domingo, 31 de janeiro de 2016

Lula investigado! Veja as malandragens no tríplex e no sítio do ex-presidente

Elevador privativo pago por empreiteira do petrolão é símbolo de como petista sobe na vida
1) Os custos dos favores
A OAS gastou 777 mil reais na reforma do tríplex de Lula no Guarujá, de acordo com o engenheiro Armando Dagre.
A Odebrecht gastou 500 mil reais – só em materiais para obras – na reforma do sítio de Lula em Atibaia, de acordo com a fornecedora Patrícia Fabiana Melo Nunes.
Duas empreiteiras que tinham contratos com o governo e participaram do esquema de corrupção da Petrobras, portanto, gastaram pelo menos 1 milhão e 277 mil reais em supostos favores pessoais para agradar ao ex-presidente da República.
Lula e sua mulher, Marisa Letícia, serão interrogados pela primeira vez como investigados no dia 17 de fevereiro, no caso do tríplex. É cada vez mais provável que o caso do sítio tome o mesmo rumo.
Ambos são gravíssimos e podem enterrar de vez a carreira política de Lula, apesar das tentativas dos envolvidos de esconder seu nome como beneficiário das reformas.
2) A orientação de silêncio
Tudo foi feito na moita.
O zelador do condomínio Solaris disse que um funcionário da OAS lhe pediu para não dizer que o tríplex era de Lula, mas sim da empreiteira. José Afonso Pinheiro, no entanto, relatou ter visto Lula duas vezes no condomínio na época da reforma – uma delas com Marisa, que chegou a indagar “sobre o salão de festas, piscina, áreas comuns”.
Ele afirmou que os seguranças de Lula prendiam o elevador enquanto a família estava acomodada no tríplex, o que gerava reclamações dos demais moradores. A porteira Letícia Eduarda Rodrigues também relatou ter visto Lula no prédio: “entrou, subiu até o apartamento 164-A e foi embora”.
Nenhum petista até agora chamou o zelador e a porteira de ‘golpistas’, mas talvez ainda chamem o engenheiro Dagre, que cuidou das obras. Ele disse ao Jornal Nacional que “estava reunido com um representante da OAS quando Marisa adentrou o apartamento 164-A com Fábio, filho de Lula, um engenheiro da OAS e o dono da construtora, Léo Pinheiro”, depois condenado a 16 anos de prisão por envolvimento no petrolão.
Já os funcionários da obra no Sítio Santa Bárbara eram proibidos de falar com os operários contratados informalmente na região e orientados a não fazer perguntas. Os operários se revezavam em turnos de dia e de noite, incluindo os fins de semana, e eram pagos em dinheiro vivo.
O ditado popular diz que em boca fechada não entra mosquito, mas, como admitiu a própria Dilma Rousseff sobre o vírus da zika: “Estamos perdendo a luta contra o mosquito”. Pois é.
3) Os ‘laranjas’?
O tríplex de Lula está registrado em nome da OAS, mas a Polícia Federal o incluiu no rol dos imóveis com “alto grau de suspeita quanto à sua real titularidade” sob investigação na Operação Triplo X, 22ª fase da Lava Jato. O ‘X’ da Triplo X, claro, é Lula.
O sítio de Lula está no nome dos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar – ambos sócios de Fábio Luís da Silva, o Lulinha, filho do e­­x-presidente que ficou milionário após o pai chegar ao poder. Suassuna e Bittar compraram o sítio em agosto de 2010, quatro meses antes de Lula deixar o cargo, pelo valor de 1,5 milhão de reais.
4) Os ‘mimos’
O tríplex de 267 metros quadrados foi reformado com acabamentos de primeira linha, teve a piscina refeita, ganhou elevador privativo e arranjos florais pagos pela OAS, mas está abandonado desde que virou alvo de investigações do Ministério Público, como mostrou VEJA em imagens inéditas.
O elevador privativo de Lula, pago por uma empreiteira do petrolão, é o maior símbolo de como petista sobe na vida.
No sítio de Atibaia, as antigas moradias foram reduzidas aos pilares estruturais e completamente refeitas, um pavilhão foi erguido, a piscina foi ampliada e servida de uma área para a churrasqueira. Também há um lago artificial para pescaria, um dos esportes preferidos do ex-presidente, com dois tanques de peixes interligados por uma cascata.
Em 9 de setembro de 1992, a matéria da VEJA “As Floridas Cachoeiras da Corrupção” informava o povo sobre o suntuoso jardim de marajá que o então presidente Fernando Collor de Mello havia construído para si mesmo na famigerada Casa da Dinda, com suas “cascatas e fontes luminosas”, como escreveria anos depois Carlos Heitor Cony.
A cascata de Lula é o maior símbolo de como o petista lutou pelo impeachment de Collor para obter vantagens semelhantes em seu lugar.
5) Promotor desmonta defesa
No caso do tríplex, a defesa do ex-presidente “argumentou” que ele nunca foi dono do apartamento, mas somente proprietário de cotas de um projeto da Bancoop, a Cooperativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo que se tornou insolvente e transferiu imóveis inacabados para a OAS (graças a um pedido de Lula a Léo Pinheiro, como revelou VEJA).
Este “argumento” foi devidamente refutado pelo promotor de Justiça José Carlos Blat, do Ministério Público de SP:
“A Bancoop não é um consórcio. A Bancoop, ela oferecia unidades habitacionais. Todos, sem exceção, compraram apartamentos ou casas e, ao longo do tempo, pagaram as prestações devidas à Bancoop, que colocou um sobrepreço indevido, ilegal. Então, todas as pessoas que compraram da Bancoop compraram coisas concretas, ou seja, unidades habitacionais, apartamentos e casas. Não existem cotas da Bancoop”,disse Blat ao Jornal Nacional.
O que existe é o Bolsa-tríplex que a OAS deu a Lula.
6) A tripla malandragem petista
Como o único “argumento” de defesa caiu, Lula recorre a uma tripla malandragem contra a Operação Triplo X e demais fases da Lava Jato: processar jornalistas, “questionar a legitimidade do juiz Sergio Moro para conduzir o processo da Bancoop” e dizer-se a viva alma mais honesta do país.
Lula é mesmo uma alma Solaris.

Bolsonaro foi convocado agora ! "Intervenção Militar" "Impeachment" Politica

Denúncias contra Lula causam assombro e paralisam seus habituais defensores ✰ Artigo de Ricardo Noblat

O PT recebeu com um silêncio ensurdecedor as mais novas denúncia que envolve Lula com atos suspeitos registrados no âmbito da Lava-Jato ou em decorrência dela. Salvo Rui Falcão, presidente do partido, e o deputado Paulo Teixeira (SP), ninguém mais de peso do PT se apressou em defender seu líder máximo, ex-adversário dos 300 picaretas homiziados no Congresso.
Foi Lula, quando deputado federal nos anos 80 do século passado, que apontou o Congresso como reduto de 300 políticos corruptos. Ou que usavam a política com o intuito primordial de enriquecer. Nas últimas 72 horas, o ex-presidente viu a Lava-Jato bater à porta do condomínio Solares, no Guarujá, interessada na história do tríplex 164-A, reformado de graça pela construtora OAS para abrigar a família de Lula.
Mal refeito da surpresa, Lula leu na Folha de S. Paulo que a construtora Odebrecht pagou todas as despesas com a reforma do sítio em Atibaia que costuma hospedá-lo quase todo o fim de semana. O sítio pertence a dois sócios de Fabinho, o filho mais velho de Lula. Fabinho é sócio deles em uma bem-sucedida empresa de jogos eletrônicos. OAS e Odebrecht estão metidas na roubalheira na Petrobras.
Deixou de ser novidade a intimação de Lula para depor à Polícia Federal. Ele já o fez quase meia dúzia de vezes. Nunca antes em sua vida, porém, Lula fora convocado para depor na condição de investigado. Pois de “informante”, ele passou a investigado no caso do tríplex. O que Lula antecipou a respeito é pouco ou nada convincente. Disse que Marisa, sua mulher, comprou uma cota de um apartamento no valor de R$ 47 mil.
E que, anos depois, desistiu do negócio e recebeu o dinheiro de volta. Só que entre a compra e a devolução do dinheiro, a OAS gastou na reforma do apartamento quase R$ 800 mil. Há inúmeras testemunhas de visitas de Lula e de dona Marisa ao apartamento em reforma, e também depois que ele ficou pronto. A OAS teria amargado o prejuízo com a reforma e devolvido ainda os R$ 47 mil? Não faz sentido. Até hoje, Lula jamais apresentou documentos que comprovassem o que diz. Se o tivesse feito, e a ser verdade o que conta, o assunto já estaria morto. Não salpicaria de lama sua biografia.

