quinta-feira, 30 de junho de 2016

Blog de luto

Ao dar minha passada noturna pelo Blog do Beto - Beto Crítica - eis que deparo com esta triste notícia:

AQUI QUEM FALA É O NETO DO BLOGUEIRO BETO CRITICA, VENHO INFORMÁ-LOS QUE ELE FALECEU NO DIA 29/06/2016 ÀS 22:30 DEVIDO AO CÂNCER, ENTÃO ESSE BLOG SAIRÁ DO AR. FOI BOM ENQUANTO DUROU. OBRIGADO A TODOS!
Fui articulista do Beto Crítica até ter meu próprio blog em 2011. Beto foi a pessoa que eu me inspirei. Foi um amigo e professor. Daremos continuidade à sua luta contra os opressores da Nação.
Descanse em paz, Beto. Grandes guerreiros nunca morrem, simplesmente desaparecem.

Contracheque do Chefe da Reprodução e Digitalização da Câmara dos Deputados, título pomposo do "cara da xerox".

Dias Toffoli manda soltar Paulo BernAsno e ajuda PT. E lá vem o Brasil descendo a ladeira.

Como era de se esperar, até que demorou demais, um Sinistro sabujo, subserviente, cumpanhero e boçal, mandou soltar da tranca o ex Sinistro e atual trampolineiro da república, Paulo Besnasno. 
Mais conhecido como o marido da Gleisi. Aquela do nariz empinado e chatapracaraleo, que deve ter cacarejado sem dar tréguas aos quatro cantos de Brasília até conseguiu alguém desmoralizado o suficiente para fazer essa merda.
E o Brasil caminha célere para o brejo, a polícia passa dois anos investigando um crime, gasta uma bala em dinheiro público nessas investigações, e quando manda prender os criminosos a justiça vagabunda, leniente e acima de tudo, ideológica, coloca na rua o vagabundo.
Na semana em que o Enganador geral da Ré Publica Rodrigo Enganôt deu o parecer favorável ao indulto do outro quadrilheiro Zé Dirça, que por sinal já é condenado em DOIS processos de corrupção, e entrando o terceiro rabo a dentro do velho malaco, agora isso.
O advogado sem carreira, sem brilhantismo e sem notável saber jurídico, aquele que jamais teve uma carreira na justiça como magistrado e só conseguiu a vaga no supremo tribunal fedegeral por ser alinhado ideologicamente com o PT e babar as bolas certas dentro da quadrilha, mais uma vez mostra sua sabujice. Mas ele tem o cargo e a pena. Então phoda-se a ética, a moralidade, a legalidade. O que vale é fazer o que "seo" mestre mandar. Ou algo para calar os cacarejos de narizdecheirapeido Hoffman.
Infelizmente, no Brasil, a justiça só funciona para os reles mortais. Para a turma do andar de cima, não funciona e quando funciona, mesmo que meia boca, sempre tem algum juiz do supremo para envergonha a nação fazendo o serviço sujo de melar as investigações e afrontar o povo Brasileiro.
Mesmo que o PT acabe, ainda teremos na suprema corte um ministro sem eira nem beira por mais uns 27 anos. 
Olhem o tamanho da encrenca que esse tipo de indicação pode causar á justiça Tupiniquim. 
O cara tem quase três décadas pela frente como ministro do supremo. 
E a justiça solapando na merda da mediocridade por mais 30 anos...
Mas, esse é o preço que um povo ignorante paga por não saber votar e só pensar em bola e festa. Votam em aventureiros ou em bandidos, esses eleitos não tem nenhum compromisso com a nação ou com o povo, fazem de conta que governam e na própria falta de responsabilidade vão nomeando gente do mesmo naipe. 
E Barroso pode soltar Dirça, Toffoli soltou Bernasno, Teori não deixa prender o Seboso, Lewandovski está tentando melar o impixá da Jumenta e o ultimo que saír apague a luz.
Quando um povo vota mal o preço a ser pago é altíssimo. Elegem amadores ou vagabundos, fica mal representados e tem que amargar nomeações estapafurdias por décadas em cargos de relevância democrática. Entre outras aberrações.
O povo tem que ir para as ruas e pedir as cabeças da hidra que se instalou no STF, temos ministros lá que visivelmente estão cagando para as leis, eles querem é achar brechas para livrar a cara de seus cumpanheiros e padrinhos, e na pior das hipóteses, simplesmente mandam soltar sem a menor preocupação com a legalidade ou a moralidade.
O modelo democrático brasileiro precisa de um "recall". Precisamos mudar a estrutura do estado para termos uma nação realmente livre e democrática, pois da maneira que está o caminho é virarmos uma Venezuela.
E um bando de idiotas berram contra os tempos da ditadura, e o que vemos hoje na democracia são as odiosas "carteiradas" de antigamente sendo dadas diretamente da suprema corte.
O que nós fizemos com a nossa democracia?
Mas o povão tá feliz, afinal a CBF soltou hoje a lista de jogadores da celecinha canaralho para jogar as Olim piadas....
E de quebra o Presidente em exercício Michel I, o Temeroso, mandou reajustar o Bolsa Voto em 12,5%. E depois virão com aquela conversa de cerca Lourenço em pedir aumento de impostos.
Olha, se começarem a enforcar político vagabundo, no Brasil vai faltar corda.
video

O PT demonstra seu medo de JAIR BOLSONARO ✰ Pronunciamento do Deputado Eduardo Bolsonaro

video

O silêncio dos atores da Lei Rouanet

Até agora os cantores e artistas beneficiados com a Lei Rouanet, como Wagner Moura, Letícia Sabatella, Chico Buarque e outros, ainda não se manifestaram em relação aos abusos cometidos nos cofres públicos, dinheiro do trabalhador, que serviu até para festa de casamento. 
Onde estão estes “golpistas do dinheiro público” que abraçaram a causa da presidente afastada Dilma Rousseff, apenas por interesses próprios e não pela democracia e pelo país. 
A paranaense, Letícia Sabatella disse que se Dilma caísse ela iria embora do país e morar, talvez, em Cuba. O que está esperando que ainda não partiu.

Desejo de 85% da população brasileira

Qual a diferença entre os onze jogadores do Íbis e os onze ministros do STF?

