sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Rede Globo comete """erro""" e prejudica Bolsonaro

O jornalismo da grande mídia mais uma vez demostra que trabalha única e exclusivamente a serviço da esquerda. 
A última destes patifes foi uma publicação no jornal O Globo. Sem armas para atacar Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenções de voto, a mídia cometeu um "erro" no título de uma matéria que acabou prejudicando o candidato. 
Ao noticiar que o ministro Alexandre de Moraes pediu vista no julgamento de denúncia contra o ex-capitão do Exército, o jornal disse que a investigação era contra "corrupção", quando na verdade, era por suposto "racismo". 
Após a repercussão, o jornal disse que a culpa foi da agência Reuters. 
Confira:

Vai começar a temporada de caça aos pobres...

Bolsonaro ao lado da filha no horário eleitoral na TV

Na primeira propaganda que terá na TV, Jair Bolsonaro (PSL) vai fazer um chamado para que seus eleitores o sigam nas redes sociais.
O presidenciável tem apenas oito segundos no horário eleitoral e, por isso, vai centrar sua estratégia na internet.
Em uma das inserções que já estão prontas, o capitão reformado aparece ao lado de sua filha de sete anos. A peça é voltada ao eleitorado feminino e fala sobre família.
Nesta quinta-feira (30), o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, esteve ao lado de centenas de eleitoras durante evento de campanha em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Comando Vermelho ameaça campanha de Bolsonaro

 
Traficantes do Comando Vermelho do Ceará emitiram uma "circular' 
para proibir campanha de apoiadores de Bolsonaro dentro do seu território. 

Bolsonaro desmoraliza a Globo ao Vivo e em Cores - Plín Plin

Ou seja, Bolsonaro foi convidado pra uma conversa amigável, sentou-se, foi cordial, tentaram dar paulada nele, ele tomou o pau e deu na cabeça de todo mundo. Não contente, tirou o sapato, cagou dentro da meia, levantou acima da cabeça e começou a rodar espalhando o creme por todos os lados.
"Candidato... Por favor... Candidato... O senhor não vai falar sobre isso aqui, né? Já foi feito editoral... Pows, candidato... SNIF!"
HAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHA
Demorou tanto tempo para a Globo dá espaço para Bolsonaro em canal aberto. Que quando ele foi, matou a fome com vontade, pois ele:
Fez o Wilian Bonner ir para 2021.
Fez a Globo censurar um kit gay ao vivo (logo a Globo que ainda em horários nobres, colocam gays para se beijarem em novelas, sabendo que tem crianças nas salas).
Fez o Wilian Bonner corrigir a Renata sobre uma fake news
Ensinou o Wilian Bonner sobre fidelidade (pairou até um sarcasmo no ar, referente à chifres).
Falou que a Globo recebe dinheiro da união.
E pra fechar com chave de ouro, mencionou o apoio de Roberto Marinho ao regime militar (o que a Globo e a esquerda insiste em chamar de golpe).
Caros amigos, passou um furacão nos estúdios Globo! E fez muitos estragos!
Esse é o meu presidente!
E ele se chama Jair Messias Bolsonaro.
Luciano Skrebsky Fettermann.

Seu filho frequenta a Biblioteca Monteiro Lobato em Araraquara SP? Veja o que está a disposição dele!

Primeiro voto do eleitor será para deputado federal

A ordem será: deputado federal, deputado estadual ou distrital, senador, governador e presidente

Nas eleições deste ano, o eleitor começa a votar escolhendo o deputado federal. Até as eleições de 2014, o eleitor votava primeiro para deputado estadual ou distrital.
A mudança na ordem de votação foi aprovada pela Câmara em 2010 e pelo Senado em 2014. Mas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que a mudança não valeria para aquela eleição. 
À época, o ministro Dias Toffoli afirmou que a implantação da mudança para as eleições de 2014 demandaria a liberação de nova versão de software, de treinamento, entre outros fatores.
Para o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), que encaminhou a votação do projeto na Câmara (PL 7522/10), a alteração é importante. "É o primeiro voto. É um voto mais voluntarioso, em que o eleitor está mais animado a votar. Ele abre a série de votações e estimula a ter uma participação maior do eleitor."
De acordo com as regras atuais, neste ano, a ordem de votação será: deputado federal, deputado estadual ou distrital, senador (são dois votos para o Senado), governador e, por fim, presidente da República.
Campanhas informativas
O secretário de tecnologia da informação do TSE, Giuseppe Janino, explica que o tribunal já está fazendo campanhas para informar o eleitor. "O eleitor tem uma sequência não lógica [para votar], que começa pelo deputado federal e depois vai para o deputado estadual. O TSE vai se encarregar de divulgar o máximo possível essa ordem de votações para que não haja prejuízo para o eleitor."
A resolução do TSE com os atos preparatórios para o pleito de 2018 determina ainda que deverão aparecer as fotos e os nomes dos candidatos na urna eletrônica. O eleitor digita o número do candidato e, na sequência, aparece a foto para confirmação.