Alguém duvida dessa informação???

Carnaval fúnebre de Lula. Lava jato e Zé Dirceu chegam com tudo na Avenida

Lula...Triplex em estado de sítio. Carnaval pode ser sem máscara.

Lava jato, além de trazer evidências de clara participação de Lula, na reforma do Triplex que não é dele, vem com outra bomba do mato.
Lula teria sítio luxuoso, também com ligações com OAS.
Segundo fontes, Morcegos bem informados, Engenheiro responsável por obras no local, comprava material de Construção, compras vultuosas em dinheiro, segundo comerciantes locais.
O mais incrível é que Engenheiro, também ligado à OAS, afirma prestar serviço de reformas, para alguém que não sabe a Identidade.
Em paralelo, Zé Dirceu cumpre cronograma. Havia dado a Lula prazo até o carnaval, para colocar a fantasia de homem livre. Deixou claro que não entraria no Bloco do "Bode" e, se caísse para o segundo grupo, levaria com ele a bateria, independente do instrumento tocado.
Nem o Mestre escaparia.
Convocado agora para depor, com certeza, nada falará.
Deixará Rei Momo mostrar a que veio.
Enterro dos Ossos promete. 
Tic Tac do tempo não para. Premonição de Cazuza mostra piscinas e Triplex e sítios cheias de ratos.
Única forma de livrar Lula seria desmantelar lava Jato.
Por favor Moro. Continue no Lava, mas não pegue um Jato.
Caixa de Pandora mostra-se congestionada, mas cuide da Caixa Preta.
VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO
Coisas de um país que virou uma coisa.
E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda.

Declaração do PT - Cara de pau ✰ Um Minuto com Augusto Nunes


E agora, Lula?

Charge de Leandro Spett: abaixo manchete da capa do Globo

No próximo dia 17 de fevereiro, data marcada para o depoimento, Lula e Marisa Letícia têm a oportunidade de esclarecer a situação do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia, frequentados pela família, e que passaram por reformas milionárias bancadas por empreiteiras da Lava Jato, embora o ex-presidente negue lhe pertencerem. Bem, Lula pode exercer o direito de permanecer calado. Sim, o Código de Processo Penal lhe garante esse direito. Mas vai ficar muito esquisito se Lula abrir mão do direito de se defender e ficar mudo, afinal quem não deve, não tem nada a esconder. É bom destacar que a cada dia surgem novas evidências sobre a ligação da família Lula da Silva com as duas propriedades.

Será que o "Picolé de Chuchu" vai ter coragem???

Nota fiscal de barco comprado por Marisa reforça elo de Lula com o luxuoso sítio de Atibaia

A manchete principal da Folha de São Paulo de ontem engrossa a grita contra Lula:

Nota fiscal de barco reforça elo de Lula com sítio em SP. A mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marisa Letícia, teria comprado um barco para uso no sítio em Atibaia (SP) que teria sido reformado pela empreiteira Odebrecht, segundo apuração feita pela Folha de S. Paulo.
Em reportagem publicada neste sábado, o jornal afirma que uma nota fiscal com o nome da ex-primeira dama registra a compra de uma embarcação modelo Squalus 600, de 6m de comprimento, sem motor, pelo preço de R$ 4.125
Os blogs e sites alinhados com o lulopetismo desprezam a foto estampada pelo jornal.
O 247 avisa:
- Quem vê a capa imagina um iate, mas a reportagem interna traz a imagem de uma pequena embarcação, quase uma canoa, usada pelo ex-presidente para pescar no lago da propriedade.
O preço foi de R$ 4.126,00;.
Ontem, pela primeira vez, em nota, o ex-presidente Lula afirmou que é de conhecimento público que frequenta o sítio em Atibaia (SP), registrado em nome de Jonas Suassuna, sócio de seu filho Lulinha.
Lula não fala no seu barco de pesca.

No elevador, primeiro as damas...

Custo das Olimpíadas sobe mais R$ 400 milhões

De R$ 28 bilhões, custo apresentado pelo projeto, as obras olímpicas já ultrapassam R$ 39 bilhões. Vocês devem se lembrar que no ano passado eu disse que passaria dos R$ 40 bilhões. E podem apostar que vou acertar. A toda hora surge um "probleminha" nas obras e lá vem mais um aditivo. É uma vergonha e Eduardo Paes ainda tem a cara de pau de afirmar que 65% da verba gasta nas Olimpíadas vai ficar como legado, vai reverter para a população. Ora, está revertendo é para o bolso da turma de sempre, as empreiteiras, os empresários amigos, a família Picciani, sócia da mineradora que fornece brita para as obras. O povo vai ficar com um legado muito pequeno, ainda mais quando se fala em R$ 40 bilhões.

7º Encontro de Vespas, Lambrettas e Motonetas Clássicas - Curitiba PR

"Metástase" - A nova corrupção brasileira ✰ Artigo de César Benjamin

A corrupção realmente mudou de patamar nos últimos anos. Em delação premiada, executivos da Carioca Engenharia confessaram um pagamento de R$ 52 milhões para Eduardo Cunha, em troca da liberação do uso de recursos do FGTS nas obras do chamado Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.
Além dos valores em si — R$ 52 milhões em uma só tacada! —, duas coisas chamam a atenção.
Primeira: Eduardo Cunha podia aprovar ou não o uso do FGTS nessas obras porque tinha indicado o vice-presidente da Caixa Econômica Federal que era responsável por esse setor. Um cargo que deveria ser de natureza técnica estava na “cota do PMDB”. É assim que funciona o nosso “presidencialismo de coalizão”, que destruiu o Estado brasileiro.
Segunda: a propina foi depositada no banco suíço BSI, comprado por André Esteves, ex-dono do BTG Pactual e atualmente preso em Bangu 8 [sua prisão preventiva passou a domiciliar por decisão do ministro Teori Zavascki em 17 dez.]. O principal executivo desse banco é Guilherme Paes, irmão do prefeito Eduardo Paes, do PMDB do Rio de Janeiro. Os “recursos não contabilizados” da Copa do Mundo, das Olimpíadas, do Comperj, do Porto Maravilha e de outras obras foram para o BSI.
Em vez de depositar dinheiro em um banco suíço, esse pessoal comprou um banco suíço para funcionar como uma espécie de “banco central” de negócios heterodoxos. Como escrevi no início deste post, é outro patamar.
Isso significa que André Esteves, Guilherme Paes e, por extensão, Eduardo Paes têm muitos políticos na mão, pois são guardiões de suas fortunas.
Eduardo Paes é candidato a presidente do Brasil em 2018 pelo PMDB.
Tudo isso ajuda a dar a (verdadeira) dimensão da crise brasileira. Deu metástase.
César Benjamin - economista e editor da Contraponto.

