terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Grammy foi ofuscado por cantora negra vestindo projeto de gay imigrante apoiador de Trump

O Grammy é uma premiação tão esquerdista que vários integrantes do partido Democrata já foram agraciados com o prêmio, entre eles Jimmy Carter, Bill Clinton, Al Gore, Hillary Clinton e Barack Obama (duas vezes). Para a edição 2017, eram aguardados ainda mais atos políticos, uma vez que a classe artística americana está revoltada com a vitória de Donald Trump. Mas uma cantora desconhecida roubou a cena.
Trata-se de Joy Villa, uma cantora californiana de 25 anos cuja carreira começou há 15 anos. Ela apareceu no evento usando um vestido desenhado por Andre Soriano. Num primeiro momento, uma capa branca cobria toda a “obra”. Quando os cliques começaram, a artista revelou o que havia por baixo. E foi possível notar uma roupa com as cores dos Estados Unidos, e os dizeres: “Make America Great Again“, com o nome TRUMP na base da saia.
Villa já lançou oito álbuns e um livro de poemas. Mas é possível descrever a cena usando apenas rótulos que a esquerda adora explorar em seu discurso político: era uma mulher negra usando o trabalho de um gay imigrante filipino apoiador de Trump.
Um detalhe é sempre importante destacar: Soriano é um imigrante LEGAL. E é esse o ponto de toda a política imigratória do atual presidente americano.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...