, com um mínimo de Poder de Percepção, acredita nessa Lenda Urbana? Realmente os Lulistas, nos últimos 14 anos, estão com muita sorte!!! Então tá então. OLHO NA CAIXA POLICIA FEDERAL.
Vamos meu Povo. Seja solidário. Rumo às Lotéricas. Não se omita de contribuir. Gesto filantrópico. Ajudem mais um "pobre brasiliense" a manter seu "humilde" padrão. A Vida de Brasilia é muito cara. Não é fácil manter carros importados e Mansões. Sem falar das festinhas... 
VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO. Coisas de um pais que virou uma coisa. E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda.

Ganhador da Mega Sena é de Brasília

Bernardo Cerveró ✰ Artigo de Fabio Figueiredo

Bernardo Cerveró, melhor que Bond, James Bond.

Jamais alguém poderia supor que o filho de Nestor Cerveró, um rapaz de 34 anos, ator de teatro, pudesse fazer desabar o castelo de cartas que é o PT.Talvez orientado pelo pai, resolveu dar um basta à canalhice dos petralhas, que desejavam calar-lhe a boca e deixá-lo à mercê da perseguição da Justiça, como ficou Pizzolatto. Com sagacidade, decidiu entregar uma gravação - feita com um smartphone escondido - à PGR, que escapou à vigilância do grupo mafioso ao exigir antes que ele deixasse fora da sala o seu celular e sua mochila. Com essa iniciativa astuta provocou um abalo sísmico na República dos petralhas, construída de corrupção em corrupção no lugar de tijolo sobre tijolo caso fosse um grupo partidário honesto e voltado para o desenvolvimento do país. De forma crescente foram se sentindo onipotentes, jamais imaginando que poderiam ser punidos como qualquer cidadão comum que transgridisse as leis ao fazer as coisas às avessas. Talvez, sem imaginar o alcance de sua decisão, Bernardo Cerveró preservou o país de mais um golpe levando o STF e a PGR a cumprirem seu papel à risca. Como disse Dora Kramer em seu artigo no Estadão (26/11): "É a democracia entrando em sua fase adulta". Hoje, quando a poeira abaixa e os detalhes vêm à tôna, é um dia a se comemorar. A defesa desse filho ao pai acabou por prestar um grande serviço à Nação! Obrigada, Bernardo Cerveró!

O Brasil tem futuro ✰ Depoimento de Gabriel Albanês

Foi gratificante ver a coragem de um jovem que, apesar de tudo que estamos vivenciando hoje, acredita que o País ainda pode ser uma grande nação.

Fala, Delcídio! Entrega, Bumlai! Acolhe, Cunha! ‘Questão humanitária’ é o impeachment!