O 'fenômeno Bolsonaro' e o cansaço da democracia ✰ Comentário de Luiz Felipe Pondé

 

A partir de hoje Lula terá que se dedicar exclusivamente a sua condição de presidiário

Jornal da Cidade on line

De um lado o cavaleiro e seu Cavalo puro sangue. Do outro um analfabeto e seu Burro comedor de capim

Receber salário como Pessoa Jurídica, é uma forma de driblar o fisco

Ao que parece essa é uma vertente usada por alguns jornalistas, para pagar menos impostos a Receita Federal, mas ninguém diz nada E, além disso, Bolsonaro também não mentiu, quando disse que a Globo recebia muito dinheiro do governo Federal. 
Para confirmar isso, basta pesquisar e ver quanto a empresa recebeu durante os governos petistas, aí, você fica estarrecido e verifica que as cifras passam de alguns bilhões.

"O Bolsonaro usou a palavra "pejotização". Percebo que já usou outras vezes. Mas vocês sabem o que significa pejotização?
Pejotização vem da sigla PJ que é a abreviação de pessoa jurídica, ou seja, empresa. É uma forma de pagar salário a uma pessoa como se fosse uma empresa ao invés de pagar como sendo pessoa física.
O objetivo disso é driblar o fisco, pois pagar salário custa muito caro para quem contrata e tem muito desconto para quem recebe.
Na entrevista na Globo, Bolsonaro insinuou que os apresentadores recebem como pessoa jurídica, ou seja, não são funcionários da Globo, mas suas empresas recebem honorários pela prestação de serviços deles.
Alguém postou que o apresentador ganha R$ 800 mil por mês.
Se fosse salário ele teria um desconto de R$ 220 mil de imposto de renda. E o pior: a Globo teria que recolher para o INSS R$ 160 mil.
Sendo uma empresa o empregado pejotizado paga menos da metade desse valor e a empresa não recolhe nada para o INSS".
Emídio Vargas

Namorado comunista de Fátima Bernardes foi motivo de CLIMÃO entre Ciro e Bonner?

 

Vanessa Grazziotin, a senadora do PCdoB, começa a campanha de forma melancólica. Falando para o vento. Veja o vídeo

 
A senadora comunista Vanessa Grazziotin começou a sua campanha em busca da reeleição de maneira trágica. 
Nada pode ser mais trágico para um político do que a ausência de público e, em consequência, de eleitores.
“Guerreira” ela não esmoreceu e falou para o “vento”. 
E mesmo a comunista se esgoelando, ninguém parou para ouvi-la. 
Aliás, Vanessa é uma comunista devota do capitalismo. Dona de três apartamentos, R$ 300 mil em aplicações e dinheiro vivo, que certamente deixa embaixo do colchão. 
Fatalmente será mais uma integrante da “Bancada da Chupeta” que ficará sem mandato.
Veja Isso

Esta é a cartilha que suas crianças veem na escola infantil

Muros permeáveis: Lula deveria ser transferido para o presídio.

A condenação e prisão do ex-presidente Lula da Silva por ter praticado os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro foi uma eloquente sinalização de que a igualdade de todos perante a lei não é um princípio vazio de sentido inscrito na Constituição, mas uma realidade há muito tempo ansiada pelos brasileiros. E, se a lei vale para todos, e vale, hão de ser aplicadas ao condenado Lula da Silva as mesmas restrições que são impostas aos demais internos do sistema carcerário. Não é isso que tem ocorrido.
A cela especial que Lula da Silva ocupa na sede da Polícia Federal em Curitiba tornou-se o comitê central da campanha eleitoral do PT. De lá, todos os dias, saem os “salves” – ordens que criminosos emitem aos comparsas que estão extramuros – com as diretrizes do chefão petista sobre os rumos das campanhas à Presidência, aos governos dos Estados em que o partido tem candidatos na disputa e aos cargos no Poder Legislativo. A rigor, a única coisa que difere Lula da Silva dos chefões do Primeiro Comando da Capital (PCC) ou do Comando Vermelho é a natureza dos crimes pelos quais foram condenados. De resto, as ordens do petista são ouvidas por seus destinatários tanto como as ordens dadas por “Fernandinho Beira-Mar” e “Marcola”, presos na Penitenciária Federal de Porto Velho (RO) e na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP), respectivamente.
A permeabilidade dos muros do cárcere de Curitiba revela duas coisas. A primeira é que o PT foi, é e sempre será dependente do destino de seu líder máximo. O PT é Lula da Silva. O futuro da legenda está umbilicalmente ligado ao futuro de um criminoso condenado em duas instâncias judiciais em apenas um dos sete processos em que é réu. A segunda, mais grave por extrapolar a esfera privada em que está circunscrito um partido político, diz respeito ao beneplácito de autoridades públicas sem o qual não seria possível que Lula da Silva, de dentro de sua cela, turvasse o debate eleitoral no País como tem feito, causando enorme dano à Nação.
Registrado como candidato a vice-presidente de Lula da Silva na chapa petista – uma chapa eivada de um vício de origem a ser tratado em breve pela Justiça Eleitoral – o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad parece confortável no papel de títere de seu mentor, de garoto de recado e portador das cartas do cárcere. Ao que tudo indica, será ele o alçado à cabeça de chapa quando a candidatura de Lula da Silva, por óbvio, for impugnada. Sendo assim, com um candidato que não passa de um improviso para subverter o duro revés legal, o partido seguirá tendo Lula da Silva no comando de sua rota.
Lula da Silva continua no comando de seu partido e pauta o debate eleitoral mesmo não podendo ser candidato, por força da chamada Lei da Ficha Limpa, porque não está preso numa unidade prisional com as mesmas restrições que são aplicadas a outros presos. Foi um erro tê-lo recolhido, em caráter de exceção, à sede da Polícia Federal na capital paranaense. Além de o local não ser destinado ao cumprimento de pena, o vaivém de seus partidários, celebridades do meio artístico e advogados não raro constituídos apenas para ter livre acesso à cela, sem qualquer papel no que concerne à defesa de Lula da Silva, não seria tolerado com tamanha permissividade em uma unidade prisional regular.
Salvo os casos previstos na Lei de Execução Penal, presos não devem ser submetidos ao isolamento. E nem é disso que se trata. Como qualquer outro apenado, Lula da Silva tem o direito de receber visitas de membros de sua família, em dia certo, e de seus advogados, a qualquer tempo. O problema está no desvirtuamento das funções de advogado, figura fundamental para o Estado de Direito. O ex-presidente pode constituir tantos advogados quanto julgue necessários para exercer sua defesa. Já aqueles que aceitam o mandato para a defesa de Lula da Silva como mero subterfúgio para dar voz aos seus “salves” desvirtuam a nobre profissão, desafiam a Justiça e mostram à Nação a que interesses estão servindo.

