sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

A febre Bolsonaro que tomou o país

Quem já viu em alguma época, em toda história do Brasil, o povo criar uma candidatura,
 fazer campanha por conta própria e inclusive custear outdoor para o candidato?

Esse candidato chama-se *JAIR MESSIAS BOLSONARO*, um fenômeno, um caso inédito em toda a história política do Brasil. Uma sugestão à candidato que surgiu do povo, no meio do povo, Sugerida pelo Povo e por isso é odiado pela mídia prostituída que sobrevive do puxa-saquismo, e pelos políticos corruptos com medo de perder o paraíso da corrupção. Medo esse tão grande que fizeram até uma Reforma Política para dificultar sua candidatura em 2018 e o desempenho da sua campanha. Mas não adianta, pois o povo se antecipou e faz campanha de graça nas redes sociais e agora em outdoors. 
Segundo a Constituição *"TODO PODER EMANA DO POVO"*, só não adere à campanha de Jair Bolsonaro quem não sabe nada sobre ele, mas apenas a difamação distorcendo suas palavras e atitudes, promovida pela mídia, principalmente a Rede Globo, sua maior inimiga. 
Mas, estes outdoors, revelam crescimento da mentalidade brasileira, uma inspiração dos americanos, pois nos Estados Unidos os próprios eleitores ajudam a financiar campanhas. Enquanto no Brasil (por enquanto), os candidatos compram votos /e eleitores vendem, nos Estados Unidos é o contrário, os eleitores investem na campanha de candidatos que eles acreditam. Assim, numa mudança surpreendente no Brasil, os vendedores de votos estão sendo substituídos por investidores de campanha voluntária. Eu mesmo sou um que faço campanha da graça há 2 anos, quando Bolsonaro só tinha 2% nas pesquisas. Hoje é 1º lugar como *PRÉ-CANDIDATO* nas Regiões Sul, Sudeste, Centro-oeste e Norte, faltando conquistar apenas o Nordeste, o que será apenas uma questão de tempo.
*VENHA LUTAR CONOSCO E PARTICIPAR DESTE EXÉRCITO DE PATRIOTAS!*

Na sua casa tem quantos votos pro Bolsonaro?

Populares jogam 'Fezes' em Geraldo Alckmin após uma passeata com outros políticos

 
Após fazer uma passeata com outros políticos e assessores parlamentares o novo presidente do PSDB Geraldo Alckmin foi recebido por populares com uma chuva de merda líquida. 
Os populares estavam revoltados e decidiram expor sua revolta usando algo bem diferente das tradicionais ovadas,Geraldo Alckmin é um dos presidenciáveis que irão concorrer a vaga de presidente do Brasil em 2018 junto com outros nomes de força como Jair Messias Bolsonaro. 
Um caso de ovada também aconteceu com Lula,porém os populares não esperaram o Ex presidente sair de dentro do ônibus e atiraram vários ovo podres que acertaram o para brisa do veiculo. 
Geraldo Alkmin causou polêmica e revolta esta semana após pagar com duas notas de 100 reais dois cafezinhos que custava R$:9,50 Detalhe Geraldo não quis o troco e deixou de “Gorgeta”.

Jair Bolsonaro dá aula na entrevista para a Revista Veja - A melhor de todas as entrevistas

   

De relho em punho, sargento Flávia Cristina volta a cutucar lulopetistas que querem vir a Porto Alegre

 
A sargento contratou o advogado Bruno Dornelles para buscar os IPs dos lulopetistas que a ameaçam de morte, 
visando processá-los civil e criminalmente.

A sargento Flávia Cristina voltou às redes sociais com novo e contundente vídeo com críticas às manifestações que o lulopetismo programa para o dia 24 em Porto Alegre. No vídeo, Flávia aparece com reluzente e pedagógico relho, que não está ali por acaso.
Há duas semanas, a sargento da Brigada, que é da reserva, obteve repercussão nacional, depois que desafiou os petistas através das redes sociais.
Neste novo vídeo, ela faz réplica aos insultos e ameaças que vem sofrendo, inclusive por parte da presidente do PT de Goiás, a deputada Adriana Accorsi, que desafiou-a para um duelo em Porto Alegre. "Quem é esta deputada petista que está na fila do pão ?", perguntou, debochada, Flávia, por WhatsApp.

A vida quer é coragem ✰ A trajetória de Dilma Rousseff

Corra para comprar o teu exemplar, antes que acabe...

Vereador lamenta que Maria do Rosário não foi estuprada e maltratada em assalto

Clóvis Bavaresco, vereador de Taquari (RS), comentou sobre o assalto de que foi vítima a deputada federal Maria do Rosário em Porto Alegre na noite de quarta, dia 27.
“Não a estupraram com violência? Não mataram nenhum parente dela?”, escreveu nas redes sociais. “Que pena! Ela deveria sofrer na carne!

