sexta-feira, 9 de junho de 2017

Título de Cidadão de Porto Alegre ao general Etchegoyen irrita esquerda na câmara de vereadores

Vereadora do PP propõe honraria ao ministro-chefe da Segurança Institucional de Temer, 
que em 2014 atacou a Comissão da Verdade

O vereador Roberto Robaina, do PSOL, lidera uma articulação para impedir a colega Mônica Leal, do PP, de aprovar um projeto que concede o título de Cidadão de Porto Alegre ao general do Exército Sérgio Etchegoyen.
Nascido em Cruz Alta, Etchegoyen é ministro-chefe da Segurança Institucional do governo Temer. Irritou a esquerda em 2014, quando classificou de "patético" o esforço da Comissão da Verdade em "reescrever a história" – na época, a comissão havia incluído o seu pai, Leo Etchegoyen, morto em 2003, na lista de militares envolvidos em torturas.
– Além de representar um governo ilegítimo, ele representa a repressão e a defesa da ditadura – afirma Robaina.
Mônica Leal, claro, discorda. Diz que o general "se destacou pela defesa dos princípios da moral e da ética" ao longo dos "mais de 40 anos de serviços prestados à nação":
– A homenagem representa o espírito de luta do povo gaúcho, que clama por ordem e progresso no Brasil.

Um comentário:

Anônimo disse...

Para eles só Jean Willys é que merece a homenagem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...