Deu ruim pra Renata e Bonner! ✰ Comentário de Cidinha Campos

 

Americanas sofrem censura lulopetista e retiram de oferta as camisetas de Bolsonaro

Acossadas por histérica campanha lulopetista nas redes sociais e pessoalmente, as lojas Americanas decidiram retirar da sua lista de ofertas os 38 modelos envolvendo Bolsonaro.Elas estavam disponíveis no site. Com preços até R$ 39,90, algumas estampas só tinham uma foto do candidato e diziam ‘Bolsonaro Presidente’ ou ‘Bolsomito’, outras continham frases como ‘É melhor Jair se acostumando’ e ‘Sou Bolsonaro’. Havia também camisetas com referências a filmes como ‘Eu Sou a Lenda’ e ‘Poderoso Chefão’, ou com fotografias do candidato fazendo uma ‘arminha’ com as mãos’, marca registrada da sua campanha a favor da legalização do porte de armas no Brasil. Ainda, uma estampa trazia Bolsonaro montado em um dinossauro, com uma bandeira do país no fundo.
Outros dois modelos de camiseta falavam de Lula. A estampa, contendo uma mão com somente quatro dedos e um símbolo de proibido por cima, era a mesma em ambos. Somente a frase variava entre ‘Xô, Lula’ e ‘Fora Ladrão’.
As camisetas em apoio a Bolsonaro e contra Lula também estão continuam á venda em outras lojas online como Elo7 e Mercado Livre.

O que a Globo PODE e NÃO PODE mostrar

Cientistas descobrem como transformar tipos de sangue A e B em O

Bancos de sangue em todo o mundo vivem sofrendo com falta de tipos específicos de sangue, mas isso pode estar prestes a acabar. Cientistas descobriram um meio de transformar o sangue tipo A ou B em tipo O, que é o tipo que pode ser recebido por qualquer pessoa, independente do tipo de sangue que possui.
A transfusão de sangue precisa sempre ser feita entre pessoas com o mesmo tipo sanguíneo, para que o sistema imunológico não interfira na adaptação. Dessa forma, temos os tipos A e B, que podem doar para alguém com tipo AB, que aceita as duas “configurações”, mas que só pode doar para pessoas que também sejam AB. A e B não podem doar entre si e é aí que entra o tipo O, que funciona como um coringa, podendo ser doado para qualquer pessoa.
Acontece que o tipo O, que seria o mais interessante para os bancos de sangue, sempre está em falta, mas um estudo da Universidade de British Columbia, no Canadá, está prestes a mudar isso. Os cientistas conseguiram transformar sangue A e B em O, eliminando os chamados açúcares antígenos, elementos que diferenciam os tipos sanguíneos e que não existem no O, sendo isso que o torna um doador universal.
Digerindo as diferenças
O processo de transformação foi descoberto em um local mais próximo do que o esperado, dentro do corpo humano. Bactérias presentes no intestino e responsáveis por digerir alguns tipos de açúcar foram testadas nos tais açúcares antígenos e os resultados foram mais do que efeitos. Sem eles, qualquer fluido sanguíneo pode ser considerado tipo O, passando despercebido pelo sistema imunológico.
O pesquisador Stephen Withers comemora a descoberta. “Claro que ainda temos que passar por vários testes clínicos, para garantir que não vai haver nenhum tipo de consequência adversa, mas tudo isso parece bem promissor”, afirmou.