Resumão Antagonista 2017: 1º, 2º, 3º e 4º trimestres ✰ Retrospectiva com Felipe Moura Brasil

   

Ah, esses gênios que pretendem votar em branco ✰ Artigo de Percival Puggina

Pesquisa do Instituto Paraná informa que quase a metade dos eleitores - 47,3% para ser exato - pretende votar em branco ou anular o voto para deputado federal na eleição parlamentar do ano que vem.
Não é uma beleza? O sujeito, por todos os motivos, está decepcionado com nossa representação política e convencido de que a maioria dos eleitores brasileiros é composta de irresponsáveis que só elegem filhos do capeta. Enojado por tanta safadeza, gostaria de ver todos longe do Congresso e presos. Qual sua reação? Faz beicinho, pega seus caminhõezinhos e vai embora dizendo que não brinca mais. Vai votar em branco, num gesto tão proveitoso quanto um chute na parede.
No entanto, é das pessoas conscientes da má qualidade de nossa representação parlamentar que se esperaria uma reação racional, capaz de promover a eleição de pessoas melhores, mais qualificadas. Ao eleitor indignado, o bom senso recomenda um chá de maracujá para acalmar, um bom período de observação da cena política no seu entorno, a análise dos nomes mais qualificados e o subsequente empenho pessoal para eleição, em 2018, do candidato escolhido.
Se, ao contrário, esses eleitores ficarem em casa, não entrarem na fila para votar, a única certeza possível em relação à próxima legislatura é a de que a quota de filhos do capeta será muito maior. E nossos amigos de beicinho estarão, queiram ou não, na fila dos que vão pagar a conta. Os que se lambuzaram junto com os corruptos e os que a eles venderam seus votos continuaram povoando o covil de ladrões. Só os indignados, os decepcionados e os que se julgam impotentes podem fazer diferença.
Atenção! Olha a ficha caindo! A campanha pelo voto em branco só não é patrocinada pela Organização Criminosa que devastou o país porque há quem, desinformado das consequências, faça a campanha por ela, afastando das urnas os eleitores de que os bons candidatos precisam.
Percival Puggina - membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor

Pablos pelo mundo afora ou 'Cada País tem o Pablo que merece'

Cavalo é flagrado com tornozeleira eletrônica no Paraná

 
Um cavalo foi encontrado na região do Jardim Ibirapuera, em Ponta Grossa, no interior do Paraná usando uma tornozeleira eletrônica. 
Na manhã de ontem, uma equipe de policiais foi ao local remover o aparato do animal e informou que o preso que deveria utilizar o aparelho perdeu o benefício e cumpre pena no regime semiaberto atualmente.
Além disso, a Secretaria de Segurança Pública emitiu uma nota oficial sobre o caso dizendo que "a tornozeleira encontrada está desativada desde fevereiro deste ano (...) e que todas as vezes em que há rompimento do lacre da tornozeleira ou desligamento (seja provocado ou por falta de bateria) um sinal é acionado no Centro Integrado".

Melhor cantor do ano é a prova de que o povo foi imbecilizado ✰ Comentário de Beatriz Kicis

O povo brasileiro chegou ao fundo do poço com a imbecilização generalizada. 
Sem educação decente jamais teremos uma chance de construir um país.

Sendero Luminoso!

Hoje ninguém se lembra das atrocidades cometidas pelos guerrilheiros comandados pelo Fidel Castro e seu cachorrinho de estimação, o Che Guevara, encarregados de disseminar o terror comunista pela América Latina. Hoje ninguém se lembra de dizer que “Che Guevara” comandou o fuzilamento, numa só madrugada, de seiscentos cubanos que não rezavam pela cartilha comunista. 
A imprensa mundial totalmente dominada pelas esquerdas, só publica as “atrocidades” cometidas pelo “Fujimori”, que botou mesmo p’ra quebrar contra os terroristas do “Sendero Luminoso”, a maior organização criminoso havida no Peru. Não se combate “demônios” com rezas, orações, hóstias consagradas, e outras “amenidades”; tem-se que usar os mesmos métodos usados pelos “terroristas”. Porrada se combate com porrada! Somos anjos ou demônios, dependendo da cabeça de cada um. 
No Brasil também ninguém se lembra das atrocidades cometidas pelos terroristas comunistas, comandados pela terrorista Dilma Rousseff; mas não se esquecem de esculhambar com os militares que lutaram contra esses comunistas que conseguiram escapar, e que hoje comandam esse inferno que virou Brasil. Ora, coronel, os militares de hoje são diferentes dos militares “gorilas” do seu tempo; hoje eles são “democratas”. Ora porra! – Cadê que esses “militares de hoje”, tão lindos, tão perfumados, tão “disciplinados”, tem peito, tem coragem, tem “culhão roxo”, para defender aqueles nossos velhos generais, que hoje estão sendo humilhados e ofendidos em seus túmulos? Tem porra nenhuma! 
Hoje Natal virou um verdadeiro inferno! Eu, como tantos outros, já fui assaltado: revólver apontado para os meus cabelos brancos, levaram tudo: meu carrinho branco, meu dinheiro, todos meus documentos; e o trabalho que eu tive, e que todos nós tivemos, para tirar novos documentos; a verdadeira via sacra que somos obrigados a percorrer, nessas sujas delegacias de polícia? Não estou aqui para defender esses que me assaltaram; mas sou obrigado a dizer que muitos desses assaltantes, muito deles “dimenor” são frutos dessa cambada de filhos da puta que tomaram conta do brasil, e que continuam, impunimente, comendo o queijo e bebendo do leite dos nossos filhos e netos.
Arre égua: -- vou ficando por aqui!

Estou com Lula em 2018 e não abro...

O ritual do Ano Novo

Mais alguns dias a expectativa de vida renova. É espetáculo na Terra
O Ano Velho se extingui. O ANO NOVO prometendo mais luz já se anuncia
2017 cabisbaixo se despede, nada mais oferece, para ele tudo se encerra
2018 mais jovial declara maior sorte para todos e com melhor cidadania.

A Terra revigorada jura a seus habitantes mais amor e prosperidade
Mais saúde, melhor bem-estar com vivência mais tranquila e amena
Um ANO mais razoável menos violento e entre as nações só felicidade
A aura do Planeta ficará mais leve e abençoada! O PAI assim ordena!