 Resposta: os ministros estudaram direito e usam Toga Preta.

Para quem não sabe o ÍBIS é considerado o pior time de futebol do mundo e, ao que parece, os onze ministros do STF estão querendo imitar ou se igualar a qualidade dos jogadores desse time ruim. Portanto, acredito que já está na hora de se tomar uma providência e se melhorar a qualidade do pessoal escolhido para ser componente da Suprema Corte.
Paulo Bernardo, ex-ministro de Lula e Dilma foi preso e acusado de envolvimento no roubo de alta periculosidade sobre os Empréstimos Consignados, obtidos pelo funcionalismo público. A imprensa publicou até o valor que o sujeito roubou, diz que a sua mulher, apesar de senadora também está envolvida. A PF com mandado Judicial entrou na residência do suspeito e levou tudo que pode para obter provas reais e concretas  desse e/ou de outros roubos. Mas o homem é amigo do chefe do bando e marido de uma senadora, que apesar de também está sendo delatada como uma das beneficiadas no roubo da Petrobras: grita; esperneia, faz um cocorocó dos diabos e nada lhe acontece, porquê? Porque o COPORATIVISMO NESTE PAÍS É VERGONHOSO DEMAIS.
Pois é, para minha surpresa li na imprensa que o petista de carteirinha José Antônio Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal revogou a prisão preventiva de Paulo Bernardo, ocorrida quinta-feira passada. Tofffoli acatou os argumentos dos advogados Juliano Breda e Rodrigo Mudrovitsch de que ocorreu "flagrante e constrangimento ilegal, passível de correção por habeas corpus de ofício, determina-se cautelarmente a revogação da prisão preventiva". Tofffoli sentenciou: "Liminar requerida indeferida. Mantida as investigações junto ao juízo reclamado. Porém, por configurar flagrante constrangimento ilegal, passível de correção por habeas corpus de ofício, determina-se cautelarmente a revogação da prisão preventiva do reclamante (Paulo Bernardo), sem prejuízo da fixação de medidas cautelares alternativas".
Toffoli ponderou: "A prisão preventiva para garantia da ordem pública seria cabível, em tese, caso houvesse demonstração de que o reclamante estaria transferindo recursos para o exterior, conduta que implicaria em risco concreto da prática de novos crimes de lavagem de ativos. Disso, todavia, por ora, não há notícia". Em breve, o STF terá de avaliar o questionamento da Advocacia do Senado sobre a legalidade da busca e apreensão no apartamento em que o casal Paulo e Gleisi morava em Brasília. Como é um imóvel funcional usado pela senadora, que tem direito ao absurdo foro privilegiado (a desigualdade promovida pelo judiciário tupiniquim com a interpretação malandra da lei), o Senado questiona sua "inviolabilidade".
Nesse caso, não será mais surpresa se o pessoal do STF mandar que o juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, responsável por tomar a decisão que levou ao cumprimento de um mandado de busca e apreensão no apartamento do ex-ministro Paulo Bernardo em Brasília, volte atrás,  devolva todo o material apreendido e ainda peça desculpas.
ENQUANTO A IMPUNIDADE CONTINUAR REINANDO NESSE PAÍS, A CORRUPÇÃO E O ROUBO ESTARÃO MANCHANDO AS CORES DA NOSSA BANDEIRA.

Pérolas de uma promotora de Justiça em seminário promovido no DF

video

Juiz Bueno de Azevedo diz que Dias Toffoli "só quer prisão preventiva para os pobres" e manda soltar todo mundo

Nas redes sociais, Toffoli é atacado duramente.

O juiz do caso Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann e ex-ministro de Lula e Dilma, disparou uma saraivada de inéditas, contundentes e diretas críticas ao ministro Dias Toffoli, que mandou soltar seus ex-companheiros de PT.
Se prevalecer a tese de Dias Toffoli, disse o juiz, a prisão preventiva só será aplicada “aos pobres”. No documento, Bueno de Azevedo diz discordar da decisão de Dias Toffoli, embora seja obrigado a acatá-la:
- Obviamente irei acatar, porém respeitosamente discordo, continuando a achar que a expressiva quantia de dinheiro não localizado pode sofrer novos esquemas de lavagem, ao menos por ora.
O juiz também faz uma crítica severa e direta à “doutrina” invocada por Dias Toffoli de que a prisão preventiva só seria aplicável em caso de “crimes violentos, no mais das vezes cometidos apenas por acusados pobres”. Escreveu o juiz:
- Resguardo, pois, o meu posicionamento pessoal, aqui manifestado em homenagem à minha independência judicial.
Polibio Braga
Juiz do caso Paulo Bernardo reage a Dias Toffoli e manda soltar todo mundo
O Jornal Nacional acaba de informar que o juiz Paulo Bueno de Azevedo resolveu soltar todos os presos que foram levados à cadeia com Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann e ex-ministro de Lula e Dilma.Ele só manteve dois na prisão, no caso o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira e o ex-diretor dos Correios Nelson Freitas.
Isto se Dias Toffoli não os libertar também.
A reação inusitada é um protesto contra a decisão do ministro Dias Toffoli, que mandou soltar Paulo Bernardo.

Para os cariocas que estão achando que "pior do que está não fica"!

Festa de R$ 200 mil do Escritório Demarest e Almeida contratou humorista Fábio Porchat do Porta dos Fundos com dinheiro de fraude da Lei Rouanet

Entre as fraudes descobertas pela Polícia Federal na Operação Boca Livre, que cumpriu 14 mandados de prisão na terça-feira (28), está a festa de aniversário do Demarest e Almeida, um dos mais prestigiados escritórios de advocacia do país. A banca contratou show do humorista Fábio Porchat, do grupo Porta dos Fundos, para animar a comemoração de seus 68 anos, no começo deste mês. De acordo com a investigação, houve uso indevido de financiamento da Lei Rouanet.
Uma auditoria da Receita Federal comprovou que o escritório deduziu do Imposto de Renda a quantia empenhada no projeto. A comemoração custou cerca de R$ 200 mil. Nesta terça-feira, policiais federais estiveram na sede do Demarest em São Paulo para cumprir mandado de busca e apreensão. 
Em nota, a assessoria do Demarest diz que “o objetivo da visita [da Polícia Federal] foi a solicitação de documentos e informações relacionados a empresas de marketing de eventos que prestaram serviços ao escritório no âmbito da Lei Rouanet. Tais empresas são alvo da operação. O escritório enfatiza que não cometeu qualquer irregularidade e informa que colaborou e continuará a colaborar com a investigação”.
Fábio Porchat não é investigado nem há nenhum indício de que soubesse da origem do dinheiro. A Operação Boca Livre é uma investigação da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros (Delecor) de São Paulo.

