quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Quem votar a favor de Temer é mesmo um representante do povo?

A Câmara dos Deputados é composta por 513 deputados federais, com mandato de quatro anos, representantes do povo, eleitos pelo sistema proporcional em cada estado, em cada território e no Distrito Federal. 
Em tese, os ilustres parlamentares deveriam sempre tomar decisões que refletissem a vontade da maioria da população que representam. Não é o que assistimos hoje em relação á votação da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer pela prática de crime de corrupção passiva. Para se livrar de um possível impeachment e até perda do mandato, Temer passou a distribuir bilhões de reais em liberação de emendas parlamentares e de verbas para realização de obras em redutos de deputados que se comprometam a rejeitar o pedido da PGR, numa verdadeira compra de votos. 
São necessários dois terços dos votos (342) para que a abertura do processo de impeachment seja recomendada para o Senado Federal (abstenções e ausências são votos contra a abertura do processo). Aprovado no plenário da Câmara, o pedido é repassado para o Senado, que é responsável pelo julgamento propriamente dito, provocando o afastamento do presidente pelo prazo de até 180 dias, podendo chegar à cassação do mandato. 
Recente pesquisa indica que 167 deputados são favoráveis à aprovação do pedido, 112 são contrários, 76 se dizem indecisos, e 127 não se pronunciaram (o presidente da Câmara não vota). Ontem o Ibope divulgou o resultado de uma pesquisa na qual 81 % dos entrevistados querem que o pedido seja aprovado, 14% são contrários, e 26% estão indecisos. Se os deputados fossem votar de acordo com a vontade popular, seriam 416 votos pelo andamento do processo, 71 são contrários, e 26 ainda indecisos. 
Mas, desde quando os políticos brasileiros são verdadeiramente representantes do povo? Há algo a ser observado: os nomes dos votantes serão mostrados no painel eletrônico e os que livrarem Temer só voltarão ao cargo se o eleitor votar neles em 2018.

Um comentário:

Anônimo disse...

Vão se dar muito mal! Se ainda não tiverem recebido saibam que vão tentar descer numa onda tsunami e vão morrer afogados pelos crimes que cometeram contra o Brasil.

O povo indignado não os perdoará e os marcará para sempre como inimigos da Pátria por um presidente com cinco por cento (5%) de aprovação popular – é o fim da picada.

É um roubo descarado incompatível com uma democracia republicana. Seus ministros irão votar abandonando seus cargos (mais uma imoralidade)

As justiças também querem participar do escândalo deixando a constituição de lado por que a carne é fraca e todos querem mesmo é grana no bolso.

Que essa Tsunami gigantesca afogue a todos os ladrões que nos roubaram, deixando-os para nunca mais se atreverem a ser políticos para o rsto da vida.

E. Locht.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...