Um deslumbre a queima de fogos! Espetáculo visual há muito esperado
Fogos de artifício com pirotecnia clareia a noite para o encanto do povo
Braços estendidos, mãos apertadas, boas vindas 2018, sejas louvado.

ANO NOVO é festa da humanidade! É da Maria, é do Pedro, é da Marion
À viva voz entoam os segundos para o seu nascimento! Eis aí o Réveillon
No mesmo tom, com beijos e abraços todos bradam: FELIZ ANO NOVO!

Que o ANO de 2018 aceitando este humilde e despretensioso soneto, nos dê 365 dias de paz, amor, segurança, saúde, confiança e todas as demais necessidades básicas de que o país precisa, enxugando as lágrimas do Brasil que há muito chora por golpes sorrateiros da maioria dos nossos traidores políticos! 

Para todos os brasileiros deste imenso país que ainda "Dorme em Berço Esplêndido:
UM FELIZ, MILAGROSO E PRÓSPERO ANO NOVO!

Sazonalmente, o final do ano é ruim mesmo ✰ Comentário de Denise Campos de Toledo

O que esperar de 2018

Pois,
Lá se esvai 2017. Foi um ano nefasto.
A corrupção grassa em nossos governos federal, estadual e municipal.
As empreiteiras e seus empresários sangram a saúde, a educação e a segurança pública.
As polícias prendem e os tribunais de última instâncias soltam.
A corrupção infla o crime organizado.
Brasileiros morrem no sistema de saúde falido.
Morrem assassinados pela falta de segurança pública.
Morrem no trânsito pela falta de responsabilidades civis e criminais pelos motorista bêbados e drogados.
Um milhão de brasileiros por ano são apagados do tempo pelas irresponsabilidades governamentais.
Não nos damos conta dos mutilados, dos órfãos e dos pais que perdem seus filhos.
São apenas números estatísticos.
Ninguém escreve sobre os mais de 100 milhões sem acesso a um sistema dentário, banguelas da corrupção.
Não há o que festejar.
Cerca de um milhão com salários de nobres empresários, são funcionários públicos com aposentadorias milionárias.
Estatais que não dão lucro ao povo que na teoria seriam seus maiores acionistas.
O que esperar de 2018?
Assim como termina 2017 iniciará 2018.
Sera outro ano de manobras políticas e protecionistas dos grandes corruptos.
Haverá eleições?
O povo medíocre irá eleger de novo seus pajés e caciques corruptos.
Se venderão por pães com mortadelas e coxinhas.
Na criação de 130 mil empregos por mês, levaremos 100 meses para dar trabalho aos desempregados, quase 5 anos.
A política brasileira parece religião.
Divide o povo em castas, são papas, gurus, cardeais, bispos e párias.
O ano que vem serão mais de um milhão de pessoas serão mortas pelo sistema.
Criamos até figuras emblemáticas como punheteiro de transporte urbano, que chamam de assédio sexual e a justiça de atentado ao pudor.
Prendem um policial corrupto que aceita uma gorjeta de 200 reais, e lhe tiram o emprego, mal pago e sem governança social. Porem, outro de estirpe maligna recebe 50 milhões ou mais de propina e continua no seu cargo inatingível pelo foro de privilégio.
Que país é esse? O país é bom o povo é uma merda.
Feliz ano novo para todos.

Venezuela acaba de inaugurar o primeiro supermercado comunista do mundo

Passar o réveillon em Nova York será a maior roubada da sua vida

Opinião de Rosana Hermann que passou a noite de Ano Novo em Nova York e garante: a muvuca não vale a pena

Quando o assunto é Réveillon, não basta ter um destino na cabeça. É preciso planejamento, bom senso e pesquisa
Até o som era bonito: Réveillon em Nova York. Eu já tinha visto reportagens na TV, com aquela bola descendo à meia-noite na Times Square, coisa de cinema. E assim meu marido, meu filho, minha filha e eu, que há 20 anos passamos sempre o final do ano numa praia do Litoral Norte de São Paulo, decidimos celebrar a chegada de 2009 na neve de Manhattan. Com uma ideia na cabeça e várias malas em cada mão, embarcamos rumo a uma das maiores roubadas de nossa história familiar.
O hotel não era ruim, mas bom também não era. Pelo menos a localização era ok, perto da Times Square, perfeita para fazer tudo a pé. Afinal, Nova York é para andar, certo? Errado, pelo menos nessa época do ano, porque, para andar, é preciso ter chão, e chão não havia. Explico.
Tem fila pra entrar em restaurante, lanchonete, lojas. E pra fazer xixi? A fila para pegar a balsa para Ellis Island tinha uma demora de seis ho-ras. Museus? Lotados.
E ainda tinha os detalhes que eu só descobri lá: nos últimos dias do ano, a diária do hotel dobra. No 31, as pessoas chegam cedo à Times Square pra guardar lugar. E porque não dá pra sair de lá até a meia-noite, muita gente vai de fraldão! A tal bola? MUITO pequena. Celebração? Nenhuma. Não tem cantoria, champanhe. Nada.
Com todo mundo infeliz, resolvemos cancelar a festa em plena tarde de 31 de dezembro e voltar para casa. Por telefone, antecipei as passagens. Arrumamos as coisas e fomos para o aeroporto. Quando deu meia-noite, botamos óculos com moldura brilhante de 2009, uma comissária trouxe 5 mililitros de algo que tinha bolinhas, celebramos e aprendemos a lição: viagem boa é resultado de planejamento e pesquisa, não de meros desejos da cabeça da gente.