31 de Janerio - Dia Nacional da Fantasia de Gorila

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

... E o General Mourão amarelou ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

A troca de comando, sem qualquer protesto ou reação, no Comando Militar do Sul, dia 26 de janeiro, sem dúvida deixou muita gente frustrada, dentre eles, não escondo, eu mesmo. O General Hamilton Mourão, que era, até essa data, o Comandante do Exército nessa Região, virou manchete nacional e motivo de muita discussão quando disse umas verdades que não foram toleradas por algumas lideranças políticas de esquerda, que rapidamente acionaram o Ministro da Defesa, Aldo Rebelo, que por sua vez determinou ao seu “mandalete”, General Villas Bôas, Comandante do Exército, a punição exemplar e afastamento do Comandante do SUL. Villas Bôas nem titubeou e saiu correndo para cumprir a ordem do “chefe”, que por seu turno havia sido “sensibilizado” pelo senador Aluízio Nunes, que antes havia sido motorista de Carlos Marighella, conhecido terrorista que combateu o Regime Militar, em atitude nada digna de um general de exército em qualquer parte do mundo, desde que dotado, evidentemente, de alguma vergonha na cara. Preferiu os políticos, desprezando os direitos, inclusive, de falar, dos seus generais e demais comandados.
O Ilustre General Mourão estava se impondo como uma nova liderança política, apesar de nunca ter sido esse o objetivo das suas manifestações, questionadas pelo Governo, mesmo por que isso nem seria próprio ao estilo da sua personalidade forjada na caserna, longe daquela lama imunda por onde trafegam os políticos.
Essa discussão tem que ser trazida à tona no momento em que muitos já acordaram para a disposição contida no artigo 142 da Constituição, que prevê a Intervenção do Poder Instituinte e Soberano do Povo, nos Poderes Políticos, em 4 (quatro) hipóteses ali previstas, duas das quais dependendo de convocação isolada de algum dos Três Poderes, e duas outras por iniciativa e decisão própria das Forças Armadas. Imperioso é ressaltar que essas hipóteses de “intervenção” das FFAA, em nome e representação do Povo, não estavam escritas na constituição de 1946, sob o império da qual deu-se o episódio de 31 de março de 1964. Trocando em miúdos: “antes” a intervenção não estava prevista; agora ela está. E muito claro.
Apesar de ter aplaudido de “pé” a postura do General Mourão desde a sua primeira manifestação, que foi alvo dos revides governamentais, esse aplauso agora caiu por terra. Mourão não transformou as suas palavras em atitudes. Rendeu-se, com extrema docilidade, aos seus algozes, desmanchando a imagem positiva que antes havia plantado em palavras, que estavam ajudando, inclusive, a recuperar a imagem dos militares de certo modo abalada principalmente pela campanha difamatória feita contra eles pelos antigos terroristas que hoje ocupam posições de destaque nos altos escalões do governo.
Na sua despedida do Comando Militar do Sul, Mourão disse: “A minha saída foi uma substituição normal dentro do Exército. Normalmente a gente fica em torno de dois anos, e o comandante achou por bem fazer essa troca direta entre eu e o general Pujol”.
Ocorre, General Mourão, que essa sua substituição não teve nada de normal. Isso não é verdade. Ninguém é bobo para acreditar numa lorota desse tipo. Vossa Excelência não precisaria jogar no lixo seu espetacular passado e currículo como militar, faltando com a verdade perante o seu povo. Apesar de ter havido mais ou menos uma coincidência quanto ao tempo normal de permanência em um Comando regional do Exército, os fatos desmentem essa versão.  A resposta oficial foi puro revide e punição.
Também achei um desaforo e uma baita sacanagem o General Villas Bôas largar sobre os ombros de Mourão a responsabilidade de conseguir um reajuste remuneratório para os militares à altura das suas necessidades, nas novas funções burocráticas que irá exercer em Brasília. Sabe-se que isso, meus caros generais, é missão impossível e somente para “queimar” quem for escolhido para essa missão.
Resumidamente, o dia 26 de janeiro falhou na missão histórica que poderia ter. Ali foi a melhor oportunidade que se teve para que fosse dado início ao processo de INTERVENÇÃO (CF.art.142), uma vez que estavam reunidos, excepcionalmente, num só ato, FORÇA e DECÊNCIA, algo bastante incomum nos dias de hoje. Eu até teria curiosidade de saber como foi organizado esse ato de transferência de comando e quem foi convidado. Apesar de tudo ter sido muito abafado pela Grande Imprensa, como acontece, ”misteriosamente”, em muitas outras “cositas”, tive notícias que compareceram 1.500 militares. Mas esse grupo, que assistiu e consentiu com tudo calado, não teria sido selecionado, estrategicamente, do “rebanho de ovelhinhas”, que  certamente o Comando Militar do Sul também têm?
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo

Bolsonaro mentiu? ✰ Luana Basto

Ingovernabilidade e estagnação, base jurídica para viabilizar processo de Impeachment

Enganam-se os que imaginam ser a Improbidade, crimes previstos em Lei no administrar, seja a única justificativa legal, para abertura de processo de Impeachment. Demonstração de incapacidade de gerir o País, mantendo-o em níveis aceitáveis de viabilidade, legitima processo de "interdição de Mandatário".
Saúde Moral, Social, Jurídica e Econômica do Brasil, respiram por aparelhos e Dilma Roussef, em todas as suas decisões, estampa total falta de comando ou condição de reverter o quadro.
Não param de pipocar evidências, de ter passado da hora, de se promover sérias modificações no Primeiro Escalão do Poder.
- Contas do Governo fecharam 2015 com déficit de R$ 114,98 Bilhões. Record Histórico.
Número assombroso exige atitudes drásticas, no enxugamento de Máquina Pública. Dilma não tem poder para realizá-la.
Governo Lula loteou País, em troca de apoio. Hoje, Partidos Políticos, Parlamentares, Empresários e Líderes Sociais incorporaram vantagens ao salário. Não admitirão perda do conquistado.
Confrontá-los, resultaria em perda de apoio, piorando ingovernabilidade.
- PIB negativo de 3%, mantendo projeção de queda.
- Impostos do País atingiram números pornográficos, caracterizados em arrecadação criminosa, sem retorno à Sociedade. Nada sobra. Arrecadado mal dá para pagar juros da dívida e estrutura do Governo.
Não havendo ambiente político para diminuir gastos, Dilma acena com criação de novos Impostos.
- Na contramão da ânsia de arrecadação do Planalto, segundo dados do IBGE, média da renda do cidadão caiu 3,7%, desemprego aumenta, inflação dispara, investidores internacionais somem, dólar não para de subir, número de famílias endividadas chega ao assustador patamar dos 60% e produção trava, por falta de investimentos em logística e o alto custo Brasil.
- Queda de renda de familias faz alunos da rede particular de Ensino, para a Pública, já carente de estrutura de vagas. Nessa os prejudicados certamente serão os mais carentes. 
- No âmbito social, caos extrapola limites do insano.
Saúde está em estado de coma. Adoecer e precisar de atendimento, sinônimo de se condenar à morte.
Pacientes com câncer em estágio inicial, precisando de urgência no combate à doença, entram em lista de espera por meses, para conseguir marcar consultas ou exames. Eutanásia seria mais digno e menos doloroso.
- Segurança inexistente. Enquanto discursos populistas de defesa a criminosos, não param de afrontar Sociedade, pesquisa mostra que entre as 50 cidades mais violentas do Mundo, em Países não envolvidos em Guerras ou Revoluções, 21 são brasileiras.
- Na contramão, BRADESCO anuncia lucro de 2015, 14% maior que o de 2014, que já não foi pequeno.
O Brasil do partido dito Socialista, defensor da igualdade e ao lado do povo, criou uma nova Elite, parasita e improdutiva, transformando o País em Paraíso de banqueiros, empreiteiros e mega empresários. Felizes bilionários em que renda, só não supera a de Políticos aliados ao Planalto.
- Enquanto campanhas de marketing do Governo falam em crescimento do poder aquisitivo da população, abismo entre classes não para de crescer, sendo apontado como estopim para aumento da violência, juntamente com a impunidade. 
Solução hoje não se resume à Dilma. Hora de limpar o Executivo, incluindo Vice e Ministros e trocar lideranças do Senado e Câmara, visivelmente contaminadas por interesses
Criar Governo Provisório de Transição, atacar de fato a corrupção, doa a quem doer, dando carta branca à Lava Jato, evitando constantes intervenções políticas do STF, enxugar o Governo e preparar o País para 2018.
Seguindo passos de Lula, Dilma agora aponta com a volta do Conselhão, teóricos reunidos para tirar da cartola pacotes mágicos, capazes de fazer economia volta a crescer, sem investir a longo prazo no setor produtivo. Na época de Lula, o mesmo Conselho, mostrou ser útil apenas para o maketing, criando bolhas de crescimento ilusórias e setorizadas, com consequências terríveis a curto prazo.
O Século XX se foi. A realidade mudou e Governo continua com mesmo discurso, "modus operadis" e delapidação do futuro do País.
VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO
Coisas de um país que virou uma coisa.
E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda.

