terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Fernandinho Beira-Mar diz que vai lançar livro em que fala sobre a morte de Celso Daniel

O narcotraficante condenado a mais de 200 anos de prisão, Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira Mar, disse em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini reprisada agora em janeiro, que vai lançar um livro sobre os bastidores de sua vida no crime dentre eles o assalto ao Banco Central em Fortaleza, o relacionamento com as FARC e até mesmo a morte do prefeito Celso Daniel.
A co-relação de um dos nomes mais famosos da facção criminosa Comando Vermelho com a morte do prefeito no início dos anos 2000 é inusitada, mas não deixa de despertar curiosidade.
Até o momento a melhor e mais completa investigação sobre o assassinato do então prefeito da cidade de Santo André, pertence ao jornalista Silvio Navarro que escreveu o impecável “Celso Daniel — Política, Corrupção e Morte no Coração do PT”, lançado em outubro de 2016.
Preso em um presídio federal para detentos de alta periculosidade em Rondônia, Fernandinho diz que seu livro deve sair ainda em 2017 e que o título será “Fernandinho Beira-Mar: somos bandidos?”.
video

Joice Hasselmann reduz frequência de comentários depois de ameaças de mortes

Ameaçada de morte por parte de renegados sociais neolulistas, a jornalista Joyce Hasselman resolveu buscar refúgio fora de casa e reduzir a frequência dos seus ácidos comentários.
Foi tudo conselho da Polícia Federal, que passou a monitorá-la pra protegê-la.

Inspetor é preso ao levar celulares, dinheiro e remédios de disfunção erétil para cadeia onde Eike está

Um inspetor penitenciário foi preso nesta segunda-feira (30) tentando entrar na Penitenciária Bandeira Stampa, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio, com celulares, dinheiro e remédios para disfunção sexual.
Nelson Rego Lira foi preso por Inspetores de Segurança e Administração Penitenciária da Portaria Unificada com R$ 3,8 mil em espécie, dois celulares, quatro carregadores, sete fones de ouvido, 11 chips, 15 cartelas do medicamento Pramil – proibido no Brasil – e um relógio.
De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), o material foi encontrado quando o inspetor chegava para o plantão e passou pela revista. O caso foi encaminhado para a 34ª DP (Bangu).
Na tarde desta segunda, o empresário Eike Batista foi transferido para a mesma penitenciária em que o agente tentava entrar com os produtos proibidos. O empresário, que era considerado foragido e estava em Nova York, foi preso ao desembarcar no Galeão, pela manhã.
Com a cabeça raspada e uniforme de detento, ele deixou do presídio Ary Franco, em Água Santa, dentro de uma viatura, carregando um travesseiro na mão, rumo ao Complexo Penitenciário de Gericinó.
video
g1

Carmen Lúcia homologa delação da Odebrecht ✰ Comentário de Joice Hasselmann

video

Desconfie! Carmen Lúcia homologou as delações, mas manteve em sigilo

Brasília treme, mas com as delações em caráter sigiloso, ao que parece já escapou de uma.

O sigilo é uma forma mais escabrosa e nojenta de esconder a safadeza da Republica. Se o povo paga bilhões de impostos. Se o povo é o patrão! Esse povo precisa saber o que foi dito e delatado. Esconder é uma forma de varrer o lixo para debaixo do tapete e esconder do patrão a sujeira que paira em sua volta.
É por isso que a impunidade reina no meio da politica. Os poderes se entendem no escurinho e um, disfarçadamente, acoberta os podres do outro. Creiam! Dessa forma o Brasil nunca será um país serio.
Segundo a imprensa, o governo de Michel Temer preferia que a homologação das delações da Odebrecht ficasse a cargo do novo relator da Lava Jato, mas ficou aliviado quando recebeu a noticia de como a presidente do STF tratou as delações.
Achando pouco, assessores presidenciais, acharam que a decisão de Carmem Lúcia não foi à esperada, mas para eles, ela se mostrou equilibrada e não criou espetáculo com o gesto. GRANDE COISA!
Porém, o medo da equipe presidencial era que quando o conteúdo das delações viesse a público, causasse turbulências políticas. Pois, as revelações da Odebrecht envolvem, praticamente, todos os partidos políticos e citam vários integrantes do primeiro escalão do governo do peemedebista.

Falta pouco pra gritar BINGO!!! Estou quase completando minha cartela do 'Bingo Carioca'

Após AVC esposa de Lula sofre parada cardíaca na UTI

A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva apresentou piora no quadro clínico neste fim de semana. De acordo com médicos do hospital Sírio Libanês, Marisa chegou a ter uma parada cardíaca, que foi revertida. Segundo a equipe que a acompanha, a situação da ex-primeira-dama, que teve um AVC hemorrágico na semana passada, é muito grave.
Na sexta-feira (27), e ex-primeira-dama fez uma tomografia para verificar se houve melhora na infecção em seu cérebro. Dona Marisa foi internada no Sírio-Libanês após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico na terça-feira (24). Ela está sendo acompanhada por equipes coordenadas pelos médicos Roberto Kalil Filho, Milberto Scaff, Marcos Stávale e José Guilherme Caldas. 
Estadão.

Delações irão atingir o coração do sistema político brasileiro ✰ Comentário de Marco Antonio Villa

video
Confirmadas as homologações das 77 delações premiadas dos executivos da Odebrecht, o grande assunto das próximas semanas – quiçá meses – é esta. “Vai atingir o coração do sistema político brasileiro”, diz Marco Antonio Villa.