29 de Dezembro - Dia da Admissão do Texas

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

A China compra o Brasil como antes os Estados Unidos comprou o Alaska ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

Todos já observaram as frequentes visitas de empresários e autoridades chinesas interessados em “negociar” com os brasileiros. E também com outros países do Continente. O Presidente chinês, Xi Jinping, por exemplo, não esconde o “carinho” que dedica às futuras “possessões” do seu país nessa região. Mais parece que o seu intento seria tomar o lugar dos americanos no “coração” da economia sul-americana. Nesse sentido os “chinas” até já abandonaram o velho discurso marxista que condena a exploração imperialista de países ricos sobre países pobres. Mas... desde que os exploradores passem a ser eles próprios. O imperialismo chinês hoje é uma realidade. Seus tentáculos navegam pelo mundo. Pretendem dar um “Deixa Pra Lá” nos americanos, tomando o lugar deles.
Atento a essa realidade ameaçadora, o Deputado Federal Jair Bolsonaro alertou que “a China assume o controle de 20% do mercado de sementes de milho no Brasil” e que “O país está perdendo o controle da sua produção primária e da sua própria segurança alimentar”.
Lembro que nos anos 60 eu cursava o “Clássico”, no Colégio Júlio de Castilhos (o “Julinho”), em Porto Alegre, época de “ouro” dos embates políticos estudantis, em que os alunos se interessavam muito por essas questões. Havia correntes ideológicas para todos os lados, inclusive as mais radicais. As discussões eram fortes. De vez em quando ”rolava-o-pau”. Mas os “nacionalismos” da época se limitavam a criticar o domínio estrangeiro sobre o fornecimento de itens com alta tecnologia agregada.
Entretanto a realidade dos anos 60 ficou para trás. O domínio estrangeiro sobre a economia cresceu. Não é mais somente sobre produtos de alta tecnologia. É também sobre a “baixa” tecnologia. Não escapa nem mais a produção primária e as commodities. A área de “serviços”, transportes, fornecimento de alimentos, etc, em grande parte já passaram para os  “gringos”. Portanto as acirradas discussões estudantis dos anos 60 passaram a ser brinquedo de criança perto da “entrega” total que se vive hoje. Se as “esquerdas” do “Julinho” sonhassem com as peripécias políticas da esquerda moderna, certamente teriam grande decepção. Afinal essa nova esquerda é tão ou mais entreguista que a “direita”. A prova aí está. Deram de “mãos-beijadas” até os aeroportos. As “negociatas” e a corrupção correm soltas. A subavaliação dos bens privatizados continua sendo a regra. Retoma-se a política tucana entreguista e corrupta de FHC.
Ora, sabidamente quem domina a economia de um país domina o próprio país. Neste sentido Marx tinha razão: “o Governo é um comitê para gerir os negócios da classe dominante”. Essa frase foi um tiro que saiu pela culatra do pensador alemão. Nunca ele imaginou que a “sua” esquerda iria agir igual áqueles a quem ele tanto criticava. A China, que adotou o comunismo, hoje é “classe dominante”. Um “poder imperialista”.
Resumidamente, podemos afirmar sem medo de erro: um país PODE SER COMPRADO. No caso China-Brasil não seria uma compra direta, com “escritura pública”, ou similar. Mas está havendo uma compra indireta. Os chineses estão com muito dinheiro, num crescimento econômico espantoso. Com uma pequena fatia desse “bolo” poderá comprar o Brasil inteiro. Basta comparar os respectivos PIBs de um e outro. Em 2016, o PIB da China foi de 11,2 trilhões USD.  O do Brasil 1,7 trilhões USD. Quase 8 vezes menor. As privatizações “tupiniquins” que se anunciam, inclusive da Eletrobrás, vão ser uma festa para os “chinas”. Poderão comprar a estatal de energia com qualquer “trocadinho”.
A compra de um país por outro tem precedentes na história. Também ocorrem compras “parciais” de países, por exemplo, de uma fração do território. O caso do Alaska é típico e bom exemplo. Em 1867 o Alaska (1.600.000 Km 2), que pertencia ao Império Russo, na época com dificuldades financeiras, foi comprado pelos Estados Unidos pela “bagatela” de US$ 7.200.000,00, que corrigidos dariam hoje cerca de 100 milhões.
Portanto a única diferença entre o que aconteceu com o Alaska de 1867 e o que está acontecendo no Brasil de hoje, em relação à China, reside em diferentes enquadramentos de rubricas contábeis. Quem domina a economia, domina o país. E quem domina o país pode ser considerado dono desse mesmo país. Os brasileiros que se preparem para servir a seus novos donos e “senhores”: os chineses.
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo

Bolsonaro marca "GOLAÇO" ao escolher Ministro da Fazenda

 

Deputada comuno-petralha Maria do Rosário é assaltada e tem carrão importado roubado em Porto Alegre

 
A deputada fedeMal Maria do Rosário (PT-RS) teve o carrão importado roubado em um assalto no sofisticado bairro Chácara das Pedras, na zona norte de Porto Alegre, próximo ao Shopping Iguatemi no início da noite desta quarta-feira, numa situação muito semelhante ao que aconteceu também com ela no dia 24 de março de 2006. 
De acordo com o comunicado feito pela parlamentar à Brigada Militar, ela estava em frente à casa, carregando com bagagem o seu Citroen C3 para uma viagem quando, por volta das 19 horas, três ou quatro homens chegaram em um veículo vermelho (Maria do Rosário não soube especificar o modelo) e anunciaram o assalto. Pelo menos um deles estava armado. O veículo da deputada foi levado.
Maria do Rosário é aquela defensora dos estupradores, dos pedófilos, do desarmamento, e da extinção das policias militares no Brasil. Mas, quando é assaltada, é à Brigada Militar que ela recorre.

