quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Brumadinho precisa de bodes expiatórios ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

O paliativo encontrado pelas autoridades públicas para dar uma “satisfação” à sociedade pela recente tragédia do rompimento da barragem da “Vale” em Brumadinho, que deixou muitos mortos, feridos e desaparecidos, de responsabilidade da mineradora , mandando prender, “na marra”, 5 (cinco) profissionais  como se fossem eles os únicos “responsáveis” pelo rompimento da barragem, não só se trata de uma flagrante injustiça, pela seu caráter restritivo e parcialidade, isentando de responsabilidade uma infinidade de outros profissionais, políticos e administradores públicos, direta ou indiretamente envolvidos, desde a autorização inicial das instalações, até a tragédia, como  também limita  a culpa ao “pessoal” da  mineradora, ”livrando a cara” de muitos  agentes públicos, que teriam se omitido de controlar e fiscalizar  tais atividades durante todo o tempo das suas atividades.
Não seria demais lembrar a infinidade de órgãos ambientais públicos existentes no Brasil, que teriam por obrigação controlar e fiscalizar todas as atividades da mineradora, e não o fizeram ou fizeram inadequadamente.
Na verdade, não se pode confundir “Justiça” com a simples satisfação da “sede de sangue”, muitas vezes por exigência da sociedade frente a acontecimentos catastróficos dessa natureza.
A sociedade jamais estará preocupada e nem terá condições de investigar quais as verdadeiras causas dessa tragédia.  E todos os seus culpados.  Não só de “hoje”, como de “ontem”, e de “sempre”.
“Qualquer um” que tiver o azar de ser escolhido pelas autoridades como “responsável” pelos acontecimentos, terá que “pagar o pato”, e mesmo servir de “bode expiatório” para ser execrado pela opinião pública, independentemente de ter ou não culpa e, caso afirmativo, da sua “hierarquia” frente aos demais culpados.
Resumidamente, posso garantir-lhes que as prisões tão rápidas e provavelmente irresponsável desses prepostos da mineradora levanta sérias dúvidas sobre as suas legitimidades, acarretando suspeitas sobre procedimentos meramente “demagógicos” das autoridades para satisfazer a sede de sangue dos que necessitam encontrar um culpado a qualquer custo, mesmo que o preço seja a INJUSTIÇA. E a Grande Mídia sabe como ninguém como preparar o espírito da opinião pública, plantando nela a semente da “sede de sangue”.
E aquela hipótese inicialmente suscitada de que a barragem poderia ser sido explodida em ação terrorista?
(PS: não sou advogado dos presos e nem os conheço).
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo

A culpa é dele!!

Bolsonaro tem que se cuidar. Mourão está falando pelos cotovelos

Antes de tecer críticas, gostaríamos de destacar que o general Mourão é uma pessoa íntegra, honesta, culta e tem boas intenções para com o país, mas …
Durante a campanha eleitoral, nas poucas vezes em que Mourão abriu a boca, Bolsonaro perdeu pontos significativos nas pesquisas de intenção de votos.
Pois bem …
Somente no dia de ontem, o vice-presidente deu duas declarações polêmicas para a imprensa.
A primeira foi com relação ao presidiário Lula … Mourão declarou ser a favor da liberação de Lula para que o mesmo comparecesse no velório do irmão.
Vale ressaltar que toda a estrutura logística (escolta policial, seguranças, avião, etc… ) seria pago com dinheiro público … isso sem contar com possíveis riscos de rebelião popular e chances reais de fuga, conforme destacaram a juíza responsável, o MPF e a Polícia Federal.
E tem mais … quando Lula era presidente, ele perdeu 2 irmãos e não foi ao velório de nenhum deles … mandou um representante.
A segunda lambança de Hamilton Mourão ficou por conta da mudança da embaixada brasileira em Israel (de Tel Aviv para Jerusalém) … o vice-presidente conseguiu contradizer tudo aquilo que Bolsonaro pregou durante a campanha e também após sua posse.
Resumindo …
Vice-presidente não tem que opinar em questões exclusivas do judiciário (caso Lula) nem tampouco em questões diplomáticas que são de responsabilidade do presidente da república.
O general Mourão está falando muito e a imprensa marrom está adorando (e dando corda) para suas trapalhadas.
Quem venceu nas urnas foi Jair Bolsonaro.
Não podemos esquecer que o general aspirava ser candidato à presidência nas últimas eleições.

Circo armado para festa. Era enterro ou comício??! PT continua se superando.

 
O padre foi convidar os petistas para rezarem, vejam só o que aconteceu!!
O velório onde o morto não tem nenhuma importância, nem para o padre.