Isso é muito preocupante! Altos postos de nossas FFAA contaminados...

"Minha casa, Minha Vida" versão vip para petistas

Edifício Solaris, na praia do Guarujá e condomínio Torres da Mooca, em São Paulo

Essa nota é mais uma da série "A classe operária vai ao paraíso". Vale a pena lerem a matéria de dezembro de 2014, reproduzida no Antagonista, que mostra a relação de felizardos petistas do círculo próximo de Lula que conseguíram apartamentos no mesmo edifício Solaris, no Guarujá, onde Lula teria o seu triplex, além do condomínio Torres da Mooca, também um empreendimento da Bancoop, que foi presidida por João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT condenado na Lava Jato. A filha e o irmão de Rosemary Noronha, a Rose, grande amiga de Lula, cada também ganhou o seu apartamento, mais o segurança de Lula e outros assessores. Uma versão do "Minha Casa, Minha Vida", que fez os petistas próximos a Lula subirem na vida.

CORRUPÇÃO - Acusação contra Lula é gravíssimo - Comentário de Marco Antonio Villa

Ele vai ter que processar muita gente ✰ Artigo de Enio Meneghetti

A frase, forte: “Duvido que neste país tenha um promotor, um delegado […] que tenha coragem de afirmar que eu tenha me envolvido em qualquer coisa ilícita neste país” – desafiou Lula.
Pois não decorreu nem uma semana da afirmação e o promotor Cássio Conserino, de São Paulo, declarou que pretende denunciar Lula e Dona Mariza por ocultar a posse de um apartamento triplex no Guarujá. O imóvel foi objeto de ampla reforma, a um custo estimado em R$ 800 mil. Executada pela OAS, uma das empreiteiras enroladas na Lava Jato.
O promotor não usou meias palavras: “Lula e dona Marisa serão denunciados”, disse à revista Veja. “Brevemente, eles serão chamados a depor.”
O Instituto Lula informou que “os advogados do ex-presidente examinam as medidas que serão tomadas diante da conduta irregular e arbitrária do promotor”. Sua a assessoria diz que “não há crime de ocultação de patrimônio, muito menos de lavagem de dinheiro. Há apenas mais uma acusação leviana contra Lula e sua família”. 
Além do caso da reforma do triplex, a Polícia Federal apura a suspeita de envolvimento de Lula no loteamento político que arrasou com a Petrobras.
A PF também investiga o possível envolvimento na venda de medidas provisórias durante sua gestão. Mais uma possível acusação de tráfico de influência de Lula em favor de empreiteiras brasileiras no exterior.
Embora costume ser apontado como “testemunha”, o tratamento que lhe tem lhe sido dado é duro. O delegado federal Josélio Azevedo de Sousa escreveu, no pedido de autorização ao STF para ouví-lo:
“Na condição de mandatário máximo do país pode ter sido beneficiado pelo esquema, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal.”
Segundo o blog de Josias de Souza, Lula entrou em contradição nos depoimentos prestados. O delegado Josélio perguntou-lhe sobre Renato Duque. Lula disse não ter nada a ver com isso. “Cabia à Casa Civil receber as indicações partidárias e escolher a pessoa que seria nomeada”, disse. “Não sabia” se foi o PT ou outro partido que o indicou. Repetiu que não participou do processo de escolha de outros diretores da Petrobras. Seriam acordos “feitos pelo ministro da área, pelo coordenador político do governo e pelo partido interessado na nomeação.”
A Petrobras é subordinada ao Ministério de Minas e Energia. Como sempre faz, ele jogou a bomba no colo de outros(as). Na época da nomeação dos diretores corruptos, a ministra “da área” era… Dilma!
Mas caiu em contradição ao reconhecer que a palavra final sobre as nomeações era mesmo dele. E quem teria alguma dúvida acerca disso? Mas ele disse que os partidos negociavam suas nomeações com ministros da área, com o coordenador político. E teve de admitir que ao final do processo, tudo ia parar no gabinete presidencial mesmo. Ele é quem dava a palavra final, concordando ou não com o nome apresentado. Alegou que baseava suas escolhas em “critérios técnicos que credenciavam o indicado”. Mais claro do que isso, impossível. Não sabia de nada?
O Procurador geral da República, Rodrigo Janot escreveu em petição ao STF, que Lula concedeu a Fernando Collor “ascendência” sobre a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras “em troca de apoio político à base governista no Congresso Nacional”. Que no governo Lula formou-se na BR Distribuidora “uma organização criminosa preordenada principalmente ao desvio de recursos públicos em proveito particular, à corrupção de agentes públicos e à lavagem de dinheiro”. Janot informou nesta petição que as diretorias “serviram de base para o pagamento de propina ao parlamentar.” Lula acomodou na BR Distribuidora pessoas para coletar “valores ilícitos”.
Lula vai processá-lo também? 
Em outro depoimento, sobre a suspeita de compra de medidas provisórias por lobistas a serviço de empresas de automóveis, Lula foi indagado sobre os R$ 2,5 milhões que seu filho, Luís Claudio Lula da Silva, recebeu do lobista preso Mauro Marcondes, um dos suspeitos de intermediar a compra de MPs. Confrontando com um documento apreendido no escritório de Mauro Marcondes onde estava escrito que a MP foi combinada entre o pessoal da Fiat, o presidente Lula e o então governador de Pernambuco Eduardo Campos, Lula limitou-se a dizer que “Combinação nesse sentido pejorativo é coisa de bandido. Não ocorreu”. Mas admitiu ter se reunido “algumas vezes” com Eduardo Campos e o representante da Fiat. Mas a conversa foi sobre a instalação de fábrica da Fiat em Pernambuco. Ah, bom!
Sobre a minuta de uma carta destinada a ele, em agosto de 2012, já no governo Dilma, onde o mesmo lobista pede seu apoio para convencer Dilma a comprar os aviões caça da sueca Saab, Lula disse não a ter recebido. Posteriormente, a empresa sueca acabou sendo contemplada com a aquisição de seus caças.
Lula também foi interrogado como suspeito no processo sobre a apuração de tráfico de influência em favor das empreiteiras clientes de suas palestras. Todas elas partícipes destacadas nos processos da Lava Jato.
Lula anda muito azarado. A maioria de seus interlocutores ou amigos estão todos enrascados. Há gente presa, empresas quase falidas, arresto de bens e por aí vai.
Coitado! Pelo andar da carruagem, vai ter que processar muita gente.

O triplex não é de ninguém

Ex-secretário de Comunicação do PT do Paraná é preso por assalto na Argentina

André Roberto Alliana 'muito bem' acompanhado por André Vargas e Zé Dirceu

O ex-secretário de Comunicação do PT paranaense, André Roberto Alliana, foi preso na Argentina acusado de roubar duas mulheres. Ele usava uma arma falsa para cometer os crimes e foi reconhecido por uma das vítimas.
Alliana também foi assessor do ex-deputado André Vargas (ex-PT), condenado a 14 anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro, na Operação Lava Jato, e coordenou todas as campanhas do ex-deputado. Em 2014, como Vargas não disputou o pleito, Alliana coordenou a campanha de outro petista paranaense: o deputado Zeca Dirceu, filho de José Dirceu.
Ele está preso na cidade de Puerto Iguazu e pode ser o autor de outros 10 crimes.