General Augusto Heleno: 'Interessa à quadrilha manter o povo ignorante"

"País perpetua exclusão, com 11,8 milhões de analfabetos”. Esse número e a não menos espantosa cifra de analfabetos funcionais explicam o resultado do Sr Luiz Inácio nas pesquisas eleitorais (ainda que altamente duvidosas). Daí emerge a massa de seus eleitores.
Esses dados comprovam o fracasso das duas décadas de lulopetismo. A imprensa canhota não faz essa relação. Política de Inclusão social, baseada em benefícios financeiros (sem valorizar educação e trabalho) e uma roubalheira desenfreada, nas obras e empresas públicas, empurraram o Brasil para índices africanos de desenvolvimento humano.
Desculpe a ironia, mas por incompetência, planejaram mal. Uma desconstrução mental mais vigorosa lhes garantiria o poder para sempre, mesmo negando à população saúde, escola, trabalho, segurança e, em última análise, liberdade de escolha. Estilo venezuelano.
Interessa a essa quadrilha manter o povo ignorante, desinformado e dependente da caridade institucional. Na hora H, mentiras, acompanhadas de um sanduíche de mortadela e uma gorjeta, resolvem.

Responda quem souber ou puder!

Lição esquecida ✰ Artigo de Osmar José de Barros Ribeiro

No dia de sua posse na Presidência da República, há 48 anos, o General Emílio Garrastazu Médici, em discurso público, afirmou o seguinte: "Não uso critérios políticos ou regionalistas, não pago dívidas eleitorais que não precisei contrair, não tenho a vocação do favoritismo e da cortesia no exercício de meu dever e me declaro incompetente na mecânica da composição, do conchavo, da barganha. Compromisso, só os tenho com a minha consciência e com o futuro de meu país".
Passados tantos anos, os ensinamentos de patriotismo, coragem moral e honestidade de propósitos deixados pelos Presidentes Militares, foram esquecidos por seus sucessores e pelos políticos em todos os níveis de poder. Lamentavelmente, as coisas chegaram a tal ponto que um deputado federal declarou, com todas as letras, ter vergonha do Congresso Nacional, onde muito poucos se preocupavam com os interesses do povo (trata-se do deputado federal Tiririca, duas vezes eleito pelo Estado de São Paulo, em discurso feito da tribuna da Câmara, no mês de dezembro de 2017).
Realmente, no Brasil, de há muito as coisas estão mal paradas. Na tal “constituição cidadã”, os constituintes foram pródigos na distribuição de direitos e parcos, muito parcos, na atribuição de deveres; em função da Lei Magna, proliferam qual fossem ratos, os “partidos de aluguel”; o Executivo partiu para os “governos de coalizão”, seja lá o que for que isso signifique; os parlamentares trocam seus votos no plenário por verbas para as “bases”, como se fossem profissionais do sexo; os dirigentes dos partidos preocupam-se, antes e acima de tudo, com suas ambições partidárias e pessoais. Na verdade, os reais interesses do País sequer são considerados.
É triste constatarmos que o levar vantagem em tudo se tornou palavra de ordem na atual legislatura (sem dizer que as anteriores fossem anjos de candura), dos pequenos municípios aos estados mais ricos. Olhem-se os exemplos do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul ou de Minas Gerais, para ficarmos naqueles que tem ocupado as manchetes dos jornais.
Lamentavelmente, não sabemos escolher os nossos representantes e estes, no mais das vezes, se elegem mais pelas promessas que fazem a grupos e indivíduos. No passado, vimos o eleitorado elegendo animais como rinocerontes para representa-lo. Hoje, temos um artista de circo (Tiririca, já referido anteriormente) se elegendo como deputado federal, com o bordão “Vote em mim. Pior do que está não fica”. E, pasmem, foi o candidato mais votado no Brasil, em sua primeira eleição, com cerca de um milhão e duzentos mil votos. São esses os eleitores que elegem presidentes, senadores e deputados. O que esperar disso tudo?
O ano de 2018 será um autêntico divisor de águas. Dependendo dos eleitos, do presidente da República e governadores de Estado aos senadores e deputados, tanto federais quanto estaduais, carimbaremos nosso passaporte para o sucesso ou o fracasso como Nação.
Quem nos dera que, para todos os cargos, sem exceção, os eleitos pudessem, de forma desassombrada, dizer em alto e bom som: Compromisso, só os tenho com a minha consciência e com o futuro de meu país.
Infelizmente, nossa memória é curta, muito curta. E, pelo andar da carruagem, tudo faz crer que o que nos foi ensinado pelo Presidente Médici, será mais uma lição lamentavelmente esquecida.
Osmar José de Barros Ribeiro

Após entrevista à Veja, Bolsonaro é elogiado pelo entrevistador na Jovem Pan


A meta dos políticos é o fim da Lava-Jato

O juiz Sérgio Moro, comandante da Operação Lava-Jato, está sendo atacado de várias formas porque anunciou que no dia 24 de janeiro acontecerá o julgamento do ex-presidente Lula na denúncia sobre o tríplex de Guarujá. 
Tem gente do PT convocando militantes para "invadir" Porto Alegre e acampar na frente da sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). O que se espera é uma atitude enérgica do Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o funcionamento normal daquele tribunal. 
De outro lado, é também motivo de estranheza que políticos presos por receber propinas, dinheiro de "Caixa 2" ou recursos de origem ilegal tenha autorização para pagar fortunas a advogados para defendê-los com o mesmo dinheiro que os levou para a cadeia, muitos deles sendo mandados cumprir pena em prisão domiciliar em mansões pagas com a mesma grana que roubaram – nesse item não tem faltado a ação do ministro "Soltador-Geral da República", Gilmar Mendes. 
Se continuar como está, o jeito é mesmo desistir e esperar o final dos tempos, nosso ou do mundo.