Eike Batista já está preso e com a cabeça raspada. Agora só falta Lula & Cia

Nesta segunda-feira 30, Eike Batista desembarcou no aeroporto do RJ e a Policia Federal já o esperava. Levado em um veículo descaracterizado, o empresário corrupto foi conduzido para o presídio Bangu 8, mas conforme negociação da sua defesa com o Ministério Publico, o sujeito foi transferido para Bangu 9. No entanto, antes de proceder à transferência, fizeram um trabalho inicial: pelaram a cabeça, do ex-bilionário, lhe deram uma farda e com a roupa de cama nas mãos, subiu no carro que o levou.
Sorte! Muita sorte! Mesmo sem diploma o corrupto ainda parece está sendo tratado de uma forma diferenciada dos presos animalizados dos presídios de Manaus e Rio Grande do Norte.
Entretanto, a Operação Lava Jato, gerenciada pelo Ministério Publico, capitaneada pelo juiz Sérgio Moro e executada pela Policia Federal, muito já fez pelo Brasil, porém se concluir os trabalhos sem prender: Lula; Dilma; Renan Calheiros e os Lulinhas, vai causar uma grande decepção ao povo brasileiro. Acreditem! Com esse pessoal na cadeia, talvez, o Brasil volte a respirar um AR MAIS PURO.

Sensação esquisita de ter deixado de comprar alguma coisa

Michel Temer, a caminho do cadafalso, poderá ser caçado

Por mais que presidente Michel Temer tente se desgrudar das ações maléficas dos petistas, a sua cassação é só uma questão de tempo. Segundo a imprensa, o processo que poderá levar à cassação do seu mandato já possui 15. 000 páginas e já reuniu evidências que não deixam margem a dúvida: dinheiro sujo, oriundo de múltiplos esquemas de corrupção, foi usado para reeleger a chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB).
Parte dessas transações já foi amplamente mapeada pela Lava Jato. A outra parte vai complicar a situação do peemedebista no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que julgará ação que pede a cassação da chapa.
O relator, ministro Herman Benjamin, decidiu requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) cópias dos depoimentos dos executivos da Odebrecht tão logo suas delações sejam homologadas. Pelo que já foi revelado, sabe-se que a empreiteira, além de comprometer Dilma e os petistas, relatou ter feito doações clandestinas ao PMDB, a pedido de Temer. Os dois partidos, portanto, teriam se beneficiado fraternalmente do mesmo dinheiro ilegal, alcançado os mesmos benefícios e praticado os mesmos crimes eleitorais. O conjunto das evidências de irregularidades ganhou um potente anexo na semana passada e ai melou de vez!
"Em relatório ao TSE, a Polícia Federal disse que parte dos valores desembolsados a gráficas pela chapa não resultou na prestação de nenhum tipo de serviço. O dinheiro teria sido desviado para pessoas físicas e jurídicas “em benefício próprio ou de terceiros”".

Eduardo Bolsonaro humilha petralha lixo humano em debate

video

Governo brasileiro entrega à ONU defesa sobre acusações de Lula

O governo brasileiro apresentou ontem (17) ao Alto Comissariado de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU) a defesa do país contra a petição apresentada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em julho do ano passado, em que ele alega ser vítima de violação de direitos humanos em razão das ações da Operação Lava Jato. Entretanto, o teor da defesa, entregue em Genebra, sede da ONU, não foi divulgado oficialmente.
Na petição , enviada em julho de 2016, Lula se diz perseguido pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, a quem acusa de abuso de poder. A defesa do ex-presidente reclamou ainda do que considera “atos ilegais” praticados por Moro, entre eles a gravação e divulgação de conversas privadas de Lula com advogados e também com a então presidenta afastada Dilma Rouseff, além da condução coercitiva para um depoimento no dia 4 de março do ano passado.
À época, o documento foi protocolado na sede do Comitê, em Genebra, na Suíça. Com a entrega das alegações do governo brasileiro, o Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU fará a análise dos documentos e deve se manifestar nos próximos meses.

Enquanto isso, numa das celas de uma prisão do Complexo de Bangu no Rio de Janeiro

5.116 presos estão nas ruas por falta de vagas nas cadeias do Rio Grande do Sul ✰ Artigo de Marcelo Kervalt