1º Praia Seca Biker Fest - Araruama RJ

MPF investiga assédio moral contra uma sargento do 56ª BI

O Ministério Público Federal (MPF) quer o prosseguimento de investigação sobre suposto assédio moral contra uma sargento do 56ª Batalhão de Infantaria em Campos dos Goytacazes RJ. A vítima alega que, por ser mulher e gozar de direitos como licença para cuidar do filho, recebia tratamento desumano por parte do comandante de sua unidade.
De acordo com a denúncia, o superior chegou até mesmo a obrigar a militar a realizar tarefas fora de seu horário de expediente, ignorando as alegações da vítima de que não se encontrava bem, o que teria ocasionado o agravamento do quadro de “transtorno ansioso”.
Já o comandante afirma que recebeu diversas solicitações da sargento para se ausentar do trabalho por razões pessoais e que, apesar do descontentamento dos demais com suas constantes faltas, ele jamais a tratou de forma desrespeitosa ou questionou seus direitos por ela ser mulher. Diz ainda que laudo psiquiátrico da militar apontava problemas mesmo antes de sua entrada naquela unidade, fato que não era de conhecimento do superior.
Apesar de o pedido de arquivamento da 1ª instância, o Núcleo de Direitos do Cidadão (NAOP2) da Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR2³) decidiu pela continuação da investigação, pela peculiaridade e gravidade do caso e pela necessidade de constante combate ao assédio moral. “A mulher ainda é minoria dentro de instituições militares, que ainda preservam resquícios de condutas machistas, e podem, por isso, encontrar-se em situação de vulnerabilidade”, argumenta a procuradora regional da República Silvana Batini.

29 de Janeiro - Dia Nacional do Jogo Justo

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Familiares de vítimas da Boite Kiss buscam no exterior a justiça que não esperam no Brasil

A Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria – que completou, ontem, três anos –, decidiram recorrer à Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA para que o Brasil seja responsabilizado por não punir envolvidos na tragédia, que matou 242 pessoas.
Eles alegam que o Estado, o município e o Ministério Público sabiam de irregularidades na casa noturna e permitiram que ela continuasse funcionando. Nenhum agente público, porém, está sendo responsabilizado pelo caso.
O MP já considerou que não há motivos para punir o promotor Ricardo Lozza, que atuou antes da tragédia em um inquérito relacionado ao funcionamento da boate. O prefeito de Santa Maria, Cézar Schirmer, nega desde sempre qualquer responsabilidade sobre o caso.
Na Justiça gaúcha, somente quatro pessoas respondem pelas mortes: os dois proprietários da casa noturna e os dois músicos da banda Gurizada Fandangueira que manusearam o artefato pirotécnico que provocou o incêndio.

Bolsonaro??? ✰ Luana Basto

Dilma cria o Bolsa Microcefalia… É o que restou!

Por incúria, incompetência, vagabundagem teórica, escolham aí, o país vai fabricando doentes em série. 
Depois é só dar uma bolsa com alguns caraminguás pra eles

Querem a evidência do desastre de uma geração de governos — e, ora vejam, de governos petistas? Então leiam isto.
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome informou nesta quarta que o governo irá pagar uma bolsa mensal a famílias de bebês com microcefalia.
O auxílio, no valor de um salário mínimo, será pago a famílias com renda per capita de até R$ 220 por mês. O dinheiro sairá do chamado Benefício de Prestação Continuada, um programa voltado para ajudar pessoas com algum tipo de deficiência.
Ainda sobre microcefalia, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e o da Casa Civil, Jaques Wagner, se reuniram hoje pela manhã com fabricantes de repelentes de mosquitos que podem ser usados contra o Aedes aegypti. A ideia do governo é distribuir repelentes a grávidas que sejam beneficiárias do Bolsa Família.
Por incúria, incompetência, vagabundagem teórica, escolham aí, o país vai fabricando doentes em série. Depois é só dar uma bolsa com alguns caraminguás pra eles.

Família Bolsonaro

O sucateamento das Forças Armadas chega aos hospitais militares

Enquanto os militares vão às ruas caçar mosquito da Dengue, a “boca pequena”, a reclamação na Caserna é geral. As Forças Armadas estão SUCATEADAS e, qualquer milico com quem você conversa, reclama mais do que “bode embarcado”. Segundo eles: os hospitais não têm médicos; as emergências funcionam em caráter precário; laboratórios, às vezes, passam tempo fechados por falta de material para exames; em alguns casos, para se marcar uma consulta, é preciso chegar as 03:00hs da manhã, Todavia, com medo de ser punido, tanto o pessoal da ativa, da reserva e pensionistas, sofrem calados, até porque, têm ciência de que: o ministro da Defesa é um comunista juramentado; a presidente vive a pregoando que foi presa e torturada na ditadura, pelos militares e, por isso, acredita-se que pouco vêm se preocupando com a situação da família militar.
Segundo dizem, mesmo que o ministro queira dar uma de bonzinho e resolva se preocupar nada poderá fazer, haja vista, que a roubalheira nesse governo é tão grande, que até, beira a casa do ridículo querer se fazer algo para minimizar o sofrimento humano.
Como é do conhecimento público, assim também ou um pouco pior, é o Serviço Único de Saúde – SUS, onde as parturientes dão a luz no chão, pessoas morrem sobre macas em corredores e seus familiares improvisam, deitam sobre um papelão embaixo das macas e mortos, no meio dos vivos, passam horas aguardando remoção.
"Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) nas cidades mais mal avaliadas) relatam situações de caos e dificuldades no atendimento que chegam a lembrar “cenário de guerra”, segundo pacientes. Mesmo em cidades que foram mais bem avaliadas pelos usuários, entretanto, é possível ouvir reclamações de que a boa nota não é necessariamente sinônimo de atendimento bom, e alguns pacientes relatam espera de mais de 3 horas por atendimento". Pelo que se ouve, não vai demorar muito para que essa desgraça chamada SUS, desembarque nos hospitais militares.
QUE DEUS OS PROTEJA! E TIRE LOGO ESSE GOVERNO PETISTA DO PODER.

Lula é a alma mais Solaris do Brasil ✰ Felipe Moura Brasil

TVeja, 27 de janeiro de 2016, 15 horas: A coluna 'VEJA Bem', com Felipe Moura Brasil, ironiza a estratégia de Lula diante do cerco da Lava Jato e resume a operação Triplo X, que investiga o seu tríplex no condomínio Solaris. Acompanhe!

Aeromóvel, produto genuinamente gaúcho, será apresentado nos Estados Unidos

A tecnologia do sistema Aeromóvel como alternativa de mobilidade urbana será mostrada às autoridades da prefeitura de Los Angeles e do aeroporto daquela cidade amanhã. A apresentação atende a consulta dos norte-americanos que demonstraram interesse em conhecer o sistema que já está em operação comercial em Porto Alegre e na Indonésia e em fase de implantação no município de Canoas.
O diretor da Aeromóvel Brasil, Marcus Coester, que já está nos Estados Unidos, disse a este editor que o aeroporto de Los Angeles é o último dos grandes aeroportos do país que ainda não dispõe de um sistema de transporte horizontal. Por isso, está desenvolvendo um projeto de construção de um complexo em vias elevadas com abrangência de cinco quilômetros, incluindo a implantação de uma garagem central para locadoras de carros e várias estações com estacionamentos, lojas e restaurantes, numa licitação orçada em mais de US$ 5 bilhões.