Como dispersar um grupo de feministas

Estaleiro diz ter pago propina em obra da Petrobras na gestão FHC

O estaleiro Keppel Felsted, no Rio de Janeiro

O estaleiro de Singapura Keppel Fels, um dos maiores fornecedores da Petrobras, afirmou, em acordo assinado com autoridades de três países, ter pagado propina para assegurar o ganho de um contrato com o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para a construção da plataforma P-48 da estatal, segundo informa o jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira.
O suborno de 300.000 dólares – equivalente hoje a 994.000 reais – foi pago nos anos de 2001 e 2002 para “funcionários do governo”, de acordo com o documento que está no Departamento de Justiça do Estados Unidos. O valor da propina, entretanto, seria menor do que os relatados em contratos fechados nos governos do ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rouseff (PT).
Conforme o jornal, no primeiro contrato do estaleiro com a gestão petista, em 2003, o valor da propina chegou a 13,3 milhões de dólares – 44 milhões de reais -, valor equivalente a 1% do custo da plataforma P-53, que foi de 1,3 bilhão de dólares, construída naquela época. Já no caso do suborno pago durante o governo de FHC, ele correspondeu a 0,03%, já que a P-48 custou por volta de 800 milhões de dólares.

Edição histórica da RETROSPECTIVA 2017 sob olhar GRANDE REVISTA VEJA e o que devemos manter EM 2018

O Estado omisso também mata seus policiais

A PMERJ, décadas atrás, possuía quadro de armeiro, quando as armas utilizadas não eram as automáticas e semi automáticas de hoje. Esse pessoal era responsável por manter o armamento limpo, lubrificado e manutenido, pronto para emprego e com a certeza de pleno funcionamento. As especialidades foram extintas e as armas e viaturas foram se sofisticando, agregaram tecnologia.
No caso das viaturas Sergio Cabral logo se encarregou de arranjar um caixa dois com a manutenção terceirizada, em 2008, quando uma viatura GOL custava cerca de R$ 27.000,00, sua manutenção teve um custo de R$ 300,00 por dia, R$ 9.000,00 por mês por viatura. A cada três meses o custo com a manutenção, que não havia, dava para comprar outra zero. Uma viatura nova tipo RP, só começa a exigir manutenção corretiva depois de dois anos, mas na manutenção terceirizada, com dois anos eles são descartadas.
No caso das armas não há nenhuma manutenção, nas UPPs eles viram dia e noite, sob sol e chuva, sofrendo com poeira e demais abrasivos da natureza. É claro que o policial não tem conhecimento, tempo nem preparo técnico para manutenir armas automáticas e semi automáticas, seguindo elas até que uma pane num momento critico, facilite a morte do policial. É reclamação latente no meio policial as panes das armas.
Fuzil estoura na mão de policial durante confronto em São Gonçalo.
Um policial ficou ferido após um fuzil estourar durante uma troca de tiros com dois homens armados em uma moto no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. O incidente aconteceu no início da noite de segunda-feira.
Segundo a PM, durante um patrulhamento, policiais militares do 7º BPM (São Gonçalo) foram atacados quando passavam pela RJ-104. Durante o confronto a arma de um dos policiais militares sofreu uma pane e estorou junto as mãos do policial. Os criminosos conseguiram fugir.
O policial militar foi atendido no Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), também em São Gonçalo, e liberado em seguida. A arma foi encaminhada ao Centro de Criminalística da Polícia Militar (CCrim) para perícia.

Eu não quero presente. Quero futuro.

Entidades ligadas ao MP questionam indulto de Natal assinado por Temer

Alegam que o presidente “extrapolou em muito os limites do que a Constituição lhe permite”

Aviso: Coreia do Norte tem batalhão suicida pronto para cometer atos terroristas

Pyongyang está se preparando "para enviar terroristas por todo o mundo com armas biológicas e químicas", 
assegurou um desertor norte-coreano.

Um desertor do regime da Coreia do Norte afirmou que Pyongyang possui um coletivo secreto de seguidores, como um "exército de robôs", que estão dispostos a "viver e morrer" por seu líder, Kim Jong-un.
Em entrevista ao jornal Express, Kim Joo-il, que fugiu do território norte-coreano, confirmou que a Coreia do Norte não possui força suficiente do ponto de vista militar para, por exemplo, "bombardear seus inimigos" em sentido tradicional, no entanto, ela conta com soldados prontos para "infiltrarem-se no mundo livre".
De acordo com este norte-coreano que agora reside em Londres (Reino Unido), seu país conta com um esquadrão suicida especialmente selecionado e composto por membros "escolhidos pelos líderes militares e treinados para serem armas e terroristas".
A atividade dessas pessoas, que não têm pensamento próprio nem "crenças pessoais", é limitada à obediência das ordenes do seu governo: "Vivem e morrem por Kim Jong-un" e "poderão atuar como terroristas suicidas", destaca o desertor.
Atualmente, grande parte de atenção da comunidade internacional é prestada aos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte. Entretanto, a verdadeira ameaça é sua intenção de "fabricar armas nucleares cada vez menores" que poderiam ser detonadas por um só agente.
Pyongyang tenciona "criar as chamadas mochilas nucleares" e "já está pronta para enviar seus terroristas por todo o mundo" com "armas biológicas e químicas", concluiu Kim Joo-il.