O padre pede para rezar um Pai Nosso.
Isso entre faixas, cartazes e camisetas estampando os dizeres "Lula Livre"!
 da lugar a oração que o Senhor nos ensinou.
O morto é um mero detalhe insignificante.
Repentinamente, alguém resolveu substituir a oração - o Pai Nosso - por gritos histéricos de "Lula Livre".
Incontinenti, todos acompanharam. Até o padre...
Quanta insanidade! Quanto desrespeito!
A veneração a um corrupto e lavador de dinheiro dá lugar a oração que o Senhor nos ensinou...
Otto Dantas - Articulista e repórter

Petrobras vende refinaria de Pasadena. Prejuízo causado por Dilma foi de R$ 3 bilhões

 
Brasileiros que moram na Califórnia foram até a cidade de Pasadena mostrar a sucata que restou da Refinaria da Petrobras.
São bilhões e bilhões de dinheiro público que foram jogados no lixo.
A negociação desastrosa ocorreu quando nossa ex-president’a’ Dilma estava no comando da estatal.
A aquisição da refinaria obsoleta [que mais parece sucata] foi autorizada por Dilma em 2006, quando ela presidia o conselho da empresa.
Os dados nebulosos começam com um pagamento inicial de US$ 360 milhões por metade da refinaria de Pasadena.
Uma sucata adquirida um ano antes pela empresa belga Astra Oil por US$ 42,5 milhões.
Depois de perder na justiça e ser “obrigada” a comprar a outra parte da refinaria [com todos os encargos], a Petrobras já pagou 1,3 bilhão de dólares (cerca de R$ 5 bilhões) por esta SUCATA …
O Conselho de Administração da Petrobras aprovou ontem (30) a venda da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, para a francesa Chevron por US$ 562 milhões, cerca de R$ 2 bilhões. É o capítulo final de um dos projetos mais polêmicos da estatal, alvo da Operação Lava-Jato.
Resumo da Ópera: Nós (consumidores) pagamos R$ 5 bilhões por uma refinaria e agora a Petrobras vende a mesma refinaria por R$ 2 bilhões.
Dilma Rousseff nos deu um prejuízo de R$ 3 bilhões, somente nesse negócio.

Supremo Tribunal do Lula

Governo Bolsonaro começou despetização na EBC

Governo Bolsonaro reestrutura EBC e demite 45 comissionados

Quatro dias depois da “inspeção surpresa” feita pelo ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz, na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), no Rio de Janeiro, a direção da empresa anunciou, nesta segunda-feira, 28, a reestruturação dos seus quadros e a redução de 45 cargos em comissão. As demissões atingem funcionários não só no Rio, mas também em Brasília, São Paulo e Maranhão. Nem todos deixarão a empresa por serem servidores de carreira.
A nota da EBC comunicando os afastamentos informa ainda que, a partir desta terça-feira, 29 de janeiro, o Repórter Brasil Maranhão, programa jornalístico local da TV Brasil no Estado, deixará de ser exibido. A ideia é de reduzir o quadro em 30%, em um primeiro momento. Em um primeiro momento, o presidente Jair Bolsonaro havia anunciado que extinguiria a EBC. Agora, a intenção é juntar os quadro da TV Brasil, a chamada TV pública, criada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com a NBR, TV que faz as transmissões oficiais do governo em um só núcleo. Além disso, o governo quer limitar os cargos em comissão ao mínimo possível e que esses postos, preferencialmente, sejam ocupados por funcionários de carreira.
Na “visita surpresa” à EBC-Rio do general, na semana passada, depois de percorrer andares e salas da empresa, ele encomendou, no RH, um relatório sobre quantas pessoas e cargos tem cada setor, a folha de ponto e a informação sobre quem é funcionário de carreira e quem é comissionado.
Em nota, a direção da EBC comunicou a reestruturação da empresa. Informa ainda que “o objetivo das mudanças é adequar a empresa à meta de otimizar despesas, com vistas à sustentabilidade até 2022, conforme estabelecida no Planejamento Estratégico da Empresa”.

Educação para evitar políticos desonestos

 
Num tempo em que ideologia de gênero, sexualização, distorções históricas, de valores e secularização dominam a escola, o Brasil precisa retomar o controle da educação. O livro CIDADE DA JUVENTUDE, do jurista Djalma Pinto é um excelente paradidático para o resgate de valores conservadores no país. 
Compre o livro no site: armazemdacultura.com.br

Reação à ajuda voluntária de Israel em Brumadinho expõe judeofobia de parte da mídia brasileira

