sexta-feira, 27 de julho de 2018

Por que os políticos locais repelem tanto a Independência do Sul? ✰ Artigo de Sérgio Alves de Oliveira

O diagnóstico feito pelo Arnaldo Jabor no bombástico artigo “Ai de ti, Brasil!“, recentemente publicado, é de fazer com que qualquer brasileiro sinta-se envergonhado da própria condição de “brasileiro”. Jabor escreveu uma grande verdade.
 Os movimentos chamados separatistas que grassam no país desde os anos 90 dizem o mesmo que Jabor, com outras palavras: “o Brasil não deu certo”. Essa é a premissa central que está no nascedouro dos projetos independentistas do Sul, e hoje também de outras Regiões
Tive a honra e a felicidade de ser um dos que abriram essa discussão ainda em 1986, com o livro “Independência do Sul”, de minha autoria, hoje reconhecido por alguns do próprio “Movimento o Sul é o Meu Pais” como o “pontapé” inicial da discussão de repartir o Brasil em alguns países menores, conforme as necessidades, vocações e conveniências regionais. Um desses países seria formado a partir da Região Sul.
 Segundo as normas jurídicas internacionais, é direito de cada Povo ou cada Nação constituir-se em Estado Soberano, Independente, Autodeterminado. No tocante ao SUL, a sua condição de Povo e Nação está explicitada no documento “MANIFESTO LIBERTÁRIO”, editado pelo GESUL - Grupo de Estudos Sul Livre (web). Por isso há que ser desmanchada a mentira histórica que o Brasil seria uma “nação”. Não é, nem nunca foi. O Brasil tem diversas nações dentro do seu território. É um Estado Plurinacional, não Nacional. Nação e Povo não são definições jurídicas, porém psicossociológicas. O “eu” de um Povo/Nação não está nos manuais nem nas leis. Reside num determinado “estado-de-consciência”.
 Essa discussão que começou pelas “bandas” do Sul, repercutiu tanto em outras Regiões que propostas semelhantes foram adotadas em diversas delas. A maior prova está no documento amplamente divulgado pela internet (web), assinado por vários movimentos, com o título “MANIFESTO DOS MOVIMENTOS INDEPENDENTISTAS DO BRASIL”, de 9.06.2017, subscrito por legítimas representações dos Movimentos O Sul é o Meu País, GESUL - Grupo de Estudos Sul Livre, Nordeste Independente, Amazônia Independente, Espírito Santo Independente, República de São Paulo, o Rio é o Meu País e Livre Amazônia.
 Todos tomaram consciência que de fato “o Brasil não deu certo”. E esse documento por si só tem força suficiente para afastar de vez algumas insinuações ignorantes, maldosas ou “politiqueiras” que andam por aí, no sentido de que a proposta “separatista” seria “racista”. ”preconceituosa” e outras adjetivações pejorativas similares.
 O resultado dessa comunhão de pensamento entre as diversas regiões (“o Brasil não deu certo”) é de que hoje não se trata mais de proposta “separatista”, porém de simples DISSOLUÇÃO do Brasil, com múltiplas secessões simultâneas. O maior problema a resolver nessa dissolução seria a provável recusa de todos em “ficar” com Brasília e sua “corja “política, por todo o mal que ela representa. Parece que essa “capital federal” teria que independenciar-se “sozinha”, trabalhando e produzindo para sustentar a si própria, não mais vivendo “às custas” das outras Regiões, como sempre fez. Será que nessa nova realidade Brasília manteria a condição de maior PIB “per capita” do Brasil, mesmo sem nada produzir, além de corrupção?
 Falando agora só pelo Sul - mesmo porque ele não poderia falar em nome das outras Regiões - seriam inúmeras as vantagens da sua independência. A literatura disponível é imensa nesse sentido. Não houve até hoje UM SÓ ARGUMENTO plausível capaz de abalar tais vantagens. Todos os que foram invocados até hoje não têm qualquer suporte na razão e na lógica. Além de pretenderem manter o “status quo” político, social e econômico reinante, todos se resumem em apegar-se a sentimentalismos baratos para que não se destrua algo que só causou infelicidade aos diversos povos subjugados por uma situação criada a partir de acordos espúrios entre as Coroas de Portugal e Espanha, ajudado pelos maus brasileiros.
Mas a “gota d’água” para concluir-se sobre a conveniência de independenciar o SUL, reside exatamente na completa rejeição que os seus próprios políticos fazem a esse projeto. É praticamente uma unanimidade essa rejeição. Mas esse é exatamente o maior indicativo da conveniência independentista do SUL.
Na verdade, os políticos do SUL não são nada melhores que os das outras Regiões. É tudo “lixo” igual. E se à unanimidade, ou quase, os políticos abominam essa proposta libertária, é porque eles não são trouxas, enxergando claro que não teriam lugar nem vez num Brasil dissolvido e dividido em países menores, onde o poder político poderia ficar mais próximo dos cidadãos.
 Rousseau (Discurso Sobre as Desigualdades) afirmou que “o homem é produto do meio”. Segundo esse “determinismo geográfico”, o homem seria moldado pelo seu meio ambiente social e natural. Portanto, segundo essa doutrina, tanto os políticos quanto o povo brasileiro seriam produtos do “meio” chamado Brasil. Nesse sentido o povo brasileiro não poderia nunca invocar o direito de ser absolvido pelos malfeitos dos políticos que ele mesmo produz. É tão culpado quanto “eles”. Somente acabando com um “país que não deu certo”, a sua corja política seria extinta, o mesmo acontecendo com a irresponsabilidade da parcela majoritária do povo responsável por essa situação. Os políticos não mudarão se o povo não mudar de atitude política. E a única maneira de fazê-lo seria eliminando o “meio” que os produz, ou seja, o próprio Brasil. É isso que Jabor deveria ter dito e não teve percepção ou coragem.
Em recente consulta, ou plebiscito informal, de 2017, chamada PLEBISUL, elaborada pelos guerreiros do Movimento “O Sul é o Meu País”, apontou-se uma estupenda vitória do “SIM”, para a Independência do Sul, em 95% dos votos. Mas lamento muito que apesar de todo esse esforço foi perda de tempo desse Movimento a tentativa de conseguir um plebiscito formal, com aprovação das Assembleias Legislativas dos 3 Estados do Sul (PR, SC e RS). Os deputados, covardes e acomodados como são, simplesmente “mijarão” sobre os pleitos. Isso porque a tal de “democracia direta”, na forma de “iniciativa popular”, não passa de demagogia dos constituintes, sendo praticamente impossível ser realizada sem o “OK” dos respectivos Poderes Legislativos Estaduais. Esse tal de “poder” atribuído ao Povo é pura ficção. É mais um “faz-de-conta” constitucional.
Sérgio Alves de Oliveira - Advogado e Sociólogo

