domingo, 30 de outubro de 2016

Segundo turno das eleições municipais terá reforço de 13 mil militares das Forças Armadas

Ação tem finalidade de manter as condições necessárias para que a população possa votar com tranquilidade

Cerca de 13 mil militares da marinha, exército e aeronáutica vão reforçar a segurança e garantir o processo de votação e apuração do 2º turno das eleições municipais. A ação tem o objetivo de manter as condições necessárias para que a população possa exercer a cidadania e votar com tranquilidade no próximo domingo (30).
Das 55 cidades que terão pleito eleitoral no País, até o momento, 12 contarão com as Forças Armadas a pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além do efetivo de 13 mil, outros 3,6 mil militares irão compor um contingente reserva, que poderá ser acionado em caso de necessidade. 
Para o Nordeste, foi solicitada a presença das tropas nos estados do Maranhão e Ceará, onde o efetivo será de cerca de 4,2 mil militares do exército. Desse total, 600 serão alocados em São Luís e 3,6 mil em Fortaleza.
Já na Região Sudeste, o pedido do TSE para atuação das Forças Armadas foi para o estado do Rio de Janeiro. Lá, cerca de seis mil militares atuarão em seis municípios: Rio de Janeiro, Belford Roxo, Nova Iguaçu, São Gonçalo, Niterói e Duque de Caxias.
Na Região Sul, as Forças Armadas atuarão no Paraná, nas cidades de Curitiba, Ponta Grossa e Maringá, com aproximadamente 1,5 mil militares.
Na Região Norte, apenas a cidade de Manaus contará com o apoio de tropas federais. Cerca de mil militares deverão reforçar a segurança nos locais de votação e apuração.
Para cumprir com suas funções, serão utilizadas 777 viaturas, sendo 14 blindados, sete aeronaves da marinha, do exército e da aeronáutica, sendo quatro helicópteros.
Primeiro turno
Na área de atuação das Forças Armadas, as eleições ocorreram sem intercorrências relevantes. No primeiro turno, foram empregados cerca de 25,4 mil militares da marinha, do exército e da aeronáutica em 498 localidades de 16 estados brasileiros, tanto no apoio logístico quanto na segurança.
Coube ao Ministério da Defesa a coordenação do emprego das Forças Armadas nas eleições, bem como a interlocução com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Para atuação das Forças Armadas no pleito deste ano, o presidente Michel Temer assinou um decreto, publicado no dia 23 de agosto, em que autorizou o emprego dos militares para a garantia da ordem pública, a fim de assegurar a votação e apuração das eleições.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...