Estado enfrenta o efeito dominó de interdições nas cadeias. Uma em cada cinco prisões está interditada, seja parcial ou totalmente. Isto é, das 101 unidades prisionais em funcionamento, 23 operam com alguma restrição da Justiça
Incapaz de assegurar condições mínimas de encarceramento, o Estado enfrenta o efeito dominó de interdições nas cadeias e de liberação de apenados para cumprimento de prisão domiciliar especial por falta de vaga. São 5.116 presos condenados que não estão recolhidos por inexistência de espaço físico, segundo levantamento da Corregedoria-Geral da Justiça. Destes, 2.878 usam tornozeleira eletrônica. Os demais nem sequer são monitorados.
— As tornozeleiras apenas nos informam a localização do apenado, mas não evitam a criminalidade. Sobre os outros 2.238, não há controle algum. Estão livres nas ruas — critica o juiz-corregedor Alexandre Pacheco.
Dados da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) mostram que uma em cada cinco prisões está interditada no Rio Grande do Sul, seja parcial ou totalmente. Isto é, das 101 unidades prisionais em funcionamento, 23 operam com alguma ressalva da Justiça, como, por exemplo, impossibilidade de receber novos detentos.
As decisões das Varas de Execuções Criminais (VECs) são embasadas, de forma geral, em problemas como deficiência estrutural, número insuficiente de servidores, escassez de recursos para aquisição de produtos básicos de higiene e, principalmente, superlotação. Inflado, o sistema prisional gaúcho abriga 11 mil detentos acima da sua capacidade de engenharia, que é de 23.826 vagas. Além disso, há os 5.116 presos condenados que estão livres por inexistência de vagas.
E foi justamente o excesso de detentos que levou à interdição de 16 (15,84%) das 101 unidades, como aconteceu recentemente com o Presídio Regional de Bagé, parcialmente interditado no dia 10 por superlotação e falta de segurança. Com 329 detentos, 69 acima do limite, sustenta um ambiente propício a rebeliões, mortes e fugas, como explicam a professora do curso de Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC (UFABC) Camila Nunes Dias e o doutor em ciência política pela Universidade de São Paulo Guaracy Mingardi, ambos associados ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Os especialistas alertam, ainda, para a parcela de contribuição do Judiciário no colapso do sistema prisional. Também falam como isso reflete na sociedade, que cruza com criminosos à solta nas ruas, além de apontarem motivos para o Rio Grande do Sul ter atingido o volume de 23 interdições diante do déficit de 11 mil vagas. Para a socióloga, esse conjunto de problemas sinaliza o descontrole do sistema.
— Se a Justiça interditou é porque percebeu que o Estado não tem condições de encarcerar. E essas interdições mostram que o modelo de encarceramento faliu, fracassou — analisa Camila, autora do livro PCC - Hegemonia nas Prisões e Monopólio da Violência.
Mingardi lembra do efeito cascata que as interdições provocam, obrigando a transferência de presos para outras unidades e as levando, por consequência, também à superlotação. Com isso, oferecem aos presos condições sub-humanas, que afastam a possibilidade de reinserção social.
— Se interdita, tem de transferir presos. Aí, superlota outros presídios, aumenta a probabilidade de rebelião, de fuga e de mortes. Além disso, os detentos abrigados em presídios inadequados são submetidos a uma sobre pena, ao viverem em local impróprio. Isso faz com que o detento saia de lá ainda pior, e o resultado é o aumento da criminalidade — diagnostica o cientista político.
Judiciário tem de fazer mea-culpa
Mingardi, que também é investigador criminal, sugere que a Justiça faça mea-culpa e chame para si parte da responsabilidade do caos penitenciário pelo qual passa não apenas o Rio Grande do Sul, mas todos os Estados brasileiros. O especialista em segurança pública critica o Judiciário ao dizer que os magistrados não têm acompanhado a degradação das casas prisionais ou agem tardiamente.
— É preciso culpar os dois lados. O Executivo por deixar chegar a um ponto insustentável, e a Justiça por não ter tomado providências antes. O Judiciário não pressiona no tempo adequado, quando o problema ainda tem solução, e, depois, se obriga a interditar. Essa é a realidade em todo o país — avalia.
Portanto, para Mingardi, não se pode colocar o problema unicamente na conta do Executivo, pois, na verdade, o problema "é de toda a sociedade", já que há pessoas que deveriam estar presas agindo livremente nas ruas sem qualquer controle do Estado.
— O juiz tem de cobrar do Executivo um lugar adequado sempre e não apenas interditar quando não tem mais condições.
As interdições, alerta Camila, devem servir de sinal para que juízes e governo repensem políticas de segurança pública e passem a valorizar outros mecanismos de controle além do cárcere. Ela cita a intensificação das audiências de custódia, revisão da lei de drogas, adoção de mais tornozeleiras eletrônicas e de penas alternativas. Corroborando com Mingardi, Camila alega que as interdições transferem parte do problema para outros estabelecimentos prisionais, que passam a receber mais presos.
— Não há outra solução que não o processo de desencarceramento. A longo prazo, é necessário que os Estados passem a adotar medidas de prevenção, abandonando essa centralização no policiamento ostensivo sem investigação. Isso acaba lotando os presídios com pessoas que estão na ponta da dinâmica criminal. As políticas de segurança pública hoje são centradas em prender quem está mais vulnerável à atuação do policiamento. Isso lota os presídios e não resolve a criminalidade — diz.
Marcelo Kervalt - ‎Repórter - Zero Hora

Geladeira, meu amor ✰ Comentário de Luiz Carlos Prates

video

PT trata com descaso a prisão do seu ex-tesoureiro, o gaúcho Paulo Ferreira

Profissão de alto risco: Paulo Ferreira, Delúbio Soares e Vaccari Neto..

O PT tem três ex-tesoureiros nacionais presos: o gaúcho Paulo Ferreira, o goiano Delúbio Soares e o paulista João Vaccari Neto. 
Apesar disto, PT, Lula e Dilma acham que todos são vítimas inocentes da Lava Jato. 
O PT paga os advogados de todos eles. No caso de Paulo Ferreira, o advogado é Luiz Bueno Aguiar, que não conseguiu os R$ 200 mil de fiança que precisa para libertar o gaúcho. O advogado diz que Palo Ferreira é pobre e terá que morar com a filha quando sair da cadeia. Ele nem fala na mulher ou ex-mulher do tesoureiro, Tereza Campelo, ex-ministra de Dilma. Paulo ferreira apresentou um carro de R$ 38 mil e tenta liberar R$ 158 mil de um consórcio habitacional. 
Indiferença. Segundo lideranças petistas, a indiferença em relação a Ferreira se deve à discrepante postura do gaúcho em relação aos outros ex-tesoureiros que foram presos. Enquanto Delúbio e Vaccari pagaram o preço por controlar o caixa 2 partidário, atuando como "soldados" do PT, Ferreira teria usado propinas da Petrobrás em interesse próprio.

