quarta-feira, 19 de abril de 2017

Um ladrão, mesmo pilhado com o roubo, nunca admite que roubou

Esta semana, em pleno centro da cidade do Recife, em plena luz do dia, assisti um assalto. Um senhor grisalho saiu do banco e, depois de andar alguns metros, foi abordado por um elemento bem vestido e armado, que lhe pediu o envelope que carregava nas mãos. Sem esboçar reação alguma, a vítima entregou ao bandido o que lhe havia sido solicitado. O ladrão correu e, imediatamente, passou o fruto do roubo para outro compassa que vinha em sentido contrário.
O homem gritou pega ladrão e um policial que se encontrava civil saiu em perseguição ao bandido que, sem nenhuma reação, logo foi preso. Preso, mas não carregava mais o envelope consigo e, acusado pela pessoa que minutos atrás havia sido assaltada, retrucou e, com autoridade, disse que era engano, ele não havia cometido delito algum.
A vítima tinha certeza, outras pessoas, também confirmaram, mas o ladrão “jurava de pés juntos” que nunca viu nem pegou em envelope algum. 
À distância, o seu cumplice observava a confusão, mas pelo visto, também já havia passado o envelope no qual a vítima dizia ter colocado mais de 5 mil Reais
A polícia chegou, algemou e levou o bandido preso, mas além da palavra do homem assaltado, pois ninguém quis seguir como testemunha, não havia a prova do crime.
Hoje, depois de ver e ouvir o conteúdo das delações dos corruptos da Odebrecht e assistir os acusados afirmarem, que todo o dinheiro que receberam e usaram era tudo legal, me lembrei do assalto citado acima e cheguei à conclusão que: ladrão que é ladrão jamais assumirá que roubou. Portanto, se os delatores não apresentarem provas tangíveis e/ou a Polícia Federal investigar e encontrar as provas do assalto aos cofres públicos, nas mãos desses bandidos da Republica, brevemente, eles serão soltos e, sem pudor algum, como convidados de honra, estarão sentados no Plenário da SUPREMA CORTE, sorrindo, abraçando e beijando os ministros da Toga Preta. Lembram da posse da Ministra Carmem Lúcia? Nela, estavam: Renan Calheiros; “Lula Brahma”; José Sarney; Dilma Rousseff e mais, uma penca de políticos envolvidos no roubo da Petrobras.
Enquanto isso, com o time completo, mas jogando mal pra cacete, os ministros do STF demonstrando que nada podem ou não querem fazer, continuarão ganhando um bom salário, mas sem procurar, em momento algum, fazer jus ao que recebem. Daí, a safadeza, o roubo, a corrupção, a mentira, o cinismo e a pouca vergonha, continuarão sendo o mote da política Nacional.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...