Senador se descontrolou ao saber que Lula o chamou de imbecil

Delcídio do Amaral (PT-MS) se “descontrolou completamente” durante seu depoimento à Polícia Federal em Brasília, ao ser informado de que Lula havia dito que o senador fez uma “coisa de imbecil”.
O advogado do senador, Maurício Leite, teve até que interferir, o que resultou na suspensão do depoimento, de acordo com um relato passado à Globo News.
Que dó!
Deve ser duro ser considerado um amador pelo “chefe”, com quem Delcídio se reunia toda semana.
Se eles falavam nas reuniões sobre Nestor Cerveró – o primeiro a denunciar que a campanha de Lula recebeu propina do Grupo Schahin –, deve doer mais ainda.
O senador não chegou a ser questionado sobre o trecho da gravação telefônica em que sugere ao filho de Cerveró uma fuga do ex-diretor da Petrobras para a Espanha via Paraguai.
Antes da interrupção, no entanto, Delcídio confirmou que a voz da gravação é dele, mas negou que tenha tentado dissuadir Cerveró de fazer a delação premiada:
“Foram com intuito de dar uma palavra de esperança e de conforto para o familiar de um réu que está preso, mas jamais falei com qualquer ministro do STF sobre o assunto.”
Traduzindo: a voz na gravação é minha, mas eu não sei de nada sobre o que ela disse.
Delcídio, talvez na esperança de que o governo mexa os pauzinhos para soltá-lo, ainda deu uma amostra do seu potencial de estrago, quando:
1) empurrou Cerveró para Dilma, alegando que apenas assentiu quando a petista o consultou sobre a indicação do ex-diretor; e…
2) questionado por que, segundo ele, Michel Temer estaria preocupado com o também ex-diretor preso Jorge Zelada, respondeu que preferia “não responder a tal indagação”.
De resto, Delcídio, que havia sugerido até um avião Falcon 50 para a fuga de Cerveró, chegou ao cúmulo de alegar que queria a soltura por “questões humantárias, para confortar o familiar do réu preso da Lava Jato”.
Questão humanitária é o impeachment, Delcídio! 
Segundo a Folha, aliás, Renan Calheiros (PMDB-AL), “até aqui arrimo legislativo do Palácio do Planalto, começa a dar sinais de distanciamento” em relação ao governo. “A percepção geral é de que o melhor já passou e o pior ainda está por vir”.
O jornal acrescenta que “no radar do mundo político, a crise voltaria a dar o ar da graça a partir de fevereiro, mas a operação de quarta-feira antecipou esse calendário”.
O Correio Braziliense chegou a noticiar que Eduardo Cunha, na semana que vem, aproveitando também a prisão de Delcídio, vai deferir o pedido de impeachment contra Dilma.
Não há nada melhor que o PMDB e Cunha possam fazer do que surfar nessa onda.
Não há nada melhor que Delcídio e José Carlos Bumlai possam fazer do que uma delação premiada.
É hora de deixar Dilma, Lula e PT ainda mais descontrolados também.

Lula ensina como resolver a crise financeira

Delcidio já teria concordado em fazer delação premiada, mas PF e MPF querem que ele "atire para cima"

A jornalista Rachel Sheherazade acaba de postar no seu Facebook a nota aí ao lado. Segundo ela, o
senador Delcídio Amaral aguentou pouco mais de 24 horas e já decidiu aceitar um acordo de delação premiada.
Ele teria ficado estupefato com a nota do PT, os xingamentos de Lula e a falta de apoio no Senado, percebendo que foi lançado às feras.
Os policiais e procuradores federais avisaram que toparão o acordo, mas querem mais do que Cerveró.
Eles querem Lula e Dilma.

Mega Sena é Fraude... Você joga? Então assista este vídeo!

Diversas denúncias contra a manipulação e lavagem de dinheiro das loterias da Caixa.

@brasilianas

1. O acordo de delação premiada que Otávio Azevedo negocia com a PGR trata do pagamento de propina em obras da Copa de 2014, de Angra 3, Belo Monte e Petrobras. Mas só estará completo quando Azevedo entregar também o esquema da telefonia.
Aí cai o Lulinha…
 2. Isso é coisa de imbecil. Que loucura! Que idiota", 
Lula, sobre Delcídio Amaral, durante almoço na CUT.
Nessas coisas é preciso ser prático. 
Celso Daniel cantou, virou passarinho no céu.
 
Delcídio está machucado. Ferido de alma.
Quis saber dos federais a lista completa de quem 
votou pela manutenção de sua prisão e quem ficou com ele. 
Mas foi ao saber que Lula o destratou no almoço da CUT e, ainda por cima, 
ao lado de Rui Falcão, que o líder licenciado do Governo 
“descontrolou-se completamente”.
Junte-se aí a nota oportunista e nojenta do PT, com o aval de Lula, claro,
e temos mais um delator pronto para arrumar companhia na Papuda. 

3. Preso - e pode ser logo - se espera que Lula não ressuscite o Barba.
Até porque não vai ganhar nada com alcaguetagem. 
Tudo o que ele tem para entregar os procuradores já sabem.
E por fontes bem mais seguras.
  
Do que Lula tem mais medo?
1.   do tesourão de cortar grama da Mariza, em especial na sexta, quando passa o amolador;
2.   do álbum de fotos de viagens da Rosemary;
3.   do juiz Sérgio Moro;
4.   dos capangas do Bumlai;
5.   dos capangas do Ricardo Pessoa
Bobagem, o Supremo Líder das forças pra lá de progressista está acima dos humanos.
Nada teme. 
Medo é para humanos, que têm cu. E quem tem cu tem medo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...