1º Encontro de Carros Antigos, Motociclistas e Triciclistas de Farol de São Thomé - Campos dos Goytacazes RJ

O Brasil tem 17 mil km de fronteiras, mas somente 660 km são monitorados

As fronteiras do Brasil têm uma extensão de quase 17 mil quilômetros, ou sejam, exatos 16.866 quilômetros. Tomamos conhecimento hoje de que apenas 660 quilômetros são alcançados pelo Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), equivalente a 4% das fronteiras brasileiras. Está aí a razão do aumento constante da entrada de armas e drogas que fortalecem o poder dos traficantes e abastecendo cada vez mais as "tropas" das facções que lutam sanguinariamente por espaço para o comércio de drogas. Além, sobram armas para serem negociadas com assaltantes capazes de matar alguém friamente para tomar-lhe um telefone celular. Convém lembrar que o Governo brasileiro, quando comandado pelo PT, abriu as fronteiras facilitando a entrada de estrangeiros, contraventores e narcotraficantes de drogas, principalmente na fronteira entre Brasil e Bolívia. Isso permitiu que houvesse conflitos entre policiais bolivianos que invadiam, assaltavam e apavoravam os agricultores brasileiros residentes nos estados de Mato Grosso e Acre;
Como se não bastasse tamanho disparate, o governo de Dilma Rousseff também ordenou a desativação do 2º Batalhão de Fronteira (2º Bfron), sediado em Corixa, em Cáceres, no Mato Grosso, responsável pelo policiamento que vinha protegendo os moradores da referida fronteira, deixando livre a principal entrada de carros roubados, drogas, e o acesso fácil de estrangeiros. O Exército também decidiu desativar a 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira Ricardo Franco, em Corumbá - distante 419 km de Campo Grande. O Exército também decidiu reduzir o efetivo atual de 200 homens, da 3ª Companhia de Fronteira de Forte Coimbra, pela metade e para que ela seja transformada em pelotão. O Sisfron foi projetado para integrar radares, sensores e outros instrumentos de monitoramento e transmissão de dados já consumiu R$ 1 bilhão e só alcança 4% do que seria ideal. Em 2014 os investimentos chegaram a R$ 256 milhões, caindo em 2016 para R$ 182 milhões. Apesar da crise econômica, o atual Governo promete aplicar R$ 470 milhões este ano no projeto. O povo agradece e espera ver nossas fronteiras mais vigiadas e seguras.

Enquanto servidores sofrem, família Picciani multiplica os milhões

video
Não deixem de assistir essa reportagem que foi ao ar no SBT Rio, onde o ex-governador Anthony Garotinho dá um depoimento sobre os milhões da família do presidente da ALERJ, Jorge Picciani.

A jogada da defesa de Claudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha

Está na cara que essa insistência em ouvir essa mulher de Cingapura, com pedido de prorrogação de dois meses na defesa de Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, é uma manobra protelatória da sua defesa. O governo de Cingapura já oficiou as autoridades brasileiras que ela não tem nada a contribuir com o processo. Mas a jogada é ganhar mais dois meses e atrasar o julgamento, resta saber se vai colar com Sérgio Moro.
Garotinho

31 de Janeiro - Dia do Brandy Alexander

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

O Muro de Trump e a soberania dos EUA ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