Evolução do transporte de lixo

A fake news de R$ 1 trilhão ✰ Artigo de Tito Guarniere

As chamadas “fake news” proliferam nas redes sociais. Os seus criadores confiam na falta de juízo e de reflexão crítica das massas que frequentam a internet. E em todos os lugares, e em todos os tempos, sempre está à mão um amplo contingente de pessoas ingênuas, docemente predispostas a acreditar em tudo o que ouvem e leem.
Mas as “fake news” também frequentam – e como frequentam! - os jornalões, as revistonas, as colunas de jornalistas, um pouco porque também não pensam direito, outro tanto porque, mesmo sabendo que a informação é falsa ou exagerada, ela serve aos propósitos de quem a publica.
Um assessor legislativo da Câmara dos Deputados fez - melhor seria dizer cometeu – um cálculo que, na Medida Provisória 795, as companhias petrolíferas teriam recebido uma dinheirama da ordem de R$ 1 trilhão de reais do governo, sob a forma de vantagens fiscais. Era um erro colossal, logo desmentido pela própria Câmara dos Deputados e pelo Ministério da Fazenda.
A bagatela, entretanto, ganhou vida própria e continua circulando como se fosse verdadeira. O desmentido não tem força de afastar o “fake” trilionário. O articulista da Folha Vladimir Safatle – que ninguém pode acusar de ter cuidado com o que escreve - foi mais longe: disse que o governo concedeu “isenção fiscal” de R$ 1 trilhão de reais em favor das petroleiras. Isso na mesma edição que o jornal publicou o desmentido.
Posso estar enganado, mas o “fake” do R$ 1 trilhão, ainda será usado e abusado por muito tempo pelos sites petistas, e quejandos, como prova do favorecimento das companhias de petróleo que irão atuar na exploração do pré-sal.
Outros “fakes” são um pouco mais sutis. O badalado jornalista Elio Gaspari é um dos campeões desse, digamos, estilo. Ele não ataca o ponto central de uma informação. As palavras dançam bem alinhadas na periferia da matéria, mas não entram no ponto nevrálgico.
Semana passada, na sua coluna, ele faz uma longa nota para abordar um dos fiascos mais espetaculares do governo Dilma, o FIES, o programa de financiamento estudantil que caminha para um rombo monumental nos cofres públicos, da ordem dos R$ 500 bilhões de reais.
E o que fez Gaspari? Ele preferiu alvejar as universidades privadas que se beneficiaram com o programa, porque foram “com muita sede ao pote”. E por que não iriam, se o programa estava ali, disponível? O medalhão do jornalismo dá voltas e voltas no assunto, e praticamente isenta de culpa o governo Dilma.
Ora, esse é um caso que só tem um culpado: o governo. O FIES era um programa concessivo, irresponsável demagógico e eleitoreiro. Ninguém pediu a Dilma que criasse um programa naqueles termos. As universidades privadas aproveitaram o mimo que lhes foi entregue de mão beijada e mandaram ver.
Os prejuízos que se acumulam e acumularão ainda mais, serão espetados – como em tantas vezes – na conta da Viúva, isto é, por conta do nosso rico dinheirinho.
Ao livrar a cara de Dilma pelo desastre, apontando o dedo para as universidades privadas que se beneficiaram do programa, Gaspari produziu um “fake” e tanto. Sofisticado, mas “fake”.
Tito Guarniere - bacharel em direito, jornalismo e colunista do jornal O Sul de Porto Alegre.

As declarações do ministro Carlos Marun não cansam de nos chocar ✰ Comentário de Vera Magalhães

Festança em presídio gaúcho é alvo de investigação do MP

O Ministério Público Estadual afirmou esta manhã que vai abrir um procedimento administrativo para investigar a realização de um churrasco de confraternização entre detentos no Presídio Regional de Santa Cruz do Sul, no domingo.
Fotos da festança, como a que ilustra esta nota, foram fartamente divulgadas nas redes sociais.
Entre outras coisas, o MP quer saber quem financiou a farra, que foi autorizada pela direção da casa prisional e na qual foram utilizadas quatro churrasqueiras, 40 espetos e 15 sacos de carvão.
O secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, não quis comentar o caso, deixando a responsabilidade à Susepe.

28 de Dezembro - Dia do Petroquímico

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Eleições 2018: Vitória da fraude eleitoral? Da idiotocracia política plena? ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