Série Desconstruindo Falsos Heróis #4 - Madre Teresa de Calcutá

Correspondência aos parlamentares ✰ Artigo do General de Brigada Paulo Chagas

Sr(a) Deputado(a)
Sr(a) Senador(a)
A limpeza que se faz necessária na política brasileira é cada vez mais gritante.
O corporativismo dos corruptos de todos os naipes e colarinhos evidencia-se a todo momento de forma descarada e despudorada.
Seu alvo preferencial, e melhor testemunho do mal que impera nas entranhas do Congresso Nacional, tem sido o Deputado Jair Bolsonaro e seu crescente prestígio junto à sociedade, ávida por ser representada por uma maioria de brasileiros honestos, desassombrados e comprometidos com a verdade.
O Supremo Tribunal Federal, em uma demonstração de claudicância moral, aceitou a acusação de incitação ao crime de estupro feita a Bolsonaro por uma parlamentar reconhecidamente desequilibrada e que, efetivamente, é a criminosa deste episódio. Isto não deixa dúvidas quando à necessidade de também renovar-lhe o perfil pela alteração dos critérios de escolha dos seus ministros, em benefício da justiça e da prevalência do princípio republicano da independência dos poderes.
Agora, - não para surpresa, porque, de onde há predominância da desonestidade, não se espera que saia outra coisa – o Conselho de “Ética” da Câmara (é acintoso falar-se de ética em um lugar habitado por uma maioria que não sabe o que é isto) pretende julgá-lo por apologia à tortura, fazendo vista grossa ao crime de reverência e louvação ao terrorismo realizado pelos deputados Valmir Carlos da Assunção (PT/BA) e Glauber Braga (PSol/RJ), quando, nas mesmas condições em que Bolsonaro homenageou o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, lembraram os nomes de Luiz Carlos Prestes, o líder comunista que, entre outros crimes, mandou assassinar a jovem Elza Fernandes (16 anos) por “crime de traição à causa”; Carlos Marighela que, entre outras “obras”, é o autor de um “mini-manual” que, até os dias de hoje, serve de base à ação criminosa e indiscriminada de terroristas ao redor do mundo; e Carlos Lamarca, o Capitão desertor e traidor que, entre outros assassinatos, matou a coronhadas o Ten PMSP Alberto Mendes Jr.
Sinto-me particularmente ofendido e justificadamente revoltado com o fato, pois, como cidadão brasileiro, tive rejeitada pelo patético Sr Dep Waldir Maranhão a representação que fiz contra os deputados acima citados junto à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, o que, salvo outro juízo e outra atitude daquela casa, pretensamente representativa do poder popular, caracteriza a aplicação da regra chula dos dois pesos e duas medidas!
Torno pública a minha contrariedade e o meu cada vez mais embasado cepticismo em relação ao caráter da imensa maioria dos atuais parlamentares, representantes, isto sim, de suas vantagens pessoais e de seu inconfessável desprezo pela honestidade, pela verdade, pela liberdade e pela supremacia do interesse nacional.
Os brasileiros estão amadurecendo e, nessa mutação, abrem os olhos para o que é direito e para o que é o seu dever e acabarão por execrar da vida pública os que fazem dela o caldo de cultura em que se desenvolve a corrupção, principal atrativo da ralé que ainda habita os esgotos do poder.
A verdadeira justiça tarda, mas não falha! Isto não é uma ameaça, é um aviso!
Gen Bda Paulo Chagas

O que está por trás da decisão do STF contra Jair Bolsonaro

A provável cassação de Jair Bolsonaro pelo STF é o cenário aparente de um iceberg gigantesco e monstruoso.


As decisões de TODOS os juízes do STF ao se pronunciarem contra Bolsonaro evidencia que eles estão dispostos a "rever" a imunidade parlamentar. Ocorre que, quem pode criar leis é o Legislativo, por conseguinte, o STF não pode "rever" nenhuma lei porque ela simplesmente não existe. Assim, o STF não tem autoridade para tal, porque não há autoridade sobre o não existente. Então, o que o STF vai fazer? Vai criar uma lei, mais uma, de modo JURISTOCRÁTICO. Vamos recordar que Fachin disse que reveria o Rito do Impeachment, e o fez. Barroso disse que reveria o Regimento da Câmara e o fez. Cassaram Eduardo Cunha sob o argumento cínico e ilegal de tratar-se de um caso "excepcional". Assumem e confessam e ilegalidade. Abriram precendentes para criminalizar Sérgio Moro....

Some-se a isso, o fato o juiz Barroso (aquele que foi pego em flagrante MENTINDO sobre o Regimento Interno da Câmara) ter afirmado que este caso de Bolsonaro será um exemplo PARADIGMÁTICO. Ou seja, está confirmando que cassarão Bolsonaro como exemplo para MORALIZAR o LEGISLATIVO. Some-se a isso, que a atual Secretária de Direitos Humanos ter tido uma conversa com o juiz Fux, relator do processo, do STF e pedido que desse uma resposta ao caso do estupro contra as mulheres e que CONDENASSE JAIR BOLSONARO COMO EXEMPLO. O STF, portanto, agora, auto-denominou-se o criador da MORAL, dos COSTUMES E da LINGUAGEM dentro do Brasil.
Mas, isso são detalhes aparentes e visíveis. O que está em curso e, de modo invisível? Uma CASSAÇÃO direta CONTRA todo e qualquer indivíduo que represente pensamento CONSERVADOR no Brasil, não só na política bem como na Alta Cultura. O exemplo da mídia em peso contra Olavo de Carvalho é PRECISAMENTE PARA DESTRUIR A CULTURA CONSERVADORA E QUEM SE AVENTURAR A COLOCÁ-LA EM PAUTA NO BRASIL. Porque é através da Alta Cultura que o povo tem tomado conhecimento da pauta, das estratégias, dos crimes, das monstruosidades dos COMUNISTAS. Portanto, silenciar quem fala é objetivo desses monstros. A mídia é um dos braços oficiais do projeto de instalação.
Além disso, ao criminalizar Bolsonaro, o STF atinge diretamente os militares, transforma Ulstra em bandido, e CONFIRMA que a tese de Maria do Rosário é correta, ou seja, mulheres podem ser estupradas sim, desde que o crime seja praticado por menores.
O FORO DE SÃO PAULO está com a carga toda. Agora, cassando os inimigos, deixando-os inelegíveis para limpar o cenário para os COMUNISTAS continuarem no poder. SERÁ LEGALIZADO O ESTUPRO, O ABORTO, A PEDOFILIA E A CRIMINALIZAÇÃO DOS MILITARES. EIS O QUE ESTÁ EM CURSO.