Não há surpresa aqui: o maior capítulo do meu Esquerda Caviar é justamente sobre o ódio a Israel, uma bandeira que tem sido erguida por radicais de esquerda faz tempo.
Israel é associado aos Estados Unidos e costuma ser atacado como um “estado opressor” por aqueles que defendem terroristas palestinos. Também é uma nação capitalista próspera, e isso incomoda bastante os adeptos da ideologia da inveja.
Deputados de extrema-esquerda gostam até de queimar a bandeira de Israel em praça pública. Ou seja, essa revolta patológica contra a única democracia sólida e plural do Oriente Médio é marca registrada dos socialistas.
Ainda assim, choca o grau de judeofobia dessa turma. Com o novo governo Bolsonaro, o Brasil mudou de postura diante de Israel, tornando-se um aliado. O primeiro-ministro Bibi Netanyahu esteve prestigiando Bolsonaro na posse, fato inédito, e ambos se dão muito bem, tendo em Trump um líder comum.
Isso só poderia adicionar lenha na fogueira dos preconceitos esquerdistas, naturalmente. E foi o que vimos. Israel, num ato de altruísmo, ofereceu ajuda para as buscas em Brumadinho, enviando mais de uma centena de militares e vários equipamentos. Qual foi a reação de parte da nossa mídia diante desse gesto nobre? O desprezo, claro!
Falaram que os equipamentos não serviam para nada, o que foi negado pelo responsável pelas operações de busca. Os equipamentos são úteis sim, como seria de esperar vindo de um dos países mais inovadores em tecnologia do mundo.
Tentaram dar um jeito de diminuir a nobreza da ajuda humanitária espalhando boatos de que teriam recebido dinheiro por isso, o que se mostrou falso. É pura patologia!
Esse ódio irracional dos esquerdistas a Israel é algo deprimente, e vem mascarado como objeção às políticas do atual governo ou mesmo do estado, mas no fundo trai o forte preconceito ao povo judeu e sua associação com o modelo capitalista. É fruto da mais mesquinha das paixões: a inveja.
Mas, para desespero dos odientos, Israel segue fazendo aquilo que é certo. Protege sua população, cria um ambiente de inovação que contribui bastante para o progresso da humanidade, e oferece ajuda voluntária para diversos países. Os cães ladram, a caravana judaica passa…
Rodrigo Constantino

Equipe de veterinários costuram bolsa de colostomia na boca de "andrade"

Maduro está enviando toneladas de ouro para Rússia

Uma aeronave da Rússia, que teria pousado em Caracas nesta terça-feira (29), está levantando suspeitas da Assembleia Nacional da Venezuela, de maioria opositora.
Segundo informações enviadas por funcionários do Banco Central da Venezuela, um avião chegou de Moscou para extrair pelo menos 20 toneladas de ouro.
Em mensagem publicada no Twitter, o perfil oficial da Assembleia Nacional pede explicações oficiais ao presidente do Banco Central, Calixto Ortega.
“Exigimos ao BC detalhes do ocorrido. Esse ouro não é do Calixto Ortega, é do povo venezuelano”, disse o órgão de maioria opositora ao regime de Nicolás Maduro.
O ditador Maduro firmou acordos com seus generais oferecendo participações nas extrações de ouro e minérios. Isso garante a lealdade do alto escalão militar da Venezuela.

O Bolsonaro é fascista? ✰ Comentário de Luiz Felipe Pondé

 

Homem invade dependências do Congresso com réplica de arma de fogo

Portando uma réplica de arma de fogo, um cidadão invadiu o espelho d’água do Congresso Nacional.
O homem, que aparentava desespero e se lamentava por problemas pessoais, foi detido pela segurança da Casa com o auxílio da PM, que o convenceram a se entregar.
Ele foi encaminhado para a delegacia do Senado.
Testemunhas narram que os primeiros momentos foram tensos, mas os insistentes pedidos e argumentos das forças de segurança o fizeram largar a falsa arma e se entregar.
Porque é que essas coisas não aconteciam durante as gestões petistas?

Aquele acessório tendência pro verão

Deputados petistas se deslocam até Brumadinho para capitalizar em cima da tragédia

 
Acreditem se quiser … os deputados petistas Gleisi Hoffmann e Paulo Pimenta, mostrando um oportunismo digno de dar ânsia de vômito, foram até Brumadinho/MG para tentar capitalizar politicamente em cima da tragédia ocorrida.
As vidas ceifadas nesta tragédia têm a logomarca do PT, tanto a nível federal (governos Lula/Dilma) quanto a nível estadual (gestão Fernando Pimentel).
O que esses pulhas (que não são médicos, militares, psicólogos, jornalistas etc…) estão fazendo numa área de resgate?
Gleisi e Paulo se esquecem (ou ao menos fingem) que em novembro de 2016, um ano após a tragédia de Mariana, o então governador petista Fernando Pimentel sancionou uma lei estadual (nº 2.946) afrouxando a fiscalização ambiental, ao invés de reforçá-la.
Saiam imediatamente daí … respeitem a dor alheia …vocês são desprezíveis!

Empresa de cosméticos faz campanha inspirada em #Brumadinho e tem péssima repercussão ✰ Comentário de Leo Lage

 

Empresa de cosméticos faz campanha com a tragédia de Brumadinho. Protesto ou Marketing?