Não existe qualquer dispositivo no direito internacional - nem mesmo nas normas da Organização das Nações Unidas - que verse sobre a possibilidade ou o direito de um pais cercar ou murar a sua fronteira divisória com outro país. Por consegüinte, o deslinde da questão que envolve a discussão sobre o muro dos Estados Unidos na fronteira com o México, deverá ser visto à luz do bom senso, dos princípios gerais do direito, da analogia, dos costumes e da eqüidade.
Cumprindo promessa de campanha, e logo nos primeiros dias do seu governo, instalado em 20 de janeiro de 2017, Donald Trump, eleito Presidente dos Estados Unidos, baixou uma norma que causou polêmica. Determinou o início da construção de um muro divisório na fronteira com o México, nos perímetros ainda abertos, de modo a ficar separado física e totalmente por essa gigantesca construção do país vizinho. O projeto dessa obra é de uma magnitude tal que o milenar muro da “China”, e aquele que separava as duas Alemanhas vão parecer cercadinhos de canteiro de horta, se comparadas a ela.
Sabe-se que o motivo que levou o governo americano a tomar essa radical decisão, a um custo astronômico, foi a travessia de imigrantes clandestinos originários não só do México, como também de outros lugares do mundo, que usavam esse país como porta de entrada para os Estados Unidos.
A completa omissão que sempre se verificou das autoridades mexicanas em controlar e coibir essas travessias ilícitas, à luz das leis do seu “vizinho”, certamente sempre foi reforçada por uma certa “ajudazinha” paralela, porquanto mediante essa postura o México estaria se livrando de  um enorme problema social, mesmo de uma “bucha” social, que não conseguiu resolver durante séculos, e por isso a estava “exportando” clandestinamente, de “graça”, talvez até com um certo “empurrãozinho” de reforço, para o seu vizinho do norte se encarregar dessa tarefa. Resumidamente, com essa postura o México passou a “exportar” um problema que era seu para os Estados Unidos. E pior: agindo em cumplicidade e até parceria também “clandestina” com esses imigrantes ilegais.
Como pretender tirar a razão de Trump para que tomasse essa providência?  Como negar a ele o direito de defender, como Presidente, em primeiro lugar, os direitos do seu povo, a estabilidade e o controle do seu próprio país?
O direito dos Estados Unidos em cercar a sua divisa com o México ou qualquer outro país que venha a lhe causar problemas, pode ser desvendado com ajuda dos “auxiliares” do direito no início mencionados, e do próprio direito de propriedade e de vizinhança (direito privado), em vigor nos dois países fronteiriços em questão, cujos princípios também fazem parte do direito brasileiro.
Se essa discussão fosse dirimida, por analogia e eqüidade, é óbvio, sob as luzes do Código Civil Brasileiro, por exemplo, na seção pertinente ao direito de vizinhança, tanto o direito de construir o citado muro, quanto a anunciada disposição americana em exigir do México participação nos custos dessa obra, teria pleno amparo legal.                                  
“Matando a cobra a mostrando o pau”: Código Civil, art. 1.297: “O proprietário tem direito de cercar, murar... o seu prédio, urbano ou rural, e pode constranger o seu confinante a proceder com ele à demarcação entre os dois prédios..... repartindo-se a despesa proporcionalmente entre os interessados”.
Mas a atitude americana não se ampara somente no direito. Também em relação à moral acontece o mesmo. Mas infelizmente a idiotia que fincou raízes fundas principalmente em boa parte da “esquerda” do mundo, invariavelmente leva essa discussão para o lado do “preconceito”, do “racismo”, da “xenofobia”, nunca aceitando que os povos nacionais também têm direitos que não podem ser prejudicados, ”roubados”, ou ameaçados por outros povos. Esses “moralistas” improvisados querem fazer do mundo a “Casa da Mãe Joana”, onde ninguém manda e todo o mundo manda ao mesmo tempo.  Essa gente merece até os “parabéns” pela quase desestabilização que conseguiram fazer em boa parte da Europa, que caiu como um “patinho” desavisado nas suas garras predadoras de civilizações avançadas, cujo exemplo mais marcante parece residir na Alemanha, onde o governo é extremamente tolerante com essa situação.
É evidente que o princípio da SOBERANIA de cada país deve ser respeitado. E o direito de fazer as suas próprias leis decorre do direito de soberania. E as leis dos Estados Unidos condicionam a certas exigências a aceitação de imigrantes e a entrada de pessoas no país a qualquer outro título (turistas, etc.). Por isso ele não está obrigado a admitir a entrada clandestina de imigrantes e tem pleno direito de controlar essa situação pelos métodos necessários que bem entender, inclusive construir muros nas fronteiras, que em relação ao México se torna uma espécie de “legítima defesa”, ou “estado de necessidade”.
Observe-se, por oportuno, que jamais foi ventilado nos Estados Unidos a necessidade de erguer um muro divisório com o Canadá, por exemplo. Um dá problema, o outro não. Um ameaça a própria soberania do pais, o outro não. Um dá motivos para o muro, o outro não.
Resumidamente pode ser afirmado com segurança que o direito de erguer muros ou cercas entre vizinhos no direito privado, bem como repartição dos seus custos, nas RELAÇÕES DE VIZINHANÇA, corresponde à igual direito que têm os países em separar as suas fronteiras com outros países, pela maneira que melhor lhes aprouver, inclusive com cercas e muros, desde que não prejudique injustamente o confinante, com base no direito de SOBERANIA que lhes assiste.
Legítima, portanto, foi decisão americana de fazer o muro divisório com o México e exigir desse país, principal culpado por essa exigência, pagamento de parte do custo. Essa atitude decorre do seu DIREITO DE SOBERANIA.
Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

Saiu o logotipo da campanha de Lula para 2018!

Juíza distrital autoriza ingresso de refugiados e imigrantes que já estavam em viagem aos EUA

Sites como os da Veja, continuam informando que a decisão foi da Corte Suprema, mas não foi assim. Um habeas corpus foi concedido pela juíza Ann M. Donnelly, do Tribunal do Distrito Federal de Brooklyn, permitindo que dois iraquianos que haviam sido barrados no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, tivessem sua entrada liberada no país. 
Uma decisão da Justiça dos Estados Unidos tomada na noite de sábado, dia 28, suspende parte do decreto do presidente Donald Trump de proibir o ingresso de refugiados e imigrantes de sete países muçulmanos. Pela ordem da juíza, fica autorizado o ingresso de estrangeiros dessas nações em situação legal de visto que já estão nos aeroportos americanos e também daqueles que estão em trânsito.
Cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão e Iêmen não podem entrar nos EUA pelos próximos noventa dias. Para sírios, o banimento tem tempo indeterminado. Detentores de “green card” terão de passar por aprovação para entrar nos Estados Unidos, com análise caso a caso, disse uma alta fonte da administração Trump neste sábado.
A medida beneficia entre 100 e 200 imigrantes que estavam presos nos aeroportos americanos esperando por uma definição.
O novo decreto presidencial assinado por Donald Trump causou confusão em aeroportos do mundo todo no sábado. No aeroporto internacional JFK, em Nova York, centenas de pessoas protestam contra Trump desde o início da manhã (veja foto acima).