Máfia da impunidade 'STF' libera Paulo Bernardo

Quando o helicóptero sobrevoa ✰ Artigo de Lasier Martins

Quando o helicóptero sobrevoa à baixa altura o condomínio dos senadores, na Superquadra 309 Sul, em Brasília, já se sabe, lá vem visita surpresa a algum dos apartamentos funcionais. E começa o ritual já rotineiro nestes tempos de Operação Lava Jato, Zelotes, Custo Brasil e Pixuleco. O helicóptero circula lá em cima, controlando o movimento da operação, enquanto por terra vai chegando o comboio de viaturas da Polícia Federal. Os agentes descem rápido, alguns tomam o elevador, outros ficam por baixo e o espetáculo cinematográfico se completa com a chegada do séquito pré-avisado de jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos, mantidos à distância, mas na expectativa de focar a figura pública que vai sair conduzida.
Do meu apartamento funcional, despertado pelo helicóptero, vizinho do visitado, acompanho decepcionado e pensativo sobre mais um episódio escandaloso desta época histórica de faxina na política e nas gestões públicas. A que ponto chegou a degradação causada por ambições de poder e por posse do dinheiro público. Mas se tudo triste, também positivo ao significar mudança de costumes e novos tempos que vão acabando com o mito da impunidade dos poderosos. Desde o processo do Mensalão, o ciclo antigo foi rompido. Dezenas de gestores públicos, políticos, empreiteiros famosos, empresários em geral entraram no radar das autoridades. Muitos ainda só sob uma névoa de desconfianças, mas ameaçados de entrar na fila. Outros gravemente implicados e sob investigações. Outros já condenados e presos. Uma gorda safra de condenações jamais imaginada.
A atividade no serviço público, tantas vezes mais patrimonialista que público, estava contaminada há décadas. Mas tende a mudar. As lições vêm sendo duras. Neste cenário, notável tem sido o desempenho das autoridades, reabilitando-se de crônica indolência do passado. Ministério Público Federal, Judiciário, Polícia Federal e Receita Federal, além da imprensa, marcam uma época de ouro para estas instituições. A facilitar as coisas, o advento da Lei da Delação Premiada, de 2013, a contribuir decisivamente para desvendar os grandes ilícitos das origens remotas às atuais incriminações judiciais.

Lasier Martins - senador

Balancinho gostoso

Acordo entre o governo do Rio de Janeiro e o Comando Vermelho. Só faltava essa

Realmente eu tenho razão quando digo que o time de Pezão - Dornelles é muito fraco. Vejam vocês: o secretário estadual de Administração Penitenciária, o coronel PM Erir Ribeiro propôs ao juiz da Vara de Execuções Penais, Eduardo Oberg negociar um acordo com o Comando Vermelho. 
Onde nós estamos? Esse secretário não tem condições de permanecer no cargo. O Estado não senta para negociar com os servidores, mas quer negociar com o Comando Vermelho. 
O juiz Eduardo Oberg anunciou que vai pedir ao Ministério Público Estadual a abertura de inquérito por improbidade administrativa contra o coronel Erir Ribeiro. 
Diante dessa proposta indecorosa de acordo com o Comando Vermelho eu é que tenho vontade de dizer: "Vambora, Ademário".

1ª trilha 4X4 - Acari RN

Mediocridade e Fascismo ✰ Artigo de Astor Wartchow

 
As recentes ocupações, depredações e violações do espaço público da educação em vários pontos do país apenas confirmam o que já se sabia e previa.
 Ou seja, o estrago causado pela demagogia e hegemonia político-ideológica adquiriu proporções gigantescas e  incontornáveis.
 Em meus artigos sempre utilizei a expressão "autodenominados partidos de esquerda" porque tais grupos não são de esquerda. São uma deturpação dos ideais da verdadeira e histórica esquerda nacional.
 A recente experiência de poder, e consequente populismo, soberba, arrogância e corrupção sistêmica, revelou sua face e prática fascitóide.
 Se a pacificação dos ânimos pessoais e a correção da economia levarão anos para serem normalizados, os danos causados no ambiente educacional são quase irreparáveis.
 Seja no ambiente do ensino médio, seja no universitário, tanto no corpo discente quanto docente, predomina o constrangimento ao exercício pleno da liberdade de pensamento e expressão.
 Muitos alunos e professores, por seus interesses na carreira e preservação pessoal, e às vezes também por medo e constrangimento, calam-se e submetem-se.
 Pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, como reza a constituição, deixaram de ser um parâmetro, um ideal e um direito. O ambiente escolar público (razão e metas) deixou de ser um projeto da nação para tornar-se um  campo de dominação político-partidária.
  O ideal do pluralismo de pensamento e expressão deu lugar ao pensamento único. Típica prática fascista e totalitária.
 Entre as dezenas de imagens deprimentes que assistimos nos últimos meses - escolas fechadas e depredadas, alunos e professores impedidos de ingressar e exercer seus direitos e ofícios, nenhuma foi mais violenta e simbólica de nossa decadência e omissão quanto aquela imagem que mostrou o professor escrevendo no quadro-negro e o aluno rebelde ao seu lado apagando imediatamente o conteúdo didático. Sem constrangimento e sem pudor.
 Os ditos e autodenominados partidos de esquerda têm em seus manuais (e documentos partidários) a pretensão e objetivo da hegemonia e controle ideológico.
 Nos tempos de Mao Tsé-Tung (China) e Adolf Hitler (Alemanha), sua juventude amestrada queimava livros em praça pública. No Brasil, agora, depredam escolas e apagam as lições do quadro negro! 
Astor Wartchow