Compactados

Somos mais de 160 milhões de vítimas ✰ Artigo de José Nêumanne Pinto

Há nove anos chegam a meu computador denúncias de um golpe típico de vigarista: quase 3 mil famílias de associados entraram na Justiça contra a administração da Cooperativa dos Bancários (Bancoop), fundada por Ricardo Berzoini, secretário da presidente Dilma Rousseff. Eles se queixam de ter pago prestações de apartamentos em que não puderam morar. O acusado é o ex-presidente da instituição João Vaccari Neto, suspeito de haver desviado o dinheiro dos cooperados para beneficiar o Partido dos Trabalhadores (PT), de que foi tesoureiro.
Do grupo que mandou no Sindicato dos Bancários de São Paulo sob a égide de Luiz Gushiken, absolvido no mensalão pelo Supremo Tribunal Federal e saudado como herói, quase santo, pelo revisor do processo, Ricardo Lewandowski, Vaccari ficou livre, leve e solto até cair na rede da Operação Lava Jato. E, aí, ser recolhido à prisão em Curitiba, onde cumpre penas. Aplaudido de pé em reuniões do partido, tratado pelo presidente nacional petista, Rui Falcão, e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como companheiro prestimoso, Vaccari vê agora ressuscitarem nas mãos do promotor José Carlos Blat as queixas das vítimas da Bancoop, que têm complicado sua situação.
Nos processos há evidências que desfazem a aura de santidade que Lula se outorgou ao falar a blogueiros fiéis: sem ter dado um dia de expediente em agência bancária na vida, o ex-presidente é acusado de ter adquirido a preço de banana um triplex de 294 metros quadrados com elevador privativo na praia do Guarujá. A revista VEJA circula com reportagem de capa que reproduz trechos de depoimentos ao Ministério Público de São Paulo com testemunhos de que o imóvel, cuja propriedade o ex nega, não pertence à empreiteira OAS, acusada de participar do propinoduto da Petrobras, mas à família Lula da Silva. Outro promotor, Cássio Conserino, informou que “Lula e Marisa serão denunciados” pelo crime de ocultação de patrimônio, que caracteriza lavagem de dinheiro.
A bomba revelada pelo semanário causou controvérsias. O promotor não podia ter dado a entrevista e a revista não devia ter noticiado a perspectiva de denúncia não concretizada? Desde que Guttenberg decidiu imprimir sua Bíblia até nossos dias de internet, o debate sobre o direito à privacidade de homens públicos e o dever dos meios de comunicação de noticiar o que lhes cai nas mãos foi aberto, repetido e dificilmente um dia se resolverá.
Mas há algo mais grave omitido na polêmica: os quase 3 mil chefes de família cuja poupança virou pó de calcário não têm direito a ver punidos o mau gestor que levou a cooperativa à falência e os que o protegeram tanto nela quanto no partido que dela tirou proveito?
Esse episódio pungente e revoltante retrata apenas um tijolo do muro das lamentações a cujas proximidades as vítimas da desumana rapacidade das castas dirigentes sindical, política e burocrática nacionais nunca tiveram sequer acesso. É o caso do camponês diante da lei na fábula de Kafka que Orson Welles usou como prólogo do filme O Processo, lançado em DVD pela Versátil.
Outra evidência de que as vítimas de ignomínias similares são tratadas no Brasil como párias destinadas à danação é a chicana mal disfarçada no desabafo de famosos causídicos na tentativa esdrúxula de configurar a ação da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do juiz federal do Paraná Sergio Moro, que devassam as petrorroubalheiras, como caudatária de métodos neoinquisitoriais da ditadura militar. Em defesa de seus polpudos proventos, os “profissionais da lei” não invocaram um único fato para execrar o trabalho honesto e competente dos agentes do Estado, que cometem o pecado de introduzir na história penal do país condenações de milionários e meliantes de colarinho branco flagrados em delito. A mistura cavilosa de alhos com bugalhos chega a ser um escárnio, de tão cínica.
Ao tratar acusados de rapina do patrimônio público como se fossem vítimas desse saque, os signatários escarram nos rostos honrados dos mais de 160 milhões de brasileiros que sabem que são espoliados sem dó por um desgoverno de desmandos, um Congresso com muitos representantes venais deles próprios e um Judiciário cuja lerdeza é uma forma de opressão. O número citado não é aleatório, consta do furo de José Roberto de Toledo publicado neste jornal: segundo o Ibope, 82% dos entrevistados sabem que nunca podem contar com a gestão federal do PT, PMDB e aliados para nada.
Difícil é encontrar alguma razão para 14% ainda alimentarem a vã ilusão de que Dilma Rousseff e seus asseclas estejam levando o Brasil para um rumo qualquer. Na semana passada, Tania Monteiro, da sucursal do Estadão em Brasília, informou que a presidente ainda não demitiu o ministro da Saúde, Marcelo de Castro, por não querer desagradar a seu candidato a líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, e assim evitar transtornos à condução de seu único projeto de governo: evitar o próprio impeachment.
Cem anos após Oswaldo Cruz ter combatido a febre amarela expulsando o mosquito Aedes aegypti do Brasil, esse senhor cometeu a insânia de dizer, entre risos de mofa, em entrevista, que torce para as mulheres contraírem o vírus da zika antes da fertilidade, ficarem imunes e assim seu desgoverno sem caixa não ter de comprar vacinas caras. Dois séculos depois de José Bonifácio de Andrada e Silva ter articulado a nossa independência, contamos com um líder do pré-sal do baixíssimo clero da Câmara para garantir no posto um ministro que atua como se sua missão fosse disseminar a doença, e não proteger a saúde das vítimas de sua incúria.
O pior é que combate essa súcia uma oposição que, limitada a atuar para pôr fim a um desgoverno desastrado, em vez de apresentar alternativa decente de poder, só propõe patacoadas como a extinção do partido adversário. Pobres de nós, vítimas dessa vil politicagem!

Geladérrima...

O carnaval do Japonês da Federal

A máscara do Japonês da Federal vai ser um sucesso no carnaval, vocês podem apostar. Mas o "carnaval" do Japonês da Federal, o chefe da carceragem da PF em Curitiba, agente Newton Ishii, acontece mesmo é quando a Operação Lava Jato vai às ruas para prender acusados de envolvimento no Petrolão. Engraçado seria o vizinho de algum político envolvido no Petrolão colocar a máscara do Japonês da Federal e se encontrarem no elevador. Para a turma do Petrolão, a máscara não tem a menor graça. Aproveito para relembrar aqui a marchinha do Japonês da Federal.

9º Encontro Internacional de Veículos Antigos - Horizontina RS

Prefeito que contrata um Wesley Safadão por R$ 700 mil reais para o carnaval, não tem respeito pelo povo

Meu Ponto de Vista de hoje é sobre o carnaval. Por que carnaval? Por quer diante de tantos desabafos dos prefeitos do Brasil, há aqueles que teimam em driblar a Lei de Responsabilidade Fiscal, contratando atrações que chupam as "economias" do município.
Imagine pagar um cachê de R$ 700 mil reais ou mais para um Wesley Safadão da vida, só por que está na mídia. Imagine um prefeito pegar dos cofres públicos, R$ 1 milhão de reais para gastar em 04 dias de festa. Isso é ou não jogar dinheiro fora?
O prefeito que sabe da prioridade ao que é propriedade, não cometerá essa loucura. O prefeito que tem respeito ao povo, em especial, aos seus eleitores, não gastará esse "dinheiro todo"com coisas supérfluas. Com essas verbas que dei exemplo, no início do texto, se for gastar com saúde, educação e infraestrutura, da para fazer muita coisa em prol da população, ou estou errado?

28 de Janeiro - Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

PMDB indica candidato que espancou a mulher 2 vezes como candidato a prefeito do Rio de Janeiro.

O presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, confirmou nesta segunda-feira, 25, que o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho, será o candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes. Desde que, em outubro passado, se tornaram públicas agressões físicas e ameaças de Pedro Paulo à ex-mulher Alexandra Marcondes, denunciadas por ela em registros policiais, a candidatura do secretário estava em xeque. Padrinho político de Pedro Paulo, o prefeito sempre disse que não haveria mudanças nos planos de lançar Pedro Paulo candidato, o que foi confirmado por Picciani.
“A decisão sobre a candidatura de Pedro Paulo não é só do Eduardo Paes, mas de todo o partido. Pedro Paulo vai enfrentar e submeter o nome ao julgamento popular”, afirmou o presidente peemedebista.
A primeira queixa de Alexandra contra Pedro Paulo foi registrada em fevereiro de 2010, às vésperas da separação do casal. Ela disse ter sido agredida com socos e chutes, e um laudo do Instituto Médico Legal (IML) constatou que Alexandra teve um dente quebrado. O casal havia brigado porque Alexandra descobriu uma traição de Pedro Paulo. O segundo registro aconteceu em agosto de 2010, quando a ex-mulher disse que Pedro Paulo a importunava em casa, havia chutado a porta do apartamento e ameaçado “sumir” com a filha do casal.
Quando a primeira agressão foi revelada pela revista Veja, em outubro passado, Alexandra inicialmente disse que havia mentido e que não tinha sido agredida. Depois, confirmou as agressões. Em entrevista ao lado da ex-mulher, em novembro, Pedro Paulo disse que era um problema de família já superado. O segundo registro policial feito por Alexandra foi noticiado pela revista Época. 
“A gente não tira a gravidade nem a importância do fato, cabe a ele (Pedro Paulo) responder. As pessoas podem sair de uma situação adversa para um exemplo. O perdão é bíblico. O homem público está sempre sujeito ao julgamento popular. Pedro está plenamente preparado para governar a cidade. Com humildade aceitaremos o julgamento da população”, afirmou Picciani.
Além de Pedro Paulo, estão entre os pré-candidatos à prefeitura da capital o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o deputado federal Alessandro Molon (Rede) e o senador Marcelo Crivella (PRB). O PSD poderá disputar com o deputado Indio da Costa. O PSDB também defende candidatura própria na capital e está em busca de um nome. 
Estadão.

Recepção do deputado Jair Bolsonaro em Porto Alegre é sensacional

Chegada no Aeroporto Internacional Salgado Filho ao meio dia. 
Recepção de Pop Star.

Projeto de Ana Amélia quer endurecer saída temporária de presos; o bom mesmo seria acabar com essa mordomia

Está sendo analisado pela Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6579/13, que torna mais rígida a lei atual sobre a saída temporária da penitenciária para presos que cumprem a prisão no regime semiaberto – são autorizados a sair durante o dia para trabalhar e retornam ao estabelecimento prisional à noite. A iniciativa é da senadora Ana Amélia (PP-RS) e foi aprovada em 2013 pelo Senado.
A saída temporária, conhecida como “saidão”, é um benefício que permite a saída por tempo determinado para visitar a família, participar de cursos e outras atividades que ajudem no retorno ao convívio social. É amplamente utilizada em feriados.
Pelo projeto, o benefício só será concedido para o réu primário, enquanto hoje o reincidente que já tenha cumprido 1/4 da pena pode ser beneficiado. A proposta também restringe o tempo de saída temporária para um único período de sete dias por ano, ao contrário da lei atual, que permite a renovação do período por outras quatro vezes.
A proposta altera a Lei de Execução Penal (7.210/84). Para a autora, a senadora Ana Amélia, o aumento da criminalidade durante esses períodos de saidão justificam o endurecimento na lei.
“O preso que reincide já deu provas suficientes de que não está preparado para gozar desse benefício, pois, quando posto em liberdade, tornou a cometer crime. E quanto maior for a frequência da saída, maior será a probabilidade de os presos fazerem contato com comparsas e com integrantes de organizações criminosas”, argumentou.
Na Câmara, a matéria com o relatório elaborado pelo deputado Lincoln Portela (PR-MG) pronto para análise na Comissão de Constituição e Justiça.
Evasão
Conforme levantamento divulgado no dia 11 de janeiro deste ano pelo site G1 junto às secretarias estaduais que administram o sistema penitenciário, pelo menos 2.249 presos não retornaram às celas após as festas de fim de ano no país. O número representa 4,28% dos detentos que conseguiram o direito a visitar a família no Natal e Ano Novo.

Vítimas do comunismo e petismo

Justiça põe fim no trenzinho da alegria que o petista Tarso Genro promoveu na Brigada Militar, oficiais serão despromovidos

O Diário da Justiça do Rio Grande do Sul publicará nos próximos dias acórdão do Tribunal de Justiça, com data de 1° de dezembro de 2015, que revoga todas as promoções de oficiais superiores da Brigada Militar ocorridas a partir de 2012. A decisão tomada pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça considerou inconstitucionais aquelas promoções, inclusive de tenente-coronel a coronel. O efeito desta decisão será imediato, o que determinará a despromoção de todos os oficiais em bloco, independente de mandados de segurança que tramitam ou venham a tramitar na Justiça. A farra das promoções, que se valia de critérios subjetivos, foi criada pelo peremptório governador petista !grilo falante" e poeta de mão cheia e tenente artilheiro Tarso Genro, e acabou gerando um imbróglio jurídico-administrativo, além de haver submetido a Brigada Militar a passar pela maior vergonha de seus 124 anos de existência.

A honestidade de Lula

Sem comentário. O Lula já disse tudo.

Um aviso a Lula: "Quem não deve não teme"

"Quem não deve não teme" é um velho ditado que nunca sai de moda, mas o ex-presidente Lula parece desconhecê-lo pela forma como reagiu contra o promotor Cassio Conserino, do Ministério Público (MP) de São Paulo que diz ter provas para processá-lo e a sua mulher Marisa Letícia por ocultação de bens, no caso o luxuoso apartamento numa tríplice cobertura na praia de Guarujá, em São Paulo. Seria coerente que Lula se mantivesse coerente com os princípios que o PT apregoa de que no seu governo prevalece a transparência acima de qualquer coisa. Em vez de entrar com representação no MP de São Paulo, ele deveria colaborar com as investigações tendo até chance de provar sua inocência, se for o caso;
O que se comprova é que Lula tem muito medo das investigações em torno dela e de vários membros de sua família. Não se justifica, então, que ele se utilize de artifícios e faça ataques a integrantes do Judiciário, desafiando a Justiça diante de Uma plateia de seus seguidores. Seria mais coerente que Lula esclarecesse o país sobre possíveis desvios de conduta, principalmente pela liderança política de que é possuidor. O ex-presidente tem que entender que não está acima do bem e do mal. Basta acionar seus advogados para defendê-lo. Não precisa se auto-proclamar como a pessoa mais honesta do mundo nem demonstrar ódio e raiva a quem discorde de suas ideias;
Que fique bem claro: o promotor Cassio Conserino tem o direito e o dever de fazer o seu trabalho, que é de interesse público. E para Lula, vai aqui uma lembrança: "Quem não deve não teme". Deixamos no ar, entretanto, uma dúvida: se o ex-presidente não tem direito a foro privilegiado, por quê até agora a Justiça o trata como testemunha? Esse é um mistério que precisa ser esclarecido.

Davi regressa a Itália... depois de 2 anos nos Estados Unidos !

Depois de dois anos emprestado aos Estados Unidos, Davi - obra de Michelangelo - foi devolvido a Itália.

Seus orgulhosos patrocinadores foram:

