quarta-feira, 14 de junho de 2017

Sérgio Cabral tem a primeira condenação na Lava Jato: 14 anos de prisão

 
Ex-governador do Rio foi condenado por corrupção nas obras do Comperj.
Sérgio Moro absolveu a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo.

O juiz Sérgio Moro condenou o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, do PMDB, a 14 anos e dois meses de prisão. É a primeira sentença de Cabral na Lava Jato, em que ele é réu em mais nova ações. A ex-primeira-dama Adriana Ancelmo foi absolvida.
Sérgio Cabral foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. O juiz Sérgio Moro também condenou Carlos Miranda, apontado como operador de Sérgio Cabral e o ex-secretário de Governo do Rio Wilson Carlos. Os três já estão presos. Eles são acusados de receber da construtora Andrade Gutierrez R$ 2,7 milhões em propina ligada a obras do Comperj, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.
O juiz Sérgio Moro disse que o Rio de Janeiro está em situação de quase falência, com o sofrimento da população e dos servidores públicos, resultante de uma série de fatores, mas também da cobrança sistemática de propina pelo ex-governador e seus associados. Para o juiz, o esquema chefiado por Cabral indica ganância desmedida, que merece reprovação especial.
Sérgio Moro também determinou o bloqueio de R$ 6,6 milhões em bens dos condenados e afirmou que há indícios de que eles esvaziaram as contas bancárias antes da decisão da Justiça. O ex-governador Sérgio Cabral é réu em outras nove ações da Lava Jato no Rio de Janeiro.
A ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo e a mulher de Wilson Carlos, Mônica Carvalho, foram absolvidas nesta terça-feira (13) por falta de provas suficientes. Sobre Adriana Ancelmo, Sérgio Moro afirmou que apesar do padrão de vida acima do normal, o gasto do produto do crime em bens de consumo não é, por si só, lavagem de dinheiro. Ela responde a dois processos no Rio de Janeiro.
A defesa de Carlos Miranda disse que vai recorrer, e que as provas produzidas no processo não demonstram que os fatos tenham ocorrido como consta na sentença.
A defesa de Mônica Carvalho e da Andrade Gutierrez não quiseram comentar. A defesa de Adriana Ancelmo afirmou que a sentença compreendeu bem a prova colhida, e, por isso, ela foi absolvida. O advogado de Wilson Carlos afirmou que está analisando a sentença.
O Jornal Nacional não conseguiu contato com a defesa de Sérgio Cabral. O Ministério Público vai recorrer das absolvições de Adriana Ancelmo e Mônica Carvalho.
g1 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...