30 de Junho - Dia Nacional do Fiscal Federal Agropecuário

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Globo exibirá primeira relação sexual entre dois homens em novela

A Globo exibe no próximo dia 12 a primeira cena de sexo entre dois homens na história das telenovelas brasileiras. Os protagonistas serão os atores Ricardo Pereira e Caio Blat, que interpretam, respectivamente, Tolentino e André em Liberdade Liberdade, novela das onze. A cena, já escrita pelo autor Mario Teixeira, foi liberada pela direção da Globo. Irá ao ar numa terça-feira, depois das 23 horas.
Maria Immacolata Vassallo de Lopes, coordenadora do Centro de Estudos de Telenovela da Escola de Comunicação e Artes da USP, diz que a cena representa um avanço na abordagem do tema. “É um fato inédito. Vejo como uma conquista (…) As novelas estão avançando no tema. O horário da trama, o atual momento social, é tudo oportuno”.
Durante muito considerada um momento de descontração familiar, as telenovelas hoje tem servido como ferramenta de doutrinação, aliando-se a agendas pouco populares da esquerda, que deseja impôr os seus valores (ou a ausência deles) aos cidadãos de bem.
A apologia desesperada da rede Globo não reflete as preferencias das familias brasileiras. É claro que devemos ser tolerantes no sentido de respeitar a opção sexual de cada pessoa, mas ninguém é obrigado a concordar com tais escolhas, e muito menos deveria ter a sua privacidade invadida por tal programação.
No entanto, ainda cabe a nós exercer nossa liberdade de escolha e mudar de canal (ou desligar o televisor), pois embora a Rede Globo tenha o poder de escolher a programação, é você quem decide o que deve ou não assistir.
video

A Lei Rouanet e a 'boquinha' generalizada ✰ Comentário de Joice Hasselmann

video
Pessoal, para que serve a lei ROUANET mesmo? Para financiar um bando de artistas bicho grilo do tipo que ninguém quer pagar pra ver e também pra bancar esquemas de corrupção. Hoje um grupo foi parar na cadeia. Espia pessoal. Compartilhe pra valer!!!

A ordem da Máfia é: “tirem o Bolsonaro do nosso caminho, o quanto antes!"

A bandidagem comandada por um grupo seleto de mafiosos, diante da ameaça que se tornou o Deputado Jair Bolsonaro, deve ter emitido uma ordem expressa, para aqueles interessados em manter a corrupção e a roubalheira, nos seguintes temos: tirem esse deputado Bolsonaro do nosso caminho.
Vejam: se ele não aparece nas delações iniciais da Lava Jato, nas delações de Pedro Correia e nem na de Sérgio Machado, esse cara poderá ser, no futuro, um sério obstáculo as nossas pretensões de roubar. Portanto, arrumem qualquer coisa que ele tenha dito ou feito e avisem aos “Picaretas” que sujem a ficha dele e, assim, só assim, o dito cujo não será o nosso adversário nas urnas em 2018.
Ah! Parabenize também, Maria do Rosário, ela fez um belo trabalho ao infernizar a vida dele e, com isso, nos ajudar a fazer por onde o ex-capitão do Exército seja expurgado do meio dos que, hoje ainda se auto intitulam honestos. Tirar essa obsessão do nosso caminho já é meio caminho andado para, de posse da chave do cofre, deixar vocês também fazerem a festa.
Se esse cara continuar a subir nas pesquisas, poderá ganhar as eleições, vai colocar uma porção de milicos nos pontos chaves da Republica e nunca mais nós conseguiremos mandar um dinheirinho roubado para a Suíça e adjacência. Em tempo: se ficar difícil peçam ajuda ao pessoal da Toga preta, também é uma alternativa.
Ora! Senhores, isso é ficção? Sim, pode até ser, mas que é visível a todos os brasileiros, isso não tenha dúvida. É bem possível que eles concretizem as suas intenções, porque aqui no Brasil, você só consegue furar esse bloqueio se mantiver e lustrar o carimbo recebido na hora em que nasceu: “LADRÃO”.

Placas de praias pelo mundo

Artistas enriquecem com a Lei Rouanet... Brasileiros morrem nos hospitais do SUS

O cientista político, Gaudêncio Torquato fala sobre a lei Rouanet:
“Enquanto faltam leitos, não tem médicos, não tem escola, vejamos;
Em 2003, 2006, 2007 e 2010/11, o ator Paulo Betti recebeu um total de R$ 3.748.799,90 dos cofres públicos.
Aderbal e Marieta Severo já receberam R$ 7.613.273,00 via Lei Rouanet! Deste total, R$3.360.555,66 vieram da Lei Rouanet e R$ 388.244,00 do Min. da Justiça.
Ator e diretor Aderbal Freire Filho, que vive com Marieta Severo desde 2004, captou via Lei Rouanet R$ 908.670,00 em 2009.
Marieta só da Petrobras recebeu R$ 400.000,00 em 2012, R$ 400.000,00 em 2013 e 2014 e R$ 400.000,00 em 2015.
Contribuinte financiou Marieta Severo em R$ 5.392.183,00 em 9 anos sem retorno financeiro;retorno cultural apenas para grupo restrito deles.
Característica bizarra dos shows e atividaDe 2006 a 2011, Marieta Severo conseguiu nada menos que R$ 4.192.183,00 pela Lei Rouanetdes culturais financiadas p/Lei Rouanet: raramente algum desses eventos tem entrada gratuita.
Contribuinte q/ paga para assistir o que já foi pago por nós. Só as 5 das celebridades citadas receberam R$ 14.427.383,00 via Lei Rouanet
Sula Miranda, Marisa Monte e Maria Rita receberam, cada uma delas, mais de R$1 milhão, contemplados pela mesma lei. Isso sem falar em Erasmo Carlos (recebeu R$ 1.219.858,00 por um show para celebrar seus 70 anos).
Lei Rouanet; A verdade, segundo jornalista Zarif Zarife a Lei existe há 24 anos. Virou fonte de dinheiro fácil para gente famosa nestes 13 anos de petismo.
2013, Rita Lee recebeu R$ 1.852.100,00 para 5 shows, um DVD e 3 palestras, Claudia Leite abocanhou R$ 5.883.100,00 por 12 shows no Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
O projeto Santander Cultural 2015 recebeu em 2014 a bagatela de R$ 13.814.806,36 via Lei Rouanet. Desde quando o contribuinte brasileiro tem de financiar atividade cultural de um dos grandes bancos internacionais?!
Só em 2013, foram captados R$ 42.754.932,14 (pessoas físicas e jurídicas) dos R$ 117.970.281,19 autorizados via Lei Rouanet
Camila Pitanga captou R$ 1.257.102,00 aprovados pela Ancine para fazer o filme “Pitanga”, para “retratar o artista que é meu pai: Filha de Pitanga, enteada de Benedita da Silva, ex-senadora, ex- ministra, ex-governadora do Rio de Janeiro e atual deputada federal(*PT).
Lembro que; Em 2015, o governo federal cortou 30% das verbas das universidades federais. “
Gaudencio Torquato
video
O samba mudou? Ou mudei eu?

