segunda-feira, 31 de julho de 2017

Padre é filmado beijando garota de 14 anos dentro de igreja em MG

Padre atuava na paróquia de Arceburgo há 20 anos e era visto como uma pessoa dócil e atenciosa com a comunidade

Padre Enoque Donizetti de Oliveira suspeito de abusar sexualmente de uma garota de 14 anos é investigado em Arceburgo (MG). A Polícia Militar da cidade recebeu uma denúncia anônima sobre um vídeo que tem circulado nas redes sociais que mostra o religioso beijando a menina dentro da igreja. O padre foi afastado após a denúncia.
Um boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado. A adolescente é coroinha na igreja em que o padre era pároco. Os abusos, segundo a família, teriam começado em março desse ano.
A garota foi ouvida pela polícia e inicialmente negou qualquer abuso do padre, mas depois foi levada novamente pela família e confirmou tudo. 
Segundo a vítima, o primeiro caso foi depois de uma celebração ecumênica. Ainda na paróquia, o padre teria tirado a blusa da garota e a beijado. No vídeo que circula nas redes é possível ver o padre em cima da menina, que está parcialmente sem roupa, beijando a boca dela.
                                                         

Padre confessa ter beijado coroinha
O padre Enoque Donizetti de Oliveira, 62, suspeito de abusar de uma menina de 14 anos em Arceburgo, no Sul do Estado, confessou em depoimento à policia ter beijado a adolescente. Segundo o pároco, ele não teria resistido às investidas da jovem. O caso veio à tona nesta semana, após um vídeo que comprovaria o crime, cometido dentro da igreja, ter se espalhado pela cidade.
Acompanhado de seu advogado, o padre confirmou a veracidade do vídeo, filmado em março deste ano, sem seu consentimento, mas nega as acusações. Segundo a corporação, o pároco limitou-se a dizer que aquela havia sido a única vez que teria acontecido algum envolvimento com a jovem. No depoimento, o padre teria dito ainda que a adolescente de 14 anos se insinuava para ele.
No dia das filmagens, segundo o padre, quando ele entrou em seu quarto, a adolescente estaria seminua e teria pedido para ele passar o óleo em sua barriga. Em depoimento à policia, a jovem afirmou que os abusos começaram no ano passado. Segundo a menina, as agressões também teriam acontecido em viagens com o padre a serviço da igreja e até mesmo em sua casa.
Coroinha há mais de um ano na paróquia da cidade, a adolescente informou à policia que o padre constantemente conversava sobre relacionamentos íntimos com ela. Bastante nervosa, mesmo dizendo que os abusos aconteciam sem seu consentimento, a menina afirmou que se sentia culpada pela situação. Em entrevista coletiva na tarde de quinta-feira, a delegada Renata Mattoso Libório, responsável pelo caso, afirmou que a adolescente chorou. “Ela está bem nervosa, se sentiu culpada, achou que ia ser presa. Me abraçou, chorou”, disse.
Investigações. Até o momento, já foram ouvidos familiares e a vítima de 14 anos. Segundo a Polícia Civil, a adolescente passará por exame de corpo de delito. O vídeo foi encaminhado para perícia, e uma vistoria na casa paroquial, onde teria acontecido o abuso, já foi realizada. Os demais procedimentos pertinentes à investigação estão em andamento.
Procurado nesta sexta-feira (28), o padre não quis comentar o assunto e informou apenas que foi orientado por seu advogado a não conversar com a imprensa. Até o fechamento desta edição, o advogado não havia atendido as ligações. A Polícia Civil investiga se houve conjunção carnal, entretanto, o beijo dado pelo padre na adolescente já é considerado estupro.
Pena. Como a vítima é menor de 18 anos e maior de 14, há o agravante da violência presumida, ou seja, mesmo o ato tendo consentimento, o autor é responsabilizado. A pena de reclusão é de oito a 12 anos.
Diocese também fará apuração de denúncia
Afastado de suas atividades, quando a Diocese de Guaxupé no Sul de Minas tomou conhecimento da denúncia, o padre Enoque Donizetti de Oliveira passará agora por um julgamento interno na igreja, a nível nacional.
Sem informar as etapas nem como será esse julgamento, a entidade informou apenas que o procedimento vai além das investigações da polícia. Em nota, a diocese afirmou que o afastamento tem como objetivo averiguar os possíveis fatos e acontecimentos.
O padre estaria residindo na cidade de São Sebastião de Paraíso, na mesma região, onde prestou o depoimento. O pároco voltou de um retiro em Brodowski, em São Paulo, onde estava. A única igreja da cidade de Arceburgo está fechada desde a suspensão do padre. Até que um próximo pároco seja nomeado para a paróquia, outro sacerdócio, segundo a diocese da região, deve celebrar as missas no local.
O Tempo

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...