quarta-feira, 29 de março de 2017

Vou-me embora pra Passárgada ✰ Artigo de Humberto de Luna Freire Filho

A decisão da justiça em transferir Adriana Ancelmo, sócia do ladrão Sérgio Cabral, da prisão preventiva para prisão domiciliar, mostra que a bandidagem fica a cada dia mais à vontade; é a cada dia mais beneficiada, enquanto o cidadão de bem que se prenda em casa para não se transformar em vítima das quadrilhas. A mamãe Adriana, segundo entendimento de uma juíza do Rio de Janeiro, precisa cuidar dos filhotes já que não cuidou quando ela, a dedicada mamãe, fazia farras em Paris com a quadrilha do marido usando nosso dinheiro.
Veja o que foi incluído no Código de Processo Penal (CPP). O Art. 318 elenca as hipóteses em que a prisão domiciliar agora é permitida em mais dois incisos que não existiam e a complementação de um. Foram incluídos pela Lei nº 13.257/2016. São eles: Inciso IV (complementado) – Gestantes em qualquer fase da gestação terão esse direito (antes só depois de uma certa fase da gestação). Inciso V (novo) – Mulheres com filho(s) de até 12 anos de idade incompletos. Inciso VI (novo) – Homens com filhos até 12 anos de idade incompletos, caso seja o único responsável pelos cuidados do(s) filho(s).
Gente…agora imaginem quais serão os outros benefícios que virão na sequência para beneficiar os fora da lei, principalmente todos aqueles que são reincidentes, uma característica marcante principalmente nas classes mais abastadas da população e que podem pagar bons advogados. Logo, logo vamos ter que reverenciar bandidos de colarinho branco. Mas antes disso, vou seguir Manuel Bandeira – Vou-me Embora pra Passárgada – MESMO SEM SER AMIGO DO REI.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...