Série Desconstruindo Falsos Heróis #2 - Zumbi dos Palmares

video

Vídeo mostra Ciro Gomes planejando sequestrar Lula para livrar ele do Juiz Sérgio Moro

Ciro defende 'sequestrar' Lula em caso de pedido de prisão

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) defendeu um "sequestro" do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caso o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, decrete a prisão do petista, o que segundo ele estaria "fora das regras do estado democrático de direito". 
A informação é do site da revista Veja.
Ciro explicou sua ideia criminosa, feita em entrevista desmiolada ao jornal O Globo: 
- Se a gente formar um grupo de juristas, pode pegar o Lula e entregá-lo numa embaixada. À luz de uma prisão arbitrária, um ato de solidariedade particular pode ir até esse limite. Proteger uma pessoa de uma ilegalidade é um direito.
Ciro Gomes nunca propôs nada semelhante para bandidos como Escadinha ou Pé na Jaca.
video

Conservadores, entendam porque Bolsonaro deve ser seu candidato:

Conselho de Ética instaura processo disciplinar sobre Jair Bolsonaro

Para o PV, autor da representação, deputado fez 'apologia ao crime de tortura'.
Em nota, Bolsonaro disse que processo não deve resultar em sanção.

O Conselho de Ética da Câmara instaurou nesta terça-feira (28) processo disciplinar sobre o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para apurar se ele quebrou o decoro parlamentar ao reverenciar o coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, reconhecido como torturador pela Justiça, durante a votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff.
Para o PV, autor da representação contra ele, a forma como o deputado se referiu à “memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”, constitui uma “verdadeira apologia ao crime de tortura”.
Reconhecido pela Justiça brasileira como torturador no período da ditadura militar (1964-1985), Ustra, que morreu aos 83 anos em 2015, foi apontado como algoz por dezenas de perseguidos políticos.
Ao proferir o seu voto na votação da abertura do processo de impeachment na Câmara, realizada no dia 17 de abril, Bolsonaro disse: “Pela memória do Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff”.
Na ocasião, Bolsonaro rebateu a acusação e disse que "em nenhum momento foi feita homenagem a qualquer torturador, considerando a inexistência de sentença condenatória atestando que o Coronel Ustra tenha praticado crime de tortura".
Em nota divulgada nesta terça, após a decisão do Conselho de Ética, Bolsonaro disse que a abertura do processo não deve resultar em sanção contra ele. Segundo o deputado, ele estava proferindo uma opinião ao falar de Ustra, o que, segundo Bolsonaro, é assegurado ao parlamentar (veja nota completa ao final desta reportagem).
"O assunto, por demais conhecido, foi a referência que fiz ao Coronel Brilhante Ustra ao proferir meu voto na sessão de impeachment da Presidente Dilma e que, certamente, não deverá motivar qualquer sanção, já que se trata de opinião de parlamentar, proferida em plenário da Câmara dos Deputados", afirmou o deputado na nota.
A representação contra o deputado foi protocolada no dia 26 de abril, mas o processo não pôde ser instaurado antes porque a pauta do Conselho de Ética estava trancada pelo processo do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O PV reconhece que Bolsonaro tem “o direito de expressar suas preferências e simpatias”, mas ressalta que ele não pode “enaltecer crimes ou criminosos”.
“Um atentando contra os direitos humanos e em um desrespeito para com aqueles que foram torturados no período da ditadura militar”, diz um dos trechos da representação.
O presidente do conselho, José Carlos Araújo (PR-BA), ainda irá escolher o relator entre três nomes a serem sorteados entre os integrantes do colegiado. Pelas regras do Código de Ética, o relator não pode pertencer ao mesmo estado do representado (RJ), ao mesmo partido (PSC) ou bloco parlamentar ou ainda do partido autor da representação (PV).
Diante disso, sobraram seis deputados que preenchem esses requisitos: três do PT e três do PR: João Carlos Bacelar (PR-BA), Laerte Bessa (PR-DF), Wellington Roberto (PR-PB), Leo de Brito (PT-AC), Zé Geraldo (PT-PA) e Walmir Prascidelli (PT-SP). Os nomes sorteados foram Zé Geraldo, Wellington Roberto e Valmir Prascidelli.
O deputado Marcos Rogério (DEM-RO), relator do caso de Cunha, também poderia entrar no sorteio, mas Araújo decidiu deixá-lo de fora uma vez que acabou de relatar o processo anterior.
Araújo disse que deverá anunciar a escolha do relator na semana que vem. Ao relator caberá elaborar um parecer preliminar para opinar se a representação tem fundamentos suficientes para o prosseguimento do processo. Se o conselho entender que a investigação deve continuar, será aberto prazo para a coleta de provas e a apresentação de um parecer final.
Pelo Código de Ética, as punições previstas vão desde advertência e censura à suspensão ou cassação do mandato.
A instauração do processo contra Bolsonaro aconteceu em uma sessão esvaziada, com a presença apenas de Marcos Rogério, Júlio Delgado (PSB-MG) e Alberto Filho (PMDB-MA), além de Araújo. No final da sessão, o deputado Capitão Augusto (PR-SP), que circula de farda pela Câmara, chegou para acompanhar a instauração do processo, mas não chegou a se manifestar.
Por se tratar de um ato administrativo, não havia necessidade de quórum na reunião. A abertura do processo e o sorteio poderiam ter sido realizados até mesmo na sala do Conselho de Ética.
Diante da ausência de boa parte dos 21 membros titulares, Araújo fez uma crítica ao fato de os parlamentares terem sido liberados nesta semana pela Mesa Diretora por contas das festas juninas. “Se fomos convocados, estamos obrigados de aqui estarmos. No meu estado, o São João é muito forte”, afirmou Araújo, que é da Bahia.
Veja a íntegra da nota de Jair Bolsonaro:
"Nota à imprensa
Trata-se de denúncia feita pelo Partido Verde (PV), um dos partidos de esquerda contumazes em apresentar representações contra parlamentares que os incomodam e que, por força do Regimento Interno, obrigatoriamente motivam a instauração de processo.
O assunto, por demais conhecido, foi a referência que fiz ao Coronel Brilhante Ustra ao proferir meu voto na sessão de impeachment da Presidente Dilma e que, certamente, não deverá motivar qualquer sanção, já que se trata de opinião de parlamentar, proferida em plenário da Câmara dos Deputados.
A menos que os próprios Congressistas queiram dar munição àqueles que insistem em relativizar a imunidade parlamentar assegurada no artigo 53 da Constituição Federal."
video

