segunda-feira, 31 de julho de 2017

A hora é agora ✰ Carta aberta do General Carlos Alberto Pinto Silva

A grave crise política e moral que sangra o país reclama uma palavra mais forte:“BASTA!”.
Basta de:
- Corrupção;
- Falta de determinação no enfrentamento ao projeto da esquerda de implantar uma “ditadura do proletariado ao modo PT”.
-  falta de ética na política;
-  governos sem visão estratégica, que só pensam na próxima eleição;
-  um parlamento omisso;
-  uma justiça politizada;
-  falta de segurança pública; e
-  falta de oportunidade para que as pessoas tenham ascensão social.
O que acontece no Brasil, não é um problema de governo, oposição, parlamento ou judiciário, é um problema da SOCIEDADE e no momento falta lideranças para orientá-la e guia-la.
No entanto, pessoas unidas e pensando de forma criativa podem realizar o impossível. A união gera a força, tanto entre os integrantes de uma mesma causa, como no propósito da própria causa. Essas pessoas arrastarão outras.
Na luta pela democracia deve-se, então, inverter a questão e começar a construir um significado para as mensagens (Objetivo). Qualquer tentativa que não esteja alinhada à construção de um significado (Objetivo) será perdida.
Portanto, deve-se focar a luta no centro de gravidade – líder da esquerda, e quando o centro de gravidade não puder ser atingido, em tudo que esteja vulnerável e possa favorecer o projeto da esquerda.
O momento exige que todos sejam “RELEVANTES”: isto é, ser capaz de criar, comunicar e difundir ideias e valores. Valores são vínculos que despertam nas pessoas um senso de orgulho de ser brasileiro, de pertencer a um grupo, de filosofia de vida, de padrão de caminhos a seguir.
Pode-se discutir à vontade quais são os homens e mulheres com capacidade de liderar, porém, não se discute, que sem eles conduzindo- sejam uns ou outros - as mudanças políticas não acontecerão. “As minorias excelentes é que são capazes de opor às ideias do político outras suas, que representam as tendências e desejos das massas”.
A reação tem que começar em algum lugar e de alguma forma, não pode ficar apenas no previsível, se formos iguais manteremos a rotina política e social de sempre, e jamais daremos o grande salto que o Brasil precisa.
É bom não esquecermos que teremos eleições em 2018, e as pesquisas e a atuação da justiça a partir da segunda estância não são nada alentadoras.
Estou tentando difundir uma empreitada: o Movimento de Defesa Democracia (MDD).
Vamos iniciar nosso chamamento para a luta na defesa da democracia.
A  hora é agora. Todos somos partes disto!!! Vamos ao planejamento e a luta.
Carlos Alberto Pinto Silva - General de Exército da reserva / Ex-comandante do Comando Militar do Oeste, do Comando Militar do Sul, do Comando de Operações Terrestres, Membro da Academia de Defesa e do CEBRES.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...