Porque o socialismo não funciona

video

Miami não será mais cidade santuário para imigrantes ilegais

Com medo das ameaças de cortes de verbas anunciados pelo presidente dos Estados Unidos, a prefeitura de Miami informou que não será mais uma "cidade santuário" para imigrantes ilegais.
O prefeito do condado de Miami-Dade, Carlos Gimenez, disse que irá rever suas políticas, cortando a proteção aos clandestinos que morarem na cidade. Ele pediu ainda que as forças policiais cumpram as ordens vindas de Washington. Em todos os EUA existem cerca de 300 "cidades-santuário", onde as autoridades políticas e policiais se recusam a prender e deportar imigrantes clandestinos. As maiores são Nova York, Los Angeles e São Francisco, que não aceitam deportar imigrantes ilegais. 
ANSA

Esta é Miley Cyrus. Ela acusou Donald Trump de denegrir a imagem das mulheres

O irã vai retaliar a decisão de Donald Trump. Norte-americano também não entra lá

Para Trump, fora Israel, o resto é suspeito.

Segundo a imprensa, depois da decisão dos Estados Unidos de proibir o ingresso de cidadãos iranianos, o ministro dos Negócios Mohamad Javad Zarif disse na televisão que Irã também vai proibir a entrada de norte-americanos em seu território. E complementou: “um óbvio insulto para o mundo islâmico e em particular para a grande nação do Irã", considerou o ministro iraniano na comunicação feita sábado 28/01.
O governo americano já botou em prática a ordem do presidente Donald Trump de barrar a entrada de viajantes de sete países. O decreto atinge também os refugiados da guerra civil na Síria. A proibição está provocando protestos no Aeroporto JFK, em Nova York.
Neste sábado, seis iraquianos e um iemenita nem puderam embarcar no avião que vinha do Egito para os Estados Unidos. Eles não sabiam, mas horas antes o presidente Trump tinha promulgado um decreto, proibindo cidadãos de sete países de maioria muçulmana de entrar nos Estados Unidos.
O Iraque é um deles, o Iêmen outro. Também Irã, Síria, Líbia, Somália e Sudão. Além disso, Trump suspendeu por 120 dias o recebimento de qualquer refugiado. E se o refugiado for da Síria, está banido por tempo indeterminado. Uma família de refugiados da Síria, que ia viajar neste sábado para Atlanta, foi mandada em vez disso para o Líbano.

Cidadão indignado dá um tapa na cara da imprensa brasileira e dos esquerdopatas após ataques à Trump

video

G1 a toda hora abre uma manchete "fake news" contra Donald Trump

A diferença da fake news com o que nosso supremo líder realmente disse:
“o que iremos fazer é pegar essa gente que é criminosa e tem fichas criminais membros de gangues traficantes que totalizam 2 a 3 milhões e vamos tirá-los do pais ou fazer com que sejam presos.”
No que ele está fazendo o bem para a humanidade.

O SUS é motivo de orgulho para o Brasil e exemplo para os Estados Unidos

O Porto da Lama. Como Cabral e Eike destruíram a vida de centenas de famílias na região do Porto do Açu

Sérgio Cabral e Eike Batista comemoram o início das obras do Porto do Açu

As desconfianças começaram desde a época em que o ex-Governador Sérgio Cabral iniciou as suas viagens a São João da Barra e ao Porto do Açu. 
E por quê? 
Pelo fato de que a desapropriação da área do Porto do Açu se iniciou de forma ilegal e pouco republicana. 
O proprietário rural, uma pessoa simples, amanhecia com um fuzil da Polícia Militar na cabeça, acompanhado de dois Oficiais de Justiça. 
Era o processo de desapropriação que se iniciava com a liminar. 
O Governador usou o seu poder de império para colocar os proprietários rurais na rua sem receber um centavo. 
E o pior, sem a reação de ninguém, salvo o Blog do Garotinho e um grupo de professores da UENF, liderados pelo professor Pedlowski. 
Um terço do município de São João da Barra foi desapropriado e até hoje ninguém recebeu suas indenizações da CODIN (Governo Estadual). 
Foram realizadas diligências da CODIN de emissão de posse no dia do falecimento da parte. Esse foi considerado um dos atos mais desalmados na região. 
É o caso do agricultor José Irineu Toledo, fato noticiado pelo nosso blog, como podem ver abaixo. 
Cabral vendeu e entregou a Eike Batista 75 quilômetros quadrados por R$ 37,5 milhões, em suaves prestações, uma área avaliada em R$ 1,2 bilhão. E a dívida do Estado com os agricultores passa de R$ 3 bilhões pelo que informaram os peritos da Justiça de São João da Barra. 
O escândalo nunca veio a tona porque a mídia corporativa é muito bem paga para ficar calada. 
Nada disso seria possível se Sérgio Cabral e Eike Batista não tivessem a colaboração direta da prefeita de São João da Barra da época, Carla Machado, tida e havida como a maior liderança da República do Conhaque. 
Até hoje os proprietários não foram indenizados e as terras estão abandonadas depois que várias empresas desistiram de investir no Porto do Açu e Eike, depois que seu império ruiu, vendeu seu negócio para empresários chineses. 
O Porto do Açu é na verdade o Porto da Lama que sempre foi.