31 de agosto - Dia Internacional de Segurança em Informática

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Bolsonaro é uma “Ameaça”, Sim! ✰ Artigo de Milton Pires

Anteontem, durante o Jornal Nacional, o Brasil assistiu a Rede Globo levando a segunda surra de Jair Bolsonaro – a primeira, todos lembram, foi aquela da Globo News. 
Confesso a todos vocês que eu esperava o contrário. Pensava que o “massacrado” seria o próprio Bolsonaro e isso não aconteceu. 
Não aconteceu, eu já escrevi nas Redes Sociais, porque uma pessoa bem intencionada e dizendo a verdade não precisa do dinheiro, do poder e nem mesmo da inteligência de um bandido que mente sendo pago por seus amigos dentro do Governo. 
O efeito devastador, a repercussão toda da entrevista de Bolsonaro entre os que são e não são seus eleitores, resulta de um fato muito simples – o Brasil está há tempos, há muito, muito tempo, desacostumado a ouvir a verdade. 
O país da mentira entra em choque quando a verdade aparece em público e ela não precisa ser de conteúdo técnico, religioso ou filosófico. A verdade é, dizia Kant, a concordância da razão com seu objeto. Eu acrescento que ela é simples e auto-evidente para todo espírito, por menos inteligente que seja, que a busca com o coração puro. 
William Bonner e Renata Vasconcellos levaram uma surra “histórica” porque, no Brasil, cada vez que a verdade aparece ela é histórica – não por ser necessariamente uma surra; mas por ser verdade. 
De tudo que vimos anteontem, de toda hipocrisia com relação ao kit gay que só pode ser mostrado às crianças nas escolas e não no Jornal Nacional, do feminismo encomendado de Renata que pensa que todo presidente da República tem que ser um ativista de alguma causa da esquerda, eu escolho para abordar neste pequeno texto a reação de William Bonner que repetiu várias vezes para Jair Bolsonaro: “não estamos em 1964, estamos em 2018” (na verdade ele primeiro falou em 2021, mas se corrigiu). 
Essa parte me interessa (e muito): quer dizer que agora “não estamos em 1964?” Aparentemente, antes desta surra ao vivo no JN, nós estávamos! 
Nós estamos, digo eu, “presos em 1964” (pela Globo, pela Universidade, pela Igreja) desde 1985 porque a hegemonia, o direito de dizer aos brasileiros, de colocar nos livros a versão daquilo que aconteceu, foi sempre dos comunistas e vem, desde antes deles chegarem ao Governo, recebendo todo apoio da Rede Globo de Televisão. 
Bolsonaro é uma ameaça, sim, não à “Democracia” como foi escrito hoje no criminoso editorial do Estadão, mas à versão, à ideia de “Democracia”, da Rede Globo, do Estadão, da Folha de SP, da Zero Hora… de toda esta Universidade imunda controlada por petistas e do “Sindicato de Padres” que se tornou a Igreja Católica no Brasil. 
Não existe, até onde sei, nenhum grande jornal ou veículo de comunicação que, acuado, desmascarado nas suas investidas contra família, as crianças e a religião, não busque desesperadamente apoiar-se no medo de que o movimento cívico militar que tomou o Brasil nos primeiros meses 1964 se repita. 
Para manter o medo vivo é a versão comunista dos fatos que precisa estar íntegra e aí vem um grande problema: se é verdade que não existe um “fim da História”, como dizia o Francis Fukuyama, existe (aí digo eu) o “fim" da hegemonia, do direito de ser a única versão da História! 
Anteontem a Rede Globo, essa organização criminosa que todos os dias entra na casa das pessoas fazendo apologia ao uso de drogas, ao homossexualismo, ao ateísmo e à pedofilia, a uma igualdade que é sempre injusta e covarde porque injusta é a igualdade entre os desiguais, entendeu que seu discurso sobre o passado (o discurso da Revolução Cultural Comunista) está sendo gravemente ameaçado. 
Os brasileiros querem todos, votando ou não em Jair Bolsonaro, construir um futuro diferente para o Brasil. Antes disso vão ter que aprender a verdade sobre sua própria História. Anteontem foi uma espécie de pontapé inicial. 
Porto Alegre, 29 de agosto de “1964”, sim! (não é erro deste Editor) 
Milton Pires - Médico 

O Brasil que eu quero ✰ Comentário de Renata Vasconcellos

Jornal Nacional divulga nota contestando Bolsonaro

William Bonner fechou o JN lendo uma nota que contesta o que Jair Bolsonaro disse, na entrevista de anteontem, sobre a Globo receber “bilhões” em dinheiro público.
Segundo a nota da Globo, a afirmação é “absolutamente falsa”. Os anúncios de governos, alegou o grupo, perfazem “menos de 4% das receitas publicitárias e nem remotamente chegam à casa do bilhão”.
Logo depois da nota do Jornal Nacional rebatendo Jair Bolsonaro sobre os "bilhões em publicidade oficial", o vereador Carlos Bolsonaro, filho do deputado, exibiu no Twitter uma reportagem da Folha de São Paulo publicada em 2015...
Para ler a matéria original da Folha de São Paulo