 
Um ensaio fotográfico criado pela empresa Jendayi Cosméticos vem provocando críticas e protestos nas redes sociais. Trata-se de uma campanha de solidariedade às vítimas do rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais. porém, não foi bem aceita pelos internautas.
O trabalho apresenta três modelos, entre eles uma criança, cobertos de lama, chorando e enrolados com a bandeira do Brasil. Apesar da repercussão negativa.
No texto, a Jendayi afirma que o ensaio foi produzido pelo fotografo Jorge Beirigo, com o intuito de “incentivar a todos a não desistirem desta luta, irem até o final, seja com orações ou doações”.
“O objetivo desta campanha é mostrar que existe uma marca de cosméticos que se preocupa com a beleza… a beleza da vida. Nossos cosméticos embelezam os cabelos, mas nossas atitudes podem deixar um sorriso, um olhar, uma família, um sonho… mais iluminado e bonito. Nossa empresa está nesta luta”, destaca um dos trechos da postagem, destacando que Jorge Beirigo, o fotógrafo, também é diretor de marketing da empresa.
Reações
As reações dos internautas na página da empresa no Facebook foram as piores possíveis. Podem ser encontrados comentários do tipo:
“Meu Deus. O que é isso Jendayi Cosméticos, que falta extrema de respeito. Se há alguma consciência em vocês, apelem pra ela…”.
“Apelo desnecessário. Tem forma melhor de protestar. Não gostei, apesar de respeitar”.
“Brasileiro tem mau gosto de nascença. É um nojo completo!!!”
“Caraca…que absurdo isso!”
“Que campanha horrorosa. Enquanto eles posaram para estas fotos, a realidade se impõe de outra maneira. Há 300 pessoas desaparecidas e sob a lama. Falta de humanidade, desejo de aparecer de qualquer maneira”.
“Parabéns, ficou uma merda vocês usarem uma tragédia pra promover a marca”.
“Empresa usando a tragédia como propaganda de si”.
“Que absurdo!!! Caralhooooooo não é possível!!!! Como uma merda dessa é aprovada por várias pessoas???? Quem teve a ideia, quem aprovou, quem fotografou, quem produziu, quem maquiou, quem se prestou a esse papel… caralhoooo mta gente envolvida e ninguém com senso crítico pra perceber que é de péssimo gosto uma empresa se promover em cima de uma tragédia????? Pelo amor de Deus gente!!!! Acordem!!!!! Que tristeza”.
“Pegaram carona na dor dos outros!”
“Isso não é manifestação. Isso é tentativa de promoção em cima da tragédia alheia. Envergonhada. Nem conhecia essa marca, agora, toda vez que vir, farei propaganda contrária”.

Equipamentos de Israel ajudam a encontrar Marina Silva

Lama da Vale chega a 98 km de onde barragem de Brumadinho se rompeu

Novo boletim de monitoramento do Rio Paraopeba aponta que a lama de rejeitos da Vale avançou 98 quilômetros a partir da barragem que se rompeu em Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. A informação foi divulgada pelo Serviço Geológico Brasileiro nesta quarta-feira (30), às 19 horas. A mistura de rejeitos e água (pluma) está a cerca de 4 quilômetros da montante da ponte da MG‐060, sobre o rio Paraopeba, no município de São José da Varginha. Na medição anterior, na terça-feira (29), a lama estava 13 quilômetros atrás. Não há previsão sobre uma possível chegada da lama à represa do Retiro Baixo, na cidade de Pompéu (MG), o que chegou a ser divulgado nos primeiros boletins. A velocidade da lama, que chegou a mais de 1 km/h nos primeiros dias após a tragédia, estava, nesta terça-feira, entre 0,25 metros por segundo e 0,35 metros por segundo, não foi divulgada nesta quarta-feira. Houve diminuição da turbidez ao longo do rio Paraopeba, no trecho entre Brumadinho e Mário Campos, indicando que está ocorrendo uma deposição dos sedimentos.
Para impedir que os rejeitos de minério sigam rio abaixo e prejudiquem o abastecimento de água na região de Pará de Minas, a Vale divulgou um plano e começou a instalar barreiras de contenção. A medida pode também impedir que a lama chegue à bacia do Rio São Francisco – afetada gravemente com o rompimento da barragem de Mariana, há 3 anos. O plano foi apresentado nesta quarta-feira ao Ministério Público e aos órgãos ambientais, segundo informou a companhia. A área impactada foi dividida em três trechos, onde serão realizadas diferentes medidas de contenção e recuperação. O sistema de captação de água de Pará de Minas, no rio Paraopeba, será protegido por três barreiras de retenção. São 115 quilômetros de distância entre a captação do município e a barragem 1, que se rompeu. O rompimento da barragem em Brumadinho devastou a área administrativa da Vale, casas e propriedades da região. Segundo o último balanço divulgado pelos bombeiros, na noite de quarta-feira, havia 99 mortes confirmadas e 259 pessoas continuavam desaparecidas.