Alexandre Frota manda um recado para artistas a PF tá na rua pegando quem roubou a Lei Rouanet

video

Polícia Federal faz 'Operação Boca Livre' contra desvios de R$ 180 milhões na Lei Rouanet.

Grupo atuou por 20 anos no Min.C e desviou cerca de R$ 180 milhões.

A Polícia Federal prendeu 14 pessoas na manhã desta terça-feira (28) em São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, durante operação que apura desvios de recursos federais em projetos culturais com benefícios de isenção fiscal previstos na Lei Rouanet.
Segundo as investigações da Operação Boca Livre, um grupo criminoso atuou por quase 20 anos no Ministério da Cultura e conseguiu aprovação de R$ 180 milhões em projetos fraudulentos. Boca Livre é uma expressão que significa festa onde se come e bebe às custas de outras pessoas.
O desvio ocorria por meio de diversas fraudes, como superfaturamento, apresentação de notas fiscais relativas a serviços e produtos fictícios, projetos duplicados e contrapartidas ilícitas realizadas às incentivadoras.
Os donos da produtora Bellini Cultural e o produtor cultural Fábio Ralston estão entre os presos já levados para a sede da Polícia Federal de São Paulo, na Zona Oeste da capital paulista.
Os presos devem responder pelos crimes de organização criminosa, peculato, estelionato contra União, crime contra a ordem tributária e falsidade ideológica, cujas penas chegam a doze anos de prisão.
Festas particulares
A Polícia Federal concluiu que diversos projetos de teatro itinerante voltados para crianças e adolescentes carentes deixaram de ser executados, assim como livros deixaram de ser doados a escolas e bibliotecas públicas.
Os suspeitos usaram o dinheiro público para fazer shows com artistas famosos em festas privadas para grande empresas, livros institucionais e até a festa de casamento de um dos investigados na Praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis, Santa Catarina. A festa de casamento era de Carolina Monteiro e Felipe Amorim e teve a presença de um cantor sertanejo.
Mandados judiciais
Além das 14 prisões temporárias, 124 policiais federais cumpriram 37 mandados de busca e apreensão, em sete cidades no estado de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília
O inquérito policial foi instaurado em 2014, após a PF receber documentação da Controladoria-Geral da União sobre desvios de recursos relacionados a projetos aprovados com o benefício fiscal.
A Justiça Federal inabilitou algumas pessoas jurídicas para impedi-las de apresentar projetos culturais no MinC e na Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Também foi realizado o bloqueio de contas bancárias e o sequestro de bens como imóveis e veículos de luxo.
Entre os alvos da operação, estão o Ministério da Cultura,o escritório Demarest Advogados, a empresas Scania, Roldão, Intermédica Notre Dame, Laboratório Cristalia, KPMG, Lojas CEM, Nycomed Produtos Farmacêuticos e Cecil.
O que dizem os suspeitos
O escritório Demarest Advogados informou por meio de nota, que o objetivo da visita dos policiais "foi a solicitação de documentos e informações relacionados a empresas de marketing de eventos que prestaram serviços ao escritório no âmbito da Lei Rouanet". "O escritório enfatiza que não cometeu qualquer irregularidade, e informa que colaborou e continuará a colaborar com a investigação", diz a nota.
A empresa Roldão disse que contratou "a Bellini Eventos Culturais para a realização de dois projetos culturais e que, na manhã desta terça-feira (28), teve que apresentar à Polícia Federal documentação referente a esses serviços".
"A empresa informa que não é alvo da operação e que já entregou à força-tarefa todos os documentos solicitados. Por fim, reforça que está colaborando com a investigação, à disposição de todas as autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos e que não admite qualquer tipo de irregularidade ou ilegalidade em suas atuações", diz a nota.
A Scania informou que tomou conhecimento pela manhã da operação Boca Livre e "que está colaborando integralmente com a investigação e à disposição das autoridades".
A KPMG no Brasil disse que não é objeto de investigação. "O fato da PF comparecer ao nosso escritório se deu pelo cumprimento de diligência para coletar documentos referentes a contratos com empresas de publicidade e propaganda (alvos da investigação) e que prestaram serviços para a KPMG no apoio a projetos culturais", diz nota.
"A KPMG, certa de que não cometeu qualquer ato ilícito, está e continuará a contribuir com as autoridades de maneira transparente para o fornecimento das informações necessárias".
A empresa Lojas CEM afirmou que "deu todo o apoio ao bom andamento da diligência e comprometeu-se a prestar toda a colaboração necessária para o esclarecimento dos fatos. Informamos que os projetos culturais nos quais investimos foram feitos, de nossa parte, dentro da mais absoluta regularidade. Como sempre, a postura da Lojas CEM com todas as pessoas e instituições com as quais se relaciona é de total transparência e completa lisura."
As demais empresas foram procuradas nesta manhã pelo G1, mas até a última atualização desta reportagem não haviam comentado.
Entenda a lei
A Lei Rouanet foi criada em 1991, durante o governo Fernando Collor (PTC/AL). A legislação permite a captação de recursos para projetos culturais por meio de incentivos fiscais para as empresas e pessoas físicas. A Lei Rouanet permite, por exemplo, que uma empresa destine parte do dinheiro que iria gastar com impostos para financiar propostas aprovadas pelo Ministério da Cultura.
Até abril deste ano, cerca de 100 mil projetos obtiveram autorização para captar via Lei Rouanet, ou 83% dos que foram apresentados, segundo o Ministério da Cultura. Desses, 47 mil fizeram captação efetivamente, totalizando quase R$ 15 bilhões investidos."
Laboratório
Segundo a PF, a Operação Boca Livre foi a primeira a utilizar o Laboratório de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro de São Paulo, que cruza milhares de dados e informações. O laboratório será utilizado também na análise do material apreendido pela Polícia Federal.