O balanço da Lava Jato informa: a Era da Canalhice está morrendo em Curitiba

Quem acha que o Brasil já não tem salvação, que nem capim voltará a crescer na terra arrasada por oito anos de Lula e cinco de Dilma, que depois da passagem dessas duas cavalgaduras do Apocalipse está tudo para sempre dominado ─ quem acredita, enfim, que a única saída é o aeroporto deve adiar a compra do bilhete e visitar o site da Lava Jato. O balanço da operação ─ ainda muito longe do fim, insista-se ─ informa que os bandidos perderam. Valeu a pena a luta travada nos últimos 13 anos pela resistência democrática. O projeto criminoso de poder fracassou.
A Era da Canalhice está morrendo em Curitiba, atesta o quadro acima. Os números resumem o que aconteceu entre entre março de 2014, quando as investigações se concentraram no bando do Petrolão, e 18 de dezembro de 2015. “Até o momento, são 80 condenações, contabilizando 783 anos e 2 meses de pena”, avisa o tópico que fecha o cortejo de cifras superlativas. Algumas são decididamente assombrosas, como a que revela que “os crimes já denunciados envolvem pagamento de propina de cerca de R$ 6,4 bilhões”. A herança maldita do lulopetismo anexou a criação do pixuleco bilionária.
Confrontados com o maior esquema corrupto forjado desde o dia da Criação, os escândalos protagonizados pelos quadrilheiros do Mensalão e da FIFA parecem coisa de black bloc. A roubalheira consumada pelos 37 mensaleiros julgados em 2012, por exemplo, foi orçada em R$ 141 milhões pela Procuradoria Geral da República. Somadas as condenações ao regime fechado, aberto e semiaberto, as penas mal chegaram a 270 anos. E o Supremo Tribunal Federal só tratou com severidade os desprovidos de imunidades parlamentares.
A maioria dos ministros mostrou-se tão branda com a ala dos políticos que José Dirceu já dormia em casa quando foi devolvido à cadeia pelo que fez no Petrolão. A performance do reincidente sem remédio sugere que, se não tivesse entrado na mira do juiz Sérgio Moro, da força-tarefa de procuradores e da Polícia Federal, o ex-chefe da Casa Civil de Lula poderia igualar em em poucos meses a quantia embolsada ao longo de 24 anos pelos cartolas da FIFA algemados por agentes do FBI e indiciados pela Justiça americana: 200 milhões de dólares.
Duas linhas do balanço ─ “40 acordos de colaboração premiada firmados com pessoas físicas” ─ ajudam a entender a angústia dos advogados que, por falta de álibis consistentes e truques eficazes, trocaram tribunais por manifestos ditados por doutores da Odebrecht e agora fingem enxergar na Lava Jato a versão brasileira da Inquisição. Para bacharéis especializados em canonizar culpados e insultar homens da lei, são 40 clientes a menos. O desespero dos doutores com a redução da freguesia será decerto aguçado pelo levantamento da Procuradoria Geral da República divulgado no Estadãodesta segunda-feira.
Entre março de 2014 e dezembro passado, defensores dos quadrilheiros apresentaram 413 recursos a instâncias superiores. Desse total, apenas 16 reclamações foram aceitas, integralmente ou em parte. O STF, por exemplo, rejeitou 50 dos 54 recursos ali julgados. Tudo somado, menos de 4% das decisões do juiz Sérgio Moro foram reformadas. O levantamento pulveriza a lengalenga dos signatários do papelório que tentou transformar os condutores da Lava Jato em torturadores dos presos políticos que saquearam a Petrobras.
“Magistrados das altas cortes estão sendo atacados ou colocados sob suspeita para não decidirem favoravelmente aos acusados”, fantasiou um trecho do manifesto a favor do Petrolão. “Pura fumaça”, replicou uma nota da Associação dos Juízes Federais. Quem vê as coisas como as coisas são enxerga, atrás da fumaça, uma vigarice de quinta categoria ─ e mais uma evidência de que os vilões do faroeste à brasileira não escaparão do final infeliz. Infeliz para eles, naturalmente.

Total desgraça

Adega de vinhos raros de Lula é considerada hoje como uma das mais valiosas do País

Pelas informações calcula-se que a fabulosa adega de vinhos raros de Lula tenha aparência similar a esta foto colhida na internet

Na reta final do governo, as visitas de Lula ao exterior foram marcadas por ligações do Planalto às embaixadas do Brasil informando que o então presidente “esperava receber de presente” algumas caixas de vinhos especiais, cuja lista era em seguida enviada. Foram usados 11 caminhões da Granero na volta de Lula a São Bernardo (SP), no início de 2011. Um deles, climatizado, levou um espantoso acervo de vinhos.
Lula, le grand connaisseur.
Embaixadores do Brasil naquela ocasião afirmaram à coluna, pedindo anonimato, que recebiam o “pedido” do Planalto como um ultimato.
Outros diplomatas interpretaram o pedido do Planalto como uma “oportunidade de agradecer” o posto que ocupavam no exterior.
Lula deixou o Alvorada com 1.403.417 itens em 11 caminhões, mas Marisa pediu à Granero “cuidado redobrado” com a adega de Lula.
A oposição planeja, este ano, esmiuçar a formação da adega de Lula, considerada hoje como uma das mais valiosas de todo o País. 

6º Trilhão de Rio Espera MG


Entenda o Banco Central do Brasil

Os empresários, banqueiros, agentes públicos, articulistas econômicos, prestam atenção no que pensa e o que faz o ministro da Fazenda, especificamente no caso deste governo, o ministro Nelson Barbosa. Para começar, o atual ministro da Fazenda foi secretário executivo do Ministério da Fazenda na gestão do ministro Guido Mantega, entre 2011 e 2013. Ele é o rei das contabilidades criativas ou das pedaladas fiscais. Quem foi mutreteiro, sempre será. 
O Banco Central é um órgão que se diz "independente". Nada disso é verdadeiro. É verdade que, o Banco Central tem independência, na administração do fluxo monetário que é crucial para manter liquidez no mercado. O Banco Central prerrogativa de ser o "fiscal" do sistema financeiro nacional. No entanto o Banco Central está longe de ser o tão defendida instituição "independente", pelas diferentes correntes políticas.
O Banco Central é que fiscaliza, diuturnamente, a saúde do sistema financeiro. Para exercer o poder, o Banco Central tem instrumentos "extra-judiciais" para intervir nas instituições financeiras sem passar pelo instrumento jurídico convencional que se submetem as empresas de outros setores, que é a "recuperação judicial". O Banco Central tem o poder de "intervir" e fazer a "liquidação extra-judicial". É assim em todo o mundo. 
O objetivo do Banco Central é "assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente". O Banco Central administra a dívida do Tesouro Nacional, colocando os títulos no mercado financeiro e garantindo a sua liquidez. O Banco Central administra também o "papel moeda" em circulação. Ufa! Muita tarefa para um órgão só.
O que passa despercebido é que o Banco Central é que estabelece a meta de crescimento, além de assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda. Cabe ao Banco Central o estabelecimento a meta de inflação, também. Na prática, o projeto de desenvolvimento sustentável tem que passar necessariamente pelo Banco Central. 
A meta de crescimento e a meta de inflação é "política do governo", e não um "objetivo do Banco Central". Imagine a FED caminhar com o objetivo oposto ao Obama nos Estados Unidos. Imagine o Banco Central europeu agir independente da vontade da Angela Merkel. É impensável que o Banco Central chinês agisse independentemente do ideal Partido Comunista e do Xi Jinping. 
O Banco Central do Brasil executou e executa a política econômica do governo PT, ao longo dos 13 anos. Assim como, administrou o Plano Real no governo FHC ao longo dos 8 anos. Isto é fato incontestável. O Banco Central está "dependente" de cada governo. Não vamos perder tempo brincando de "esconde-esconde", defendendo como se "dogma" fosse o Banco Central "independente".
Não é verdade também que a taxa básica de juros Selic é "único" instrumento para controle da inflação. Eu já disse aqui no blog mais de 500 vezes que a taxa Selic não é remédio para inflação, mas o termômetro da credibilidade do governo. A origem principal da inflação é "alargamento da base monetária". O Banco Central tem instrumentos capazes de "monitorar" a base monetária, sem que seja por via da taxa Selic. Controlar inflação apenas pela taxa Selic é para "mentecaptos". Mentecaptos são seres que não tem cabeça no lugar! 
É um absurdo que o Banco Central esteja querendo "afrouxar" a base monetária no momento em que a inflação está em 10,67%, com tendência ascendente. Todas declarações, do ministro da Fazenda e do presidente do Banco Central fazem crer que serão as medidas estão para ser anunciadas. A atitude do governo Dilma em querer dar a "sensação do bem estar" num quadro como que estamos a viver, é uma tremenda irresponsabilidade. É o desespero que tomou conta da doentia presidente Dilma. Uma pessoa esquizofrênica é capaz de tudo. 
Este que escreve tem uma "nova matriz econômica" que poderá trazer desenvolvimento sustentável ao País. A nova matriz passa necessariamente pelo abandono da política "neoliberal" intervencionista dos sucessivos governos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...