31 de Janeiro - Dia de Inspirar seu Coração com Arte

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Lula perdeu 2 irmãos quando era presidente e não foi ao velório de nenhum deles

 
Vídeo meramente ilustrativo. A juíza que julga este processo é a Drª Carolina Moura Lebbos 

Em 2004, Lula já era presidente quando perdeu seu irmão João Inácio, vítima de um câncer.
O petista não cancelou sua agenda política, não foi ao velório de João e tampouco compareceu no sepultamento.
Em janeiro de 2005, Odair Inácio de Góis (outro irmão de Lula), faleceu após sofrer um ataque cardíaco.
O então presidente também não compareceu ao enterro.
Agora Lula quer sair da cadeia para comparecer ao velório de seu irmão mais velho.
Diário do Brasil
PF confirma que Lula não sairá da cadeia e ponto final
A Polícia Federal rejeitou o pedido de Lula para deixar a carceragem em Curitiba e ir ao velório do irmão, em São Bernardo do Campo (SP).
O superintendente da PF em Curitiba alegou risco à ordem pública e dificuldades na logística.
Com todo respeito à dor de Lula pela perda do irmão, mas preso não tem que sair da cadeia para ‘passear’ de avião pago com dinheiro público.
O ex-presidente já custa ao contribuinte cerca de R$ 300 mil por mês …. já está passando da hora de Lula trabalhar para pagar sua estadia carcerária.
Bolsonaro tem que voltar logo … seu vice (General Mourão) já soltou uma asneira na noite de ontem dizendo que a saída de Lula para o velório do irmão é uma questão humanitária.
E os bilhões que o PT roubou dos cofres públicos deixando pessoas à míngua ou até mesmo morrendo nas filas dos hospitais?
Isso também não era uma questão humanitária?
Nosso atual presidente tem razão … Não quer ir para a cadeia? É só não matar, não roubar, não estuprar, etc …

Nada como uma Glock no quarto para se sentir mais protegido, né não?

Apenas Petrobras, Caixa e BB deverão permanecer como estatais, diz secretário de Desestatização

O secretário de Desestatização e Desinvestimentos do Governo Federal, Salim Mattar, afirmou nesta terça-feira (29) que apenas a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal deverão ser preservadas como empresas estatais.
"Somente estas três deverão permanecer, e bem magrinhas", declarou Mattar durante evento do banco Credit Suisse em São Paulo, acrescentando que esta é a vontade do ministro da Economia, Paulo Guedes.
A meta do atual governo é privatizar ou extinguir todas as estatais federais, com exceção das citadas, e levantar entre US$ 700 e US$ 800 bilhões para os cofres públicos. A União tem hoje 138 estatais sob sua gestão.
O objetivo de Guedes é levantar US$ 20 bilhões com privatizações destas empresas ainda em 2019.
No evento desta terça, Mattar afirmou que as 36 subsidiárias da Petrobras, assim como as que estão abaixo da Caixa e BB, são mais fáceis de privatizar. Ele acrescentou que empresas como os Correios, com problemas de gestão, são vistas como "desafios" maiores na meta do governo.
"Os Correios são uma empresa complexa que se transformou neste gigante difícil de ser privatizado", afirmou.

Dilma EXIGE indenização pelos crimes que cometeu no Regime Militar

 

Repórter Valdo Cruz cala a boca da apresentadora da #GloboLixo com um belo "cortasso"!!!

 
A âncora Aline Midlej, da Globonews, é uma pessoa extremamente simpática, competente, inteligente, enfim, uma ótima profissional.
Mas …
Quando bate o medo do desemprego, o empregado tem que seguir as diretrizes do patrão e a ordem da Rede Globo é atacar Jair Bolsonaro, mesmo que ele esteja na UTI e não tenha nada a ver com o desastre ocorrido em Brumadinho.
Aline, que apresentava o jornal da emissora na tarde de hoje, deu uma ‘indireta’ no atual governo dizendo que é necessário “conciliar desenvolvimento econômico com preservação do meio ambiente.”
É óbvio que a âncora se referiu à tragédia de Brumadinho e tentou dar uma ‘alfinetada’ em Bolsonaro, mas seu colega jornalista entendeu o recado e a corrigiu imediatamente:
“Olha Aline, claramente você não pode responsabilizar o governo Jair Bolsonaro pela tragédia que ocorreu em Brumadinho, afinal o governo ainda não completou nem 30 dias” disse Valdo Cruz.
Coitado do Valdo … vai ser o próxima na ‘listinha negra’ da Globo.

Quando alguém te falar que participante de BBB ou jogador de futebol é herói, mostre esta foto!

