quarta-feira, 19 de abril de 2017

A ética na visão de Michel Temer

Temer reafirmou que não vai demitir nenhum ministro investigado na Lava Jato. Só se virar réu no STF. Em caso do MPF apresentar denúncia será afastado temporariamente até a Corte decidir se aceita ou não. Mas é um "código de ética" que lembra aquele criado por Sérgio Cabral. Um "código" de ocasião. Sim, porque o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB-AL) é réu no STF, por falsidade ideológica, e Temer nem cogita demiti-lo. Mas diz que algum dos nove ministros pode se sentir incomodado e pedir para sair. Ora, isso só mesmo se houver pressão das ruas, que no momento estão silenciosas, aliás, amanhã vou falar sobre esse tema. 
O presidente da República também jura de pés juntos que não pretende formar uma "tríplice aliança" com Lula e FHC para fazer um "acordão" para preservar PMDB, PT e PSDB nas eleições de 2018. 
Da mesma forma garante que a reunião que teve com executivos da Odebrecht, onde segundo delações teria pedido R$ 40 milhões para o PMDB, foi apenas porque eles queriam lhe dar um "aperto de mão", afinal na época era presidente do PMDB, nem vice-presidente da República ainda era. Essa é ótima! E pelo jeito o "aperto de mão" de Temer, em 2010, valia muito. 
A verdade é se tem uma coisa que não é seguida pelo atual governo é a ética. Quanto às versões de Temer, que acredite quem quiser.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...