"Carne de segunda" no menu cultural ✰ Comentário de Luiz Carlos Prates

video

Perda da noção do limite ✰ Artigo de Percival Puggina

Estou certo de que o leitor concordará com o enunciado: não é condição de “normalidade” de uma ação humana o fato de ela estar sendo praticada por muitos, pela maioria ou por todos. A normalidade de uma ação está condicionada à sua adequação a uma norma. Todos podem estar desrespeitando sinais de trânsito, mas isso não faz "normais" as infrações.“Comum” e “frequente” não são sinônimos de “normal”. Fazer cabeças não é normal.
O fato de ser muito difícil aos jovens não reproduzirem o que o grupo em que estão inseridos faz (numa estranha conformidade rebelde ou numa rebeldia conformada), associado ao fato de muitos adultos reproduzirem as condutas dos jovens (numa ridícula cirurgia plástica do modo de agir), multiplicou, nas últimas décadas, os problemas de comportamento e suas conseqüências sociais. O já idoso “É proibido proibir!” se constitui, ainda, na expressão síntese de generalizada forma de conduta em que qualquer tentativa de estabelecer limites é vista como repressiva. Nada é abusivo exceto a tentativa de acabar com os abusos. Apenas as empresas e as instituições militares parecem restar como locais onde a autoridade ainda se permite estabelecer limites.
As conseqüências dessa gandaia podem ser contempladas no âmbito familiar, nas escolas e universidades, nos parlamentos, nas ruas e assim por diante. Exemplo do mês? Perdeu a noção de limites o professor paraninfo da turma de formandos da Famecos/PUCRS, quando, em seu discurso, passou a incorrer nos mesmos equívocos jornalísticos que condenou nas primeiras palavras que proferiu. Instalou-se em sua bolha ideológica e a ela referenciou a realidade política do país. Tratou de fazer cabeças entre as cabeças dos convidados cativos de suas poltronas. Não respeitando a pluralidade do auditório e dos formandos, o homenageado fez o que sequer as jovens oradoras da turma fizeram: deu-se o direito de descarregar sobre todos um discurso político a respeito dos fatos recentíssimos da história nacional. Afirmou, o professor paraninfo, que uma "presidenta eleita foi afastada por um golpe parlamentar, civil e infelizmente midiático"; disse haver "um político suspeito de corrupção, assumido a presidência do país". E por aí andou, silenciando sobre tudo que não lhe convinha, tomando lado, calçando chuteiras e dando bicos na bola dos fatos. Pais, parentes e amigos dos formandos receberam uma porção do que supostamente foi servido à turma, em doses diárias, nos vários anos do curso. Para não deixar dúvidas quanto a isso, falou, também, o diretor da faculdade, endossando, sem pestanejar, o discurso do paraninfo, cujas palavras disse representarem "o que certamente pensa o coletivo da Famecos".
Coletivo, sem motorista nem cobrador, costuma ser coisa complicada, controlada pela esquerda e concebida para ser inexpugnável.
* Vídeo com a íntegra da solenidade pode ser assistido aqui. Às 2h e 21 min. da gravação começam os referidos discursos.
Percival Puggina -  membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

No, you can't - Não, você não pode

Renan Calheiros pode indicar a Temer ministro que irá julgá-lo em 10 processos no STF?

"Que país é esse?", cantava o grupo Legião Urbana em décadas passadas. A resposta pode ser dada com uma frase bem mais antiga: "O Brasil não é um país sério". atribuída ao então presidente da França, Charles de Gaule, em 1962. As duas afirmativas ficam bastante atuais quando tomamos conhecimento da visita do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) ao presidente Michel Temer fazendo lobby em favor do nome de Bruno Dantas, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) para integrar o Supremo Tribunal Federal (STF) na vaga aberta com o morte do ministro Teori Zavascki. O presidente pode receber sugestões de qualquer pessoa definir quem ele irá indicar para completar a composição do STF, decisão que é exclusivamente dele. mas a comprovação da falta de seriedade do nosso país é o presidente se dê ao trabalho de receber sugestão de alguém que tem cerca de dez investigações no Supremo;
O mais importante é que a presidente do STF, ministra Cármem Lúcia, não cometa o erro de submeter a sorteio o nome do novo relator da Operação Lava-Jato, porque há o risco de os ministros Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli serem sorteados e por conta de suas antigas ligações com o PT mandar soltar todos os "companheiros" implicados e ainda mandar prender os acusadores. A maioria do povo espera que ela seja corajosa e homologue de uma vez as 77 delações dos executivos da Odebrecht. Vá em frente, ministra, os mais de 3 milhões de brasileiros que foram às ruas estão com a senhora!

Unidos da Criatividade a escola que vai trazer o título da sua vida ✰ Comentário de Sheila Maria Prates

video

Caso Eike Batista se entregue, irá para presídio de detentos sem formação universitária