Chegou a hora de enjaular a máfia das barragens assassinas

De fato, é um consolo saber que, pelo menos desta vez, a impunidade não triunfará. 

Criadas no governo Fernando Henrique Cardoso para acelerar a modernização da máquina administrativa federal, as agências reguladoras foram transformadas pelos governos do PT em cabides de emprego a serviço de interesses de empresas que atuam nas áreas que as deveriam monitorar.
Até Rosemary Noronha, então amante de Lula, andou promovendo comparsas a diretores da Agência Nacional de Águas (ANA), à qual se reporta à Agência Nacional de Mineração, que deveria garantir a fiscalização das barragens de rejeitos. Todas as agências reguladoras precisam ser dedetizadas pelo novo governo. Não seria má ideia começar pela ANA.
Privatizada também no governo FHC, a Vale foi reestatizada oficiosamente em 2011, quando pressões urdidas por Lula e intensificadas por Dilma Rousseff resultaram na demissão do presidente Roger Agnelli. Os acionistas devem afastar sem demora os criminosos que dirigem a Vale, até para evitar a falência — financeira e moral — da empresa ameaçada de tornar-se uma Odebrecht das mineradoras.
Com a participação de fiscais e engenheiros corruptos, além de políticos canalhas, a parceria entre agências aparelhadas e a empresa deformada por ingerências indevidas deu no que deu. Não deixa de ser um consolo saber que, desta vez, a impunidade não prevalecerá. Os empreiteiros aprenderam com a Lava Jato que há vagas na cadeia também para eles. Chegou a hora de engaiolar a turma das barragens assassinas.
Nesta terça-feira, foram presos dois engenheiros terceirizados da Vale, ligados ao projeto da causa do drama em Brumadinho, e outros três funcionários da empresa diretamente envolvidos e responsáveis pelo empreendimento. Faltam os chefões.

Primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu manda recado para Bolsonaro e o Brasil

 

Escritórios de advocacia dos Estados Unidos preparam ação coletiva contra a Vale

Quatro escritórios norte-americanos de advocacia anunciaram que pretendem entrar com ações coletivas contra a Vale na Justiça dos Estados Unidos após as perdas causadas aos investidores pelo rompimento da barragem da mineradora em Brumadinho (MG), na sexta-feira, 25. 
"A Rosen Law está preparando uma ação coletiva para recuperar as perdas sofridas pelos investidores da Vale", afirma comunicado dos advogados enviado a investidores. O escritório afirma estar investigando se a mineradora brasileira pode ter "emitido ao público informações de negócios materialmente falsas". 
O escritório Tha Schall afirma estar investigando se a mineradora soltou "informações falsas e enganosas" aos investidores, que omitiam os riscos com a barragem e, por isso, burlam as regras do mercado acionário dos Estados Unidos. 
Mais tarde, o Wolf Popper e o Bronstein, Gewirtz & Grossman anunciaram que pretendem abrir ação coletiva contra a Vale em Nova York. A Vale já foi alvo de dois processos semelhantes nos Estados Unidos em 2015 após o rompimento de barragem da Samarco em Mariana (MG).

Tipico jovem carioca trabalhando no "semi-aberto" sem oferecer risco a sociedade, segundo GloboNews

Vale investiu R$ 88 milhões para eleger seus candidatos em 2014. Nada passa na Câmara contra a Vale

O Congresso criou duas comissões especiais para discutir a catástrofe da Samarco (Mariana), mas nada foi adiante. A chamada bancada da lama impediu medidas restritivas e de contenção, o que poderia ter evitado a tragédia de Brumadinho. O Congresso atual tem culpa em cartório.
O trabalho das duas comissões resultou em seis projetos para reforçar a fiscalização sobre as mineradoras. Até hoje, nenhum deles foi aprovado. O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) tentou endurecer a Política Nacional de Segurança de Barragens. Sua proposta recebeu parecer favorável na Comissão de Meio Ambiente, mas foi arquivada. 'Forças subterrâneas impediram a votação', diz o tucano".
O lobby das grandes mineradoras é pesado.
Dos 27 titulares das duas comissões, 20 declararam doações de mineradoras. A lista incluía o presidente, Gabriel Guimarães (PT-MG), e o vice, Marcos Montes (PSD-MG), atual secretário-executivo do Ministério da Agricultura.

Professores de esquerda ✰ Comentário de Luiz Felipe Pondé

 

EBC vai cortar cargos comissionados, Bolsonaro prometeu fechar a TV do Lula, está todo mundo esperando o cumprimento da promessa

A EBC –“TV do Lula”, que sobrevive na gestão de Jair Bolsonaro – anunciou que vai cortar cargos comissionados para “otimizar despesas”. Os cortes serão feitos nas quatro praças da emissora: Brasília, São Paulo, Rio e Maranhão. 
O total de demitidos não foi anunciado, mas a expectativa é que sejam demitidos cerca de 40 comissionados. Hoje, o quadro da EBC é de cerca de 2.500 funcionários. O governo Bolsonaro já disse que pretende cortar 30% disso. Mas, na campanha eleitoral, Jair Bolsonaro prometeu fechar essa droga, e é o que o eleitorado está pedindo.