O político e algumas ramificações

Como a Petrobras foi parar no fundo do poço ✰ Artigo de Estevão de Luna Freire

Fatos relevantes no 1º. semestre de 2016: O balanço da Petrobrás relativo ao 1º. trimestre de 2016, registrou um prejuízo de R$ 1,246 bilhões, determinado por: a) maiores despesas de juros e variações monetárias e cambiais negativas; b) redução de 7% da produção de petróleo e gás natural (Brasil e exterior); c) queda de 8% na venda de derivados no mercado doméstico; d) aumento dos custos com depreciação; e) maiores gastos com ociosidade de equipamentos, principalmente de sondas.
A Petrobras concordou com o China Exim Bank um financiamento no valor de US$ 1 bilhão, para fornecimento de equipamentos e serviços por parte de empresas chinesas. No dia 23/05 Petrobras informou que colocou títulos no mercado de capitais internacional, no valor de US$ 6,75 bilhões e vencimentos de 5 e 10 anos, a juros de 8,625 a 9,0%, para atender necessidades corporativas e fazer caixa.
A Petrobras vendeu para Pampa Energia sua participação na Petrobras Argentina (PESA), e para a Southern Cross Group 100% da Petrobras Chile Distribución Ltda. (PCD). No dia 07/06 Petrobras deu início ao processo competitivo para a venda dos seus terminais de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Rio de Janeiro e no Ceará, com termelétricas associadas a esses terminais, dando continuidade a venda de ativos para reduzir a dívida e fazer caixa.
Balanço do exercício 2015: A Petrobrás registrou um prejuízo (recorde) de R$ 34,836 bilhões em 2015 e de R$ 36,938 bilhões no 4T-2015, ocasionado por: i) impairment (ajuste) de ativos e de investimentos, principalmente em função do declínio dos preços do petróleo e incremento nas taxas de desconto, reflexo do aumento do risco Brasil pela perda do grau de investimento (R$ 49,748 bilhões); ii) despesas de juros e perda cambial (R$ 32.908 milhões). O prejuízo de 2015 supera em 61% o registrado em 2014, de R$ 21,587 bilhões. O endividamento líquido foi de US$ 100,379 bilhões em 31.12.2015, 5% inferior (em dólar) em relação a 31.12.2014, sendo a empresa de capital aberto mais endividada da América Latina e Estados Unidos. Os investimentos foram de R$ 76,315 bilhões, 12% inferiores a 2014 (R$ 10,825 bilhões).
Plano de Negócios 2010-2014: Em 21/06/2010 a Petrobrás divulgava o seu ambicioso PN 2010-2014, com investimentos previstos de US$ 224 bilhões. A meta de produção de petróleo era fixada em 3,9 milhões boe em 2014 e projeção de 5,4 milhões boe em 2020.
Plano de Negócios 2015-2019: Em 29/06/2015 a Petrobrás anunciava o seu novo Plano já em plena crise financeira, com investimentos reduzidos para US$ 130,3 bilhões. A produção de petróleo em 2015 foi de 2,7 milhões boe. A meta projetada para 2020 foi reduzida para 3,7 milhões boe. São estimados desinvestimentos recordes de US$ 15,1 bilhões no biênio 2015-2016 e de US$ 42,6 bilhões no biênio 2017-2018.
Causas: A utilização da Petrobrás como instrumento para atender aos fins políticos do Governo e seu partido foi a principal causa desta profunda crise em que ela se encontra. Várias decisões estratégicas e macro-econômicas levaram também o Brasil à recessão atual. “Lava Jato” não é causa, mas consequência, e o prejuízo causado pela corrupção sistêmica, como divulgado pela imprensa, pode atingir R$ 42 bilhões. O Governo promoveu um elevado nível de investimentos, com subsídios, para implantação de estaleiros em todo o Brasil, formação de mão-de-obra, e vários projetos com motivação política, criando uma capacidade não sustentável. O próprio BNDES foi manipulado para garantir apoio à política econômica do Governo. É provável que grande parte desta capacidade seja simplesmente destruída, com esta crise, resultando num enorme desperdício de recursos para o país. Foram desperdiçados também recursos para uma refinaria no Maranhão, que deu em nada, outra no Ceará, reforma na Abreu e Lima para processar o tal petróleo venezuelano, além da compra da refinaria de Pasadena que resultou em US$792 milhões de perdas. A SeteBrasil, em recuperação judicial, é um exemplo de má gestão de risco. Outra decisão nefasta, de caráter puramente populista, foi a mudança da legislação para o pré-sal com a obrigatoriedade da Petrobrás ser operadora com participação mínima de 30% em cada bloco, o que reduziu a possibilidade de dividir riscos e investimentos com outras empresas, contribuindo para o aumento da sua dívida.
*Um boe é a quantidade de energia contida em um tambor do óleo cru.
Estevão de Luna Freire - Milano, Italia, 17/06/2016 77
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...