Os advogados de Eike Batista informaram a autoridades que o empresário irá se entregar nesta segunda-feira (30), de acordo com fonte próxima às discussões. A promessa teria sido feita por escrito, mas ainda há dúvidas se será cumprida.
Eike teve a prisão decretada nesta quinta-feira, na Operação Eficiência, desdobramento da Lava Jato que apura esquema usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB) e outros investigados para ocultar mais de US$ 100 milhões remetidos ao exterior. Desse valor, repassado em ações da Vale, da Petrobras e da Ambev, apenas 10% já foi recuperado pelo Ministério Público Federal.
Também com cidadania alemã, o empresário está foragido desde quinta-feira, 26. Segundo seus advogados, ele está no exterior, enquanto dados da Polícia Federal apontam que ele embarcou em um voo para Nova York utilizando seu passaporte alemão. Caso seja encontrado em território germânico, sua extradição será definida pela Justiça do país.
Além disso, se o empresário decidir se entregar à polícia, ainda não está definido o tipo de unidade prisional para qual será encaminhado, pois há imprecisões sobre a sua formação educacional. Em livro publicado em 2011, o ex-bilionário diz que interrompeu a faculdade de Engenharia na Alemanha "ainda na metade" do curso.
Já o prospecto da Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) da petroleira que fundou, a OGX, traz a informação que ele era "bacharel em Engenharia Metalúrgica pela Universidade de Aachen, Alemanha".
Se ele não comprovar que possui ensino superior, terá que aguardar julgamento em uma cela comum. Detentos com diploma são encaminhados para unidades restritas aos que têm ensino superior.
Os advogados de Eike e a Polícia Federal (PF) foram procurados pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, mas não retornaram as ligações da reportagem.

2º Encontro de Jeepeiros na Praia de Farol de São Thomé - Campos dos Goytacazes RJ

Calote nos contratos do Fies, em 2016, chegou a 53%

Um dos projetos mais caros da presidente cassada Dilma Houssef, o Financiamento Estudantil, ou Fies, registrou inadimplência em 53% dos contratos firmados em 2016.
Os dados mostram que os cofres públicos poderão não ver a cor deste dinheiro e o valor acumulado, até o momento, chega a R$ 55,5 bilhões. Em 2014 o calote era de 47% e no ano seguinte passou para 49% , conforme os levantamentos feitos pela CGU (Controladoria-Geral da União) e pelo TCU (Tribunal de Contas da União). Pelo FIES, os alunos fazem a faculdade em uma instituição privada e a União paga todo o curso. Pelo contrato, o estudante tem de começar a quitar as prestações um ano e meio depois de formado. Mas a maioria não está conseguindo.

A boca dessa repórter é pior que rogar praga... Ela fala e acontece no ato KKKKKKK

video

Policial Militar do Rio de Janeiro se suicida ao vivo no Facebook (Atenção: cenas fortes)

Um policial militar transmitiu a própria morte na noite deste sábado pelo Facebook. O soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, estava há seis anos na PM e era lotado no 24º BPM (Queimados). As imagens dos últimos momentos do policial foram feitas na casa dele, em Brás de Pina, e provocaram comoção entre amigos, internautas e policiais, que vivem uma das mais graves crises da corporação.
Nas redes sociais, PMs associam a morte do soldado à falta de pagamento, uma vez que os servidores da segurança estão recebendo com atrasos. Há dezenove dias, no dia 11 de janeiro, Douglas também reclamou da falta de pagamento, em uma publicação no Facebook. "Eu preciso receber, minhas contas vão vencer", escreveu o PM em alusão ao hit 'Deu Onda'.
Rayane Cristina dos Santos, de 25 anos, ainda é casada com Douglas no papel, mas moravam separados há um ano. Eles têm uma filha, Luísa, de 1 ano e 3 meses. Segundo a jovem, Douglas tinha histórico de depressão e já foi internado quatro vezes na psiquiatria do Hospital Central da Polícia Militar. Da última vez, ficou uma semana internado após tentar se matar ingerindo bebidas e medicamentos.
- Ele tinha histórico de depressão, mas a gota d'água foi o atraso nos salários. Era muito certinho com as contas. Nos últimos meses, muitas vezes me ligava desesperado. Dizia que estava endividado e não sabia como iria pagar o aluguel - contou.
Ainda segundo Rayane, Douglas ligou para avisar o que faria.
- Ele já tinha ameaçado se matar outras vezes. Ontem à noite me ligou, uns 20 minutos antes, dizendo o que ia fazer, mas não acreditei porque ele já tinha falado isso antes. Era um ótimo pai. Sempre pedia que eu só falasse bem dele para ela. Nossa filha dormiu com ele da noite de sexta para sábado. Busquei ela às 7 horas na casa dele e, à noite, ele se matou - contou.
Na transmissão ao vivo, Douglas aparece deitado em sua cama e interage com os internautas que o assistem."E aí, tranquilidade? Tamo junto! Quero ver quem tem disposição pra ver bagulho ao vivo. Quem não tem estômago, mete o pé. O bagulho vai ficar doido agora", diz o policial. Em seguida, Douglas aponta a arma para cabeça e dispara. Nas imagens não é possível ver o PM morto, já que o celular cai da mão de Douglas e a imagem some.
Enquanto o policial falava, muitas pessoas pediam para que ele não cometesse o suicídio. "Pelo amor de Deus, Douglas", "para com isso!", "Por que você fez isso?" e "Douglas, para de bobeira" são algumas das mensagens que amigos do PM enviaram.A transmissão estava disponível apenas para os amigos do soldado.
Uma amiga do soldado que assistiu a transmissão e prefere não se identificar, disse que Douglas havia feito uma outra filmagem antes da que viralizou nas redes. Segundo ela, quem viu o vídeo acreditou que o PM estava fazendo uma "brincadeira de mau gosto".
Douglas deixa uma filha de um ano. O corpo do policial foi retirado da casa dele, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio, por volta das 05 horas da manhã deste domingo. Ainda não há informações sobre o velório e enterro do policial.
video
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...