Jair Bolsonaro em entrevista a GloboNews - 28/08/2018

Bolsonaro saiu maior do que entrou no estúdio do Jornal Nacional

 
Mais uma vez, os entrevistadores se portaram como escoteiros que acham que o politicamente correto do Leblon vale para o Brasil e que eles, empregados da Rede Globo - embora contratados como pessoas jurídicas - seriam representantes do povo brasileiro.
Bolsonaro foi Bolsonaro. Diferentemente de Ciro Gomes, Bolsonaro se apresentou de cara limpa, sendo quem é, conservando o mesmo discurso e o defendendo sem meias palavras. Disse que policial que matasse bandido armado mereceria medalha; falou com firmeza contra a erotização de crianças nas escolas e contra o kit-gay; expôs a hipocrisia do discurso de igualdade de gêneros quando disse que os salários dos dois apresentadores do Jornal Nacional era maior para Bonner (Renata Vasconcelos se perdeu totalmente nessa hora...); citou textualmente as palavras de Roberto Marinho sobre a “revolução democrática de 1964 feita pelos militares” (os filhos de Roberto Marinho não honraram as suas palavras como Bolsonaro o fez); sobre Paulo Guedes, diante da insistência de Bonner sobre problemas eventuais na relação de ambos, Bolsonaro alfinetou o entrevistador falando sobre casamento, juramento de fidelidade eterna e separação, invocando indiretamente no imaginário feminino a figura de Fátima Bernardes; e fez um encerramento redondo com todos os valores que defende.
Com mais uma entrevista dessas, Bolsonaro ganha no primeiro turno, eleito com a ajuda da Rede Globo e de seus editoriais tolos. Como eu disse ontem, a melhor estratégia era tirar aquele ar de superioridade da dupla do JN, quebrar a falsa neutralidade, atacar a hipocrisia do discurso politicamente correto. Bolsonaro fez com sobras o dever de casa: não se combate criminosos armados com rosas..., não se sai bem de uma sabatina dessas sem tratar os entrevistadores como adversários que querem sangrar a sua imagem. Bolsonaro fez isso e saiu muito bem.
É simplista a afirmação que a criminalidade se combate na bala. Bolsonaro diz algo que a intelectualidade tenta fazer cara de horror, mas que a indignação das vítimas da violência armada pede: em épocas brutais, pulso. Bolsonaro se porta como macho alfa em um cenário político de invertebrados, de discursos empolados ou de conversa econômica cansativa, de números estranhos à realidade das dores dos viventes em favelas, subúrbios e grotas.
Sinceramente, Bolsonaro saiu maior do que entrou no estúdio do JN. Devorou Bonner e Renata, simplesmente porque os tratou como infantes engomadinhos. E é o que a maioria pensa e acha. Deu certo"!
Adriano Soares Costa - é um grande doutrinador de direito eleitoral.

A entrevista de Jair Bolsonaro foi espetacular ✰ Comentário de Fernando Holliday

Redes Sociais divulgam empresas em nome de Willian Bonner e Renata Vasconcellos

William Bonemer Júnior = Tigris Producoes Artisticas Eireli
CNPJ: 57.186.074/0001-81
R Maranhao, 181, Apt 61 Andar 6
Higienopolis, Sao Paulo,
Atividade econômica: Atividades de televisão aberta
Natureza jurídica: Empresa Individual De Resp.Limitada (De Natureza Simples)

Renata Fernandes Vasconcellos = Apress Divulgacao E Promocoes Ltda.
CNPJ: 02.176.454/0001-43
Endereço: R Timoteo Da Costa, 135, Apt 401
Leblon, Rio De Janeiro,
Atividade econômica: Artes cênicas, espetáculos e atividades complementares não especificadas anteriormente
Natureza jurídica: Sociedade Simples Limitada.

STF tornar Bolsonaro réu não afeta sua elegibilidade, explica especialista Alberto Rollo

Marina, se salvou de estupro porque andava armada. Agora, com 21 agentes da PF como seguranças, é contra armas

Marina Silva confirmou que só escapou de estupro porque andava armada, a informação que circulava nas redes originou-se de uma entrevista. 
De usuária de arma a principal candidata a favor do desarmamento da população, Marina passou por uma considerável jornada pessoal. A mudança foi principalmente no sucesso político, de uma pessoa humilde que dependia da proteção de uma arma para sobreviver Marina se tornou uma política importante protegida por seguranças particulares. 
A Polícia Federal colocou 21 agentes para fazer a segurança da ex-seringueira. Agora ela é contra, quer desarmar inclusive o morador rural. Quem não tem dinheiro para pagar segurança, pode perder a vida para o crime mesmo se a polícia demorar 2 minutos para chegar, em um Brasil em que o mais normal é esperar 2 horas, as soluções de Marina só refrescam suas costas já bem guardadas.

Ué! Marina não é contra a posse de armas???

TSE convoca sessão extraordinária para julgar caso Lula antes do inicio do horário eleitoral.

Tribunal quer definir a questão sobre a participação de Lula no rádio e na TV 
antes do início do horário eleitoral gratuito dos presidenciáveis, que vai ao ar no sábado (1º):

A participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no horário eleitoral gratuito será analisada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em sessão extraordinária convocada para a próxima sexta-feira (31), às 14h30. A propaganda em rádio e TV começa nesse dia, mas o primeiro programa de presidenciáveis vai ao ar somente no sábado (1º). A intenção do TSE é dar uma resposta rápida a essa questão rápido, antes do início das propagandas em rádio e TV.
Nesta quarta-feira (29), o Partido Novo, do presidenciável João Amoêdo, reiterou pedido para que o ministro Luís Roberto Barroso vete a participação de Lula no horário eleitoral gratuito.
O primeiro programa petista está pronto e tem inúmeras imagens de Lula colhidas especialmente no dia em que ele se entregou à Polícia Federal em Curitiba. A defesa do ex-presidente e o PT vêm tentando liberação judicial para gravar novas imagens do líder partidário. Contudo, todos os pedidos foram rejeitados até o momento.
Diante disso, a estratégia do PT passa por usar imagens de arquivo, mas também cartas que Lula tem escrito de dentro da sala especial onde está preso desde o início de abril.
Normalmente o TSE se reúne às terças e quintas-feiras, mas no período de eleição, são comuns as sessões extraordinárias, como a desta sexta.
Na quinta-feira (30), os ministros vão se reunir para deliberar sobre algumas chapas registradas. Geraldo Alckmin (PSDB), que teve uma impugnação contra si protocolada no TSE, deve ter a candidatura liberada.
Ficam pra semana que vem as análises dos registros de Jair Bolsonaro (PSL). Já o caso da impugnação ou não de Lula só deve ser levado ao plenário no dia 4 de setembro. 

A noite em que Jair Bolsonaro deu nos dedos de Renata e William Bonner ✰ Comentário de Políbio Braga

E o eleitor conservador? ✰ Artigo de Percival Puggina

Observe a conduta de muitos dos principais meios de comunicação brasileiros, seus editoriais e mais badalados comentaristas. Não precisará muito tempo para concordar com esta afirmação: eles decidiram que o problema do Brasil não são os corruptos, nem é a esquerda retrógrada, nem a irracionalidade do modelo institucional, nem a irresponsabilidade fiscal dos parlamentos, nem a instabilidade criada pelo STF. O que tem que ser combatido no Brasil é o conservadorismo. Não lhe deve ser concedido direito de representação e precisa ser alvejado até que não reste em pé um só desses idiotas para que suas pautas não ganhem força institucional.
Ampla maioria da população crê em Deus e reconhece a importância da religião e da instituição familiar. É contra a ideologia de gênero e quer proteger as crianças dos abusadores que pretendem confundir sua sexualidade. É contra o aborto, o desarmamento e a liberação das drogas. Quer segurança e bandidos na cadeia. Repudia o feminismo como pauta política, movimento revolucionário, ou fundamento de uma nova moral. Não admite a transformação da sala de aula em oficina onde o professor opera como torneiro de cabeças. Rejeita o deliberado acirramento de conflitos que se tenta impor em vista de diferentes cores de pele, olhos e cabelos; ou de classe, apetite sexual, faixa etária, renda. E por aí vai.
Os grandes veículos a que me refiro, ou advogam do lado oposto, ou jamais revelaram qualquer interesse por tais posições. Da ideologia de gênero ao feminismo mais transgressor. Degeneradas fazem orgia com símbolos sacros em via pública? Noticia-se o ocorrido como quem descreve um pôr do sol sobre a Lagoa, ou se fala em liberdade de manifestação e em tolerância. É a pretendida tolerância com o intolerável e com os intolerantes...
De fato, o período que estamos vivendo oferece oportunidades extraordinárias para observarmos o principal alinhamento de grandes meios de comunicação. Mesmo quando há diferenças importantes entre eles, sobressai um denominador comum que resiste à desilusão de muitos profissionais com as antigas convicções. Até os que delas se divorciaram antes de ficarem viúvos da esquerda, participam da confraria que pode ser definida como a unidade de quase todos em torno do repúdio às posições conservadoras. E essa intransigência, hoje, tem como alvo o candidato Bolsonaro, saco de pancadas da eleição presidencial. Praticamente todos se dedicam a malhá-lo, haja ou não motivo para isso. Aliás, não precisaria motivo. O conservadorismo basta.
Tal atitude reforça a natural conduta dos demais candidatos. A posição de Bolsonaro nas pesquisas já seria motivo suficiente para todos o atacarem. Com a mídia comandando a artilharia contra o adversário comum, o que pudesse haver de conservadorismo em qualquer deles foi jogado no arquivo morto. “A mídia rejeita e está ajudando”, dirão. Objetivo alcançado: há um único representante dessa importante corrente de opinião, indispensável para realinhar aspectos essenciais da vida nacional. Agora, basta abatê-lo e esperar, ali adiante, a colheita integral do "progressismo" plantado por ação ou omissão.
Percival Puggina - membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país.

OLX é para os fracos

Transportados pelo governo, centenas de venezuelanos, sem triagem, desembarcam em cidades gaúchas