Você só tem uma escolha

Por que o povo vai votar em Bolsonaro

Durante uma das minhas caminhadas matinais, tinha a minha frente uma linda jovem empurrando uma cadeira de rodas na qual encontrava-se uma senhora com, aproximadamente, uns 45 anos. Observando que as duas dialogavam sobre política, passei a prestar atenção ao assunto.
Em dado momento a condutora da cadeira disse, a cadeirante: titia eu vou votar no ex-capitão do Exército, Jair Bolsonaro, sabe por quê? Porque os corruptos não gostam dele; a revista Veja vem fazendo de tudo para detonar a sua candidatura; os petistas querem fazer pacto com o diabo, mas querem distancia desse ex-militar; ele nunca foi pego roubando, nem se envolveu nessa Mega operação da Lava Jato; ele propaga, “que Bandido bom, é bandido morto”; defende os policiais militares; estudou e se formou na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN); combate a apologia ao homossexualismo; diz que pretende armar o povo brasileiro, para que este, possa se defender; afirma que o Ministério da Educação e da Defesa devem ser administrados por militares capacitados e, também, me parece não ser medroso, pois enfrentar todo esse tsunamis de corruptos nos três poderes de Republica, precisa ser macho! Portanto, meu voto será dele!
A cadeirante sorriu e falou: minha querida Cíntia, acredite, eu estava bem propensa a não votar mais em ninguém, no entanto você me convenceu. Esse tal de Bolsonaro poderá realmente dar um chega pra lá nesses corruptos e melhorar a autoestima do brasileiro. Quanto armar o povo, lembra-se daquele assalto que sofremos juntas? Creia, se eu tivesse uma arma sobre as pernas e por baixo da manta, aquele bandido, hoje, estaria morto e você não teria sido quase estuprada.
Nesse momento, as duas pararam e começaram a chorar. Sem pestanejar, passei por elas e, disse de chofre: estamos juntos, o meu voto é dele também! E, complementei, BOLSONARO pode até não ser a solução, mas é o remédio que o Brasil está precisando no momento.

Bolsonaro é o preferido, só não vê quem não quer!!!

Em cada Fórum a constatação do caos

O juiz federal Sérgio Moro e o ministro Raul Jungmann, entre outros, participaram do “Fórum Estadão Mais Governança e Mais Segurança” e cada um “colou” uma frase que merece análise. O juiz Sérgio Moro disse: “A prisão não é condição suficiente para a superação de corrupção sistêmica”. Verdade, a prisão é apenas parte da solução, até porque ninguém deseja ser preso sem ter a certeza de que Gilmar Mendes irá soltá-lo. Que o diga o ladrão Luiz Inácio