Têm-se como “favas contadas” que as eleições de outubro de 2018 serão realizadas sem grandes alterações nas regras eleitorais vigentes. Não haverá novidades. O tempo corre célere e já estamos “em cima do laço”, faltando menos de um ano para as “suspeitas” urnas do Tribunal Superior Eleitoral apontarem os vencedores.
Tudo foi planejado e preparado para que se mantenha o quadro de dominância política atual, dentro do “consórcio” espúrio “PT-PMDB-PSDB”, onde as “migalhas” são disputadas pelos outros partidos como se fossem ratos esfomeados - e que no fundo ainda tem o PT na liderança, apesar do impeachment de Dilma em 2014.
O futuro Presidente do TSE, por exemplo, Luiz Fux, que assume em janeiro de 2018, é “cria” política do Partido do Trabalhadores, nomeado Ministro do STF pela Presidente Dilma, do PT. No total, foram 7 (sete) dos 11 (onze) os Ministros do Supremo nomeados pelo PT. E tudo leva a crer que com essa nova indicação ao TSE não haverá qualquer alteração na sua “cultura”.     
Trocando em miúdos, seja com Lula, seja com um novo “poste” qualquer escolhido por ele, certamente a eleição presidencial poderá ficar na dependência muito mais das manobras, arranjos e “peripécias” internas no TSE, do que da escolha dos eleitores. Nem é preciso ir muito distante para essa constatação. Na eleição Presidencial do 2º Turno de 2014, por exemplo, a apuração das urnas só começou a ser divulgada pelo TSE/Globo no seu finalzinho, quando “milagrosamente” Dilma já estava ultrapassando o outro candidato, o “tal” Aécio Neves
A cara de “bunda” que o Bonner (apresentador da Globo, que tem o monopólio da divulgação) fez quando começou a anunciar os resultados, ”coincidentes” e no exato momento da “virada” de Dilma, diz tudo. Com certeza esse resultado foi manipulado e fraudado nos computadores do TSE. Se colocassem o Bonner nas “grades”, com uma colaboração premiada, certamente sairiam “cobras e lagartos”.                                               
“Mil” pareceres confirmam que essa “adaptação” seria possível devido à vulnerabilidade dessas urnas eletrônicas do TSE, que são idênticas àquelas que fraudam as eleições na Venezuela, pró- Maduro, o “Tirano” (as urnas da Smartmatic). Mas tudo ficou, e ficará, por isso mesmo. O TSE jamais respondeu essa acusação à altura.  A fraude continuará “correndo solta”.
Soma-se a essa certeza o fato da resistência radical do TSE em impedir uma apuração paralela das eleições de 2018, com voto impresso, ou similar. O TSE fez “vista grossa” a uma infinidade de apelos da sociedade brasileira.  E também é certo que essa orientação não será alterada com Luiz Fux na Presidência do TSE. É por isso que ele foi o escolhido “a dedo” pelo Supremo, cuja composição majoritária “ainda” é PT.
Mas tudo o que foi escrito até agora seria o “Plano 2”, o “Plano Alternativo”, da quadrilha de partidos encabeçada pelo PT. Esse plano seria colocado no “ar”, ”tirado da gaveta”, somente na hipótese das urnas do TSE estarem indicando uma provável vitória do adversário do PT, nem importa qual o candidato e o partido. Aí se daria a fatal “virada”, com o “milagre” das urnas.
Tudo isso significa garantir que o PT tem dois trunfos para sua vitória.  Com, ou sem ajuda das urnas eletrônicas. Como se sabe o eleitorado brasileiro não se enquadra entre os mais politizados e conscientes do mundo. Independentemente de quem seja o ocupante da Presidência da República, o quadro geral dos políticos eleitos para cargos executivos e parlamentares, em todos os níveis, deixa muito a desejar.  Parece que a tendência é trazer para a política a pior escória da sociedade. E parece que essa sociedade sente na própria carne o preço das suas equivocadas escolhas. Mas não se corrige. Acredita na “democracia” que lhe empurram goela-abaixo. Que nem é democracia verdadeira, porém OCLOCRACIA, uma falsa “democracia” praticada pela massa ignara em proveito da patifaria política.
Quando se consulta nas redes sociais “os dez passos para que um país atinja a idiotocracia plena”, em matéria de política, é de se ficar preocupado pelo fato do Brasil preencher todas essas dez condições, sem exceção. E se qualquer dos meus leitores me apontar “uma só” condição (da idiotocracia), das dez, que não se aplique ao Brasil, por intermédio da maioria dos seus eleitores, decisivos nas eleições, retiro na mesma hora todas as graves acusações que estou fazendo.
“Matando a cobra e mostrando o pau”, eis as 10 (dez) condições que caracterizam um povo afogado na IDIOTOCRACIA PLENA:
1- Acabar com a educação de qualidade: a técnica consiste em desmantelar a estrutura educacional, remunerar mal os professores e dificultar acesso a material didático;
2- Dar oportunidade para poucos: no Brasil as boas oportunidades são raras e residem mais na política e nos cargos privilegiados do Serviço Público;
3- Criar uma mídia inútil: o grande segredo está em manter em poucas famílias o controle da comunicação. Fica mais fácil de serem “comprados”;
4- Garantir um sistema de saúde que seja horrível: essa tragédia pode ser constatada por todos a qualquer momento. Só têm saúde de qualidade aqueles que podem comprá-la, pagando muito;
5- Cobrar altos impostos: o Brasil é campeão mundial na cobrança de impostos sem retorno correspondente à sociedade. Entidades internacionais idôneas apontam esse fato;
6- Tudo deve não funcionar: é só olhar para qualquer lado e ver como isso realmente acontece;
7- Promover o desemprego: todas as políticas públicas direcionam-se nesse sentido. O desemprego é crescente;
8- Garantir a impunidade: é só o que se faz no Brasil. A anistia natalina que agora mesmo Temer deu aos “seus” corruptos corrobora essa verdade;
9- Jamais investir em tecnologia: o Brasil não investe em novas tecnologias. Prefere investir na produção primária e commodities em geral;
10- Empregar “mágicos” no Governo: lamentavelmente, é só o que dá !!!
São duas, portanto, as alternativas para os “mesmos” continuarem mandando no Brasil. Tanto pode ser por uma delas, como pela outra. Os “caras” são safados, mas muito espertos;
Porém é bom ficar de olhos bem abertos desde agora. Está chegando o momento da Justiça Eleitoral entrar em campo e começar a pregação das suas mentiras, com intensa “lavagem cerebral”, tentando negar tudo o que foi escrito até agora. Ela vem com toda a força para mostrar as “maravilhas” da “democracia brasileira”, que ela controla, e da própria Justiça Eleitoral, quando na verdade o que ela estará fazendo é exatamente o contrário, cometendo um crime, pior que hediondo, contra o Povo Brasileiro.
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...