Foto de uma das maiores gangues da capital venezuelana: Caracas

O governo federal anunciou que pretende transferir até meados de setembro mais de 600 venezuelanos que estão em abrigos em Roraima para duas cidades gaúchas.
As informações, que começaram a ser anunciadas na sexta-feira (24), são os primeiros detalhes divulgados da próxima etapa da interiorização dos imigrantes, processo pelo qual o governo federal leva os venezuelanos de avião para outros estados com melhor infraestrutura.
Os 646 venezuelanos serão levados por aeronaves da Força Aérea Brasileira para os municípios de Canoas e Esteio, ambos na região metropolitana de Porto Alegre.
Não foi divulgado o número exato de imigrantes que cada cidade vai receber na transferência, planejada para ser feita entre 6 e 18 de setembro, mas as prefeituras vão receber verbas adicionais do governo federal. Esteio ganhará R$ 530 mil e Canoas ficará com R$ 1 milhão.
Além disso, a Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) também vai ajudar pagando o aluguel dos venezuelanos.
A interiorização dos imigrantes é uma das principais apostas do governo do presidente Michel Temer para lidar com o grande fluxo de venezuelanos, que têm cruzado a fronteira para fugir da crise econômica e política que atinge o seu país.
Segundo o próprio governo, mais de 127 mil venezuelanos entraram no Brasil desde o início da crise, sendo que 60% deixaram o país, de acordo com a Polícia Federal.
Mas o plano de levar os imigrantes para outros estados, que começou a ser implementado em abril, tem avançado com dificuldade.
Nos primeiros seis meses, foram transferidos 820 venezuelanos para seis estados e para o Distrito Federal e o governo disse que pretende acelerar o processo.
Após os confrontos violentos no último dia 18 entre brasileiros e imigrantes na cidade de Pacaraima, principal porta de entrada no território brasileiro, o governo federal anunciou que até o início de setembro pretendia transferir mil venezuelanos para outros estados —o grupo que vai para o Rio Grande do Sul faz parte deste bloco.
Não há informações ainda sobre o restante das transferências e nem sobre como serão definidos os venezuelanos que vão para as cidades gaúchas.

Delegado Francischini fala dos 7 A 0 de Bolsonaro com a Globo

 

"Vacina contra dengue não deve ser tomada por quem nunca teve o vírus, diz Anvisa"

Após 5 anos de uso, estudos da empresa que produz a vacina no Brasil 
mostram que medicamento é indicado somente para pessoas que já tiveram dengue

Monitoramento realizado pelo laboratório Sanofi-Pasteur demonstra que a vacina contra dengue apresenta benefícios apenas para pessoas que já tiveram a doença. Com isso, sua bula sofrerá alterações, já aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), restringindo o uso.
Conhecida como Dengvaxia, a vacina é produzida pelo Sanofi-Pasteur. O laboratório tem realizado o monitoramento pós-mercado, acompanhando o medicamento após seu uso pela população.
De acordo com a pesquisa, pessoas que nunca tiveram contato com o vírus apresentam aumento no risco de hospitalização ou de contrair dengue grave quando tomam a vacina. Isto é, as chances de desenvolver quadro mais grave é maior.
Diante dos resultados obtidos, três alterações para uso do produto foram aprovados pela Anvisa. São elas: (a) restringir o uso da Dengvaxia para indivíduos soropositivos (quem já teve dengue) que moram em área endêmicas; (b) Definição mais clara para área endêmica, que serão considerados os locais onde 70% das pessoas ou mais já tiveram contato com o vírus; e (c) Inclusão da contraindicação da vacina para indivíduos que nunca tiveram dengue (soronegativos).
Seguindo recomendações de grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS), as mudanças ocorreram pela comprovação de eficácia da vacina. Outro fator decisivo se deve a Dengvaxia ser a única vacina contra dengue aprovada no Brasil, que constantemente sofre com epidemias da doença.

Bonner desnorteado, achou que Bolsonaro estava em campanha para reeleição

Eleições 2018 adiam início do horário de verão no Brasil neste ano

Já avançamos pelo segundo semestre de 2018 e já dá para ir pensando no horário brasileiro de verão. E, nesta edição, ele vai ficar mais curto. No final do ano passado o presidente Michel Temer assinou um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. Neste ano, a medida começará a valer no primeiro domingo de novembro (dia 4), uma semana depois de um possível segundo turno das eleições para presidente e governadores. O decreto atrasou em duas semanas o início do horário, previsto para 21 de outubro
A data do final não foi modificada e continuará sendo o terceiro domingo de fevereiro (dia 17 em 2019). No início do horário de verão os relógios devem ser atrasados em uma hora a partir da meia-noite, voltando para 23 horas. No fim, os relógios devem ser adiantados em uma hora, saindo de meia-noite para 1 hora da madrugada.
A redução atendeu a pedido do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na época, Gilmar Mendes, que solicitou a mudança na vigência do horário de verão de 2018 por causa das eleições. Segundo o tribunal, a medida facilitará a apuração dos votos, uma vez que o país não terá uma diferença tão extensa de fusos horários. O primeiro turno da eleição de 2018 será dia 7 de outubro e o segundo, dia 28 do mesmo mês.

