quinta-feira, 11 de maio de 2017

Pau que bate em Chico ✰ Artigo de Tito Guarniere

Até a semana passada o ministro Gilmar Mendes, do STF, era um dos vilões prediletos do lulopetismo. Mas depois da liberação de José Dirceu, com a prestimosa ajuda de Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, (Mendes) foi absolvido em parte, avançou duas casas e durante algum tempo será tratado como “companheiro”.
Já o irritadiço procurador do MPF, Deltan Dallagnol, que nunca sorri - como convém a um missionário do bem e da virtude -, só respeita o Supremo quando acata as suas postulações, quando faz o que ele deseja. Assim, diante de um novo requerimento de habeas corpus em favor de José Dirceu, adiantou o expediente: pediu a abertura de mais um processo contra o réu, visando influenciar - para não dizer pressionar - o STF, na véspera do julgamento. A Turma do STF não deu a mínima e mandou soltar Dirceu, entre outras razões para mostrar a Dallagnol que ele deve conter seus arroubos juvenis e não sair por aí peitando a Corte Suprema.
A revista Veja é um ícone do ódio petista. Mas mudou a ênfase, anda “light” com o PT, e endureceu o jogo com Temer e os tucanos em geral. Dia desses, a capa foi para Aécio Neves (PSDB), como a dizer que chegou a hora e a vez do senador mineiro nos rolos da Operação Lava Jato. A turma da esquerda, momentaneamente, esqueceu o ódio. Anda comprando a revista em hora de pouco movimento, para não dar na vista e não dar o braço a torcer, e saboreia a leitura às escondidas.
Os petistas mais velhos lembram com saudades do tempo que a revistona paulista batia sem dó nem piedade no governo FHC. Cada denúncia em Veja naquela época era replicada aos quatro cantos. Veja ajudou muito o PT a sair das áridas trincheiras da oposição para, em 2003, passar a conviver com as delícias do poder. E como se deliciaram! FHC, nos seus “Diários da Presidência”, se queixa amargamente de Veja e da grande imprensa nacional. Pau que bate em Chico bate em Francisco.
Até bem pouco tempo o blogueiro Reinaldo Azevedo era unanimidade na esquerda (que o detestava) e na direita (que o exaltava), por causa da oposição implacável contra Lula, Dilma e o PT. Porém Azevedo sempre achou - não sem razão - que os procuradores da Lava Jato e o juiz Sérgio Moro exageram no protagonismo. De tempos para cá recrudesceu nas críticas -por sinal, muito bem fundamentadas -, de tal sorte que, agora, na direita, acusam-no de conspirar contra a Lava Jato; e da esquerda tem merecido até citações e elogios.
A esquerda acusa a mídia de golpista, de exprimir somente os interesses das elites e do grande capital. Já a direita reclama que as redações são dominadas pelas esquerdas e pelo lulopetismo.
Quem explica esses comportamentos contraditórios, erráticos, é Robert Wright, autor do livro “Animal Moral”, citado pelo jornalista Hélio Schwartzman, na Folha: “ O cérebro é como um bom advogado: dado um conjunto de interesses a defender, ele se põe a convencer o mundo da sua correção lógica e moral, independentemente de ter qualquer uma das duas. Como um advogado, o cérebro humano quer a vitória, não a verdade; e , como um advogado, ele é muito mais admirável por sua habilidade do que por sua virtude”.
Tito Guarnieri - bacharel em direito e jornalismo e colunista do jornal O Sul, de Porto Alegre.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...