Aposto 1 dólar com a esquerda que eu volto dessa cirurgia mais "opressor" do que nunca!

Após criticar Bolsonaro, Bruna Marquezine é exposta: ‘Seu passado te condena’

 
Uma das atrizes mais conhecidas da televisão brasileira, Bruna Marquezine está passando por poucas e boas nas redes sociais e o motivo principal é o seu envolvimento com uma crítica feita ao presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL).
Por meio da função Stories do seu Instagram, a artista questionou e pediu explicações sobre o dinheiro da família de Bolsonaro, chamando o caso de “Bolsonarogate”, referenciando um caso que fez o presidente norte-americano Richard Nixon pedir renúncia do cargo.
Ela escreveu “Presidente Bolsonaro: Explique ao mundo as finanças da Família. #BolsonaroGate”. Contudo, a resposta dos apoiadores do presidente chegou mais rápido que o esperado: “Começou a palhaçada!”, escreveu uma usuária no Twitter, que recebeu compartilhamento de outros internautas.
Porém, a coisa ficou feia mesmo quando foi questionado para ela sobre os valores embolsados por seu ex-namorado Neymar e o envolvimento do pai do jogador de futebol em um escândalo envolvendo ocultação de bens.
Aparentemente as coisas não estão fáceis para a Global, que não se manifestou sobre o assunto após a repercussão negativa ao ouvir de internautas que “Seu passado te condena”.

30 de Janeiro - Dia Nacional do Croissant

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

O decreto de Mourão é legal, porém imoral ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

“A lama do setor público brasileiro é muito maior do que as de Mariane e Brumadinho juntas, por isso a necessidade de restrições às informações”.
A frase acima não é minha. ”Plagiei-a” do Doutor Ricardo Bergamini, talvez o profissional liberal mais capacitado de todos em matéria de “contas públicas”, o qual sempre teve como preciosa fonte de informações os documentos disponibilizados por força da lei de acesso à informação, que a partir de agora serão bem mais restritos.
O problema todo começa lá na Constituição de 1988, que disciplina um “faz-de-conta” de livre acesso às informações a dados públicos, nas esferas federal, estaduais e municipais, conforme previsto nos seus artigos 5º, XXXIII; 37, II, par. 3º, e 216, par. 2º, os quais estabelecem, como regra geral, o livre acesso às informações, porém com as restrições de SIGILO a serem determinadas na legislação infraconstitucional.
Debruçando-se sobre o dispositivo constitucional, apesar de passados 21 anos da entrada em vigor da nova Constituição, o legislador ordinário acabou aprovando a Lei Nº 12.527/2011, que “regula o acesso à informação”, sancionada pela Presidente Dilma Rousseff.
Pelo artigo 4º dessa lei (12.527/11), a INFORMAÇÃO SIGILOSA é definida como “aquela submetida temporariamente à restrição de acesso público...”. Pelo artigo 24, par. 1º, ”os prazos máximos de restrição de acesso à informação, são de 25 anos para os documentos ULTRASSECRETOS, 15 anos para os SECRETOS, e 5 anos para os RESERVADOS.
No artigo 27 dessa lei, são definidas as autoridades competentes para definir o grau de sigilo, ficando expresso no par. 1º desse artigo, que a definição dos documentos SECRETOS e ULTRASSECRETOS “PODERÃO SER DELEGADOS”.
Regulamentando a referida lei (12.527/11), a Presidente Dilma assinou o Decreto Nº 7.724/2012. Apesar da Lei 12.527/11, permitir no seu artigo 27, par. 1º, a delegação da definição dos documentos SECRETOS e ULTRASSECRETOS, o Decreto presidencial VEDOU a delegação de competência para essa classificação nos graus de sigilo SECRETO e ULTRASSECRETO.
É justamente aí que reside a grande diferença entre os Decretos de Dilma e de Mourão. (Decreto 9.690/19). Mourão “abriu as portas” para uma infinidade de outros servidores públicos terem o poder de definir o grau de sigilo, inclusive de documentos SECRETOS e ULTRASSECRETOS. Com isso todo serviço público passou a representar a legítima “Casa da Mãe Joana”, onde todo mundo manda, inclusive servidores mais “chinelões”.
Com essa atitude governamental, certamente houve forte agressão ao espírito da lei de acesso à informação, ficando muito mais fácil acobertar a corrupção. Apesar do Decreto de Mourão ter alterado o Decreto de Dilma, ampliando expressivamente o número de servidores públicos habilitados a definir documentos SECRETOS e ULTRASSECRETOS, na verdade o mesmo não contrariou a Constituição, nem a lei específica.
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo

Samarco. O desastre de Mariana não foi acidente

 

Equívoco ou má fé do Sr Octávio Amorim Neto? ✰ Artigo do General Paulo Chagas

Caros amigos
Octávio Amorim Neto é um cientista político que dá aulas na FGV. Ele é o autor do artigo "O Governo Bolsonaro e a Questão Militar", onde procura alertar os brasileiros para o perigo de termos "militares no governo".
Embora intitulado cientista político, ele acredita que as FFAA estão divididas entre "os de hoje" e "os de ontem", quando, na verdade, eles são os mesmos em novas circunstâncias. Trazem o Brasil no coração como objetivo e compromisso de vida e, desde sempre, são comprometidos com a democracia e com os ditames constitucionais.
O Sr Amorim finge que não sabe que as corporações castrense são as melhores e mais confiáveis representações da vontade popular e que, como tal, irão continuar a velar pela estabilidade e pela recuperação da nossa tão vilipendiada democracia. 
Na sociedade brasileira não existe a separação entre civis e militares. Esta dicotomia só existe nos temores e nas más intenções de pessoas como o Sr Otávio Amorim.
Nós somos um povo, um só povo, unido em torno do amor à Pátria!
O Ministério da Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa, a consciência de que é preciso reaparelhar as Forças Armadas e o Livro Branco da Defesa Nacional são provas dessa integração patriótica.
Não há controle de militares por civis ou vice versa, mas um respeito integrado à lei e ao princípio da autoridade que a todos subordina em proveito do bem comum.
Amorim Neto ignora os resultados altamente positivos do esforço dos militares para compartilhar conhecimentos e preparar os civis para as missões que lhes cabem na defesa da Pátria. 
Demonstrando todo o seu desconhecimento da realidade brasileira, ele põe em dúvida a participação de civis na gestão do Ministério da Defesa (MD) e na elaboração da política de defesa, enquanto o MD estiver sob a liderança de um Oficial General. 
As Forças Armadas sempre estiveram e continuarão a estar concentradas em suas missões, sejam elas quais forem, não há incentivos ou motivações que as afastem do cumprimento do dever.
O Sr Octávio Amorim, efetivamente, desconhece a história e a evolução das Forças Armadas do seu país e, portanto, não está em condições de falar ou opinar sobre "Questões Militares e Governo"!
Os militares presentes no atual governo são, antes de mais nada, cidadãos brasileiros muito bem preparados e motivados para cumprir as tarefas para as quais foram convidados pelo Presidente Bolsonaro. 
Amorim quer fazer confundir "cidadãos de formação militar em função de governo" com "poder militar à frente do governo".
Não é equívoco, é má fé!
Paulo Chagas - General R1

Última mensagem para o pai no whatsapp de uma vítima de Brumadinho

Os autores do múltiplo homicídio em Brumadinho imploram por castigo ✰ Artigo de Augusto Nunes

A fila dos responsáveis pelo crime ambiental é tão extensa quanto a lista dos fregueses da Odebrecht 

A fila de responsáveis pelo múltiplo homicídio, culposo ou doloso, seguido de destruição ambiental é tão extensa quanto a lista dos fregueses do Departamento de Propinas da Odebrecht. O desfile dos criminosos de Brumadinho merece ser puxado pelo ex-governador Fernando Pimentel, cujo descaso pela vida dos mineiros foi escancarado pela reprise da erupção de horror em Mariana, e pelo presidente da Vale, Fabio Schvartsman. O comandante da empresa reincidente jura que não tem palavras para descrever o sofrimento que lhe causou o rompimento de outra barragem. O que anda fazendo a turma que preside cabe em 18 letras: canalhice assassina.
A multidão de protagonistas e coadjuvantes agrupa cúmplices acampados na Agência Nacional de Águas e na Agência Nacional de Mineração, comparsas infiltrados no Ministério de Minas e Energia, campeões da vadiagem que infestam os órgãos encarregados de zelar pelo meio ambiente, engenheiros malandros, fiscais corruptos a serviço de mineradoras, ineptos fantasiados de promotores de Justiça e magistrados que, por safadeza ou estupidez, poupam de punições os delinquentes que produzem tsunamis de rejeitos. Fora o resto.
A contemplação do passado informa que o Brasil se habituou a só colocar fechadura em porta arrombada. Para que essa deformação repulsiva deixe de obstruir o caminho que leva ao futuro civilizado, é preciso transformar em marco zero o drama que assombrou novamente o mundo. Os autores do crime em Brumadinho são casos de polícia. Têm de aprender que já não existem condenados à perpétua impunidade. Todos merecem algum tipo de castigo. Muitos merecem cadeia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...