30 de Agosto - Dia Estadual de Combate ao Glaucoma

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

O golpe do "mecanismo" ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

Engana-se quem pensa que o afastamento de Lula da competição presidencial seria “favas contadas”.
Faltando menos de dois meses para a eleição presidencial, os golpistas pró-Lula, ou alternativamente de outra “chapa” qualquer de esquerda, alguns “togados” dos Tribunais Superiores - todos com cadeira cativa no “Mecanismo”-  com certeza já prepararam um golpe “jurisdicional”, dividido em etapas, que serão detonadas exatamente no momento em que não houver mais qualquer chance, ou tempo, de reverter a situação criada.  Esse é o projeto “diabólico” a ser enfrentado.
Os “prazos” judiciais certamente estão sendo considerados nesse “golpe”, que antes de ser CONTRA a chapa Bolsonaro/Mourão, será a FAVOR de Lula, seu eventual “poste”, ou qualquer outra candidatura de esquerda com   alguma chance de vitória.
Lula corre sozinho “por fora”, mas é o que tem a preferência do “Mecanismo”. Parece que o simples fato de Lula participar nos horários de propaganda gratuita da Justiça Eleitoral, até que julgadas as impugnações à sua candidatura no TSE, já estaria indicando a irreversibilidade da sua candidatura. Daí em diante a “coisa” seria fácil. Bastaria a Justiça Eleitoral programar os seus computadores para que a “totalização” dos votos apurados correspondesse aos resultados das pesquisas falsificadas do IBOPE e DATAFOLHA, encomendadas e pagas pela Globo e pelo “Estadão”, dando enorme vantagem para Lula.  Não seria nenhuma surpresa para os “trouxas”.
Ditos “golpistas” usam as “togas” e as leis como principais armas. Sabem melhor que ninguém que dependendo do “momento” de uma determina decisão da Justiça, o candidato que se julgar prejudicado não terá nem o tempo que seria necessário para tentar reverter a ordem judicial. Os tais “prazos” eleitorais seriam fulminantes. Esse é o “jogo” que “eles” estão fazendo, com “maestria” dolosa, sem dúvida.  Bem sabem esses golpistas que as datas e prazos do calendário eleitoral são “sagrados” e imutáveis.
O “golpe” em preparação certamente será subdivido em “etapas”, cada uma das quais preparando o terreno para a seguinte. O que esses “delinquentes ” da política e da “Justiça” têm   em mente é pegar a sociedade de surpresa, tirando-lhe qualquer chance de reação bem sucedida. O “golpe” certamente terá a cobertura das leis, na “interpretação” do Supremo, que tem o poder de dar a “última palavra”, por ser ele o “tribunal constitucional”.
Considere-se que nenhuma lei tem validade se não tiver as “bênçãos” do Supremo. Essa realidade corresponde à célebre frase deixada por Ruy Barbosa: ”A pior ditadura é a do Poder Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer”.
Mas a candidatura preferencial do “Mecanismo” sem dúvida é a de Lula, que corre “por fora”. Nunca “eles” ganharam tanto dinheiro quanto nas gestões do PT. Aí está a razão desse apoio quase “fanático”. O “Mecanismo” não é de direita, centro ou esquerda. Nada disso. A sua “ideologia” é uma só: o “dinheiro”.
Não se sabe ainda ao certo qual a estratégia do “Mecanismo” para derrotar Bolsonaro. Mas o certo é que “ele” teme mais o “vice” (General Mourão), do que o próprio “Capitão”. Isso porque essa entidade fantasma ainda respeita mais os militares que qualquer outra coisa. E bem sabe do prestígio de Mourão em boa parte do Exército e das demais “Forças” (Aeronáutica e Marinha). Ora, com os políticos, o “Mecanismo” sempre vai se sentir “à vontade”.  “Enterrando” a chapa Bolsonaro/Mourão, tudo o mais seria acomodado com facilidade, quer seja com Lula, Alckmin, Ciro Gomes ou Marina Silva.
Mas parece que o “Mecanismo” está achando que o melhor seria eliminar Bolsonaro/Mourão desde logo, antes das eleições. O risco seria bem menor. Após as eleições, e se confirmadas as suspeitas de fraude eleitoral com as urnas eletrônicas, poderia haver a “surpresa” de uma reação militar qualquer. Esse “perigo” teria que ser cortado pela raiz.  E toda a chance está agora com o Supremo que julgará duas ações criminais (idiotas, por sinal) contra Bolsonaro. Com um “jeitinho” qualquer, ele poderia ser   condenado e afastado da competição. Com isso, o maior temor do “Mecanismo” seria afastado. O “campo” ficaria totalmente à disposição da esquerda.
Se porventura for eliminado o “risco” Bolsonaro, a confirmação da candidatura de Lula seria bem menos complicada. Ela poderia ser homologada logo após o julgamento das impugnações contra a sua candidatura pelo TSE, ou em grau de recurso ao Supremo. Não haveria tempo suficiente para reverter a situação criada mediante recursos judiciais. Essa reversão só poderia se dar se usado o recurso do artigo 142 da Constituição, ou seja, mediante uma “intervenção constitucional”, provocada pelo ” Poder Instituinte e Soberano do Povo” (art. 1º, Parágrafo 1º, combinado com o 142 da CF), executada pelo Poder Militar (FA).
E se de fato  existe um GOLPE sendo arquitetado pelo “Mecanismo”, só haverá uma maneira de eliminá-lo: o CONTRAGOLPE. Todas as possibilidades devem ser consideradas. E as medidas a serem tomadas como reação previamente previstas nos mínimos detalhes. Se deixarem as coisas acontecer para depois estudar o que fazer, seria a “morte” antecipada de qualquer reação. Não daria mais tempo para nada.
E se esse “golpe” porventura prosperar, sem que seja revertido a tempo por um contragolpe, caberia aplicação do antigo brocardo do latim: “dormientibus non sucurrit Jus” (“o Direto não socorre os que dormem”). Von Ihering explicou melhor que ninguém esse brocardo: “Cabe a qualquer pessoa um dever para consigo mesmo, o de repelir com todos os meios ao seu alcance qualquer agressão a um direito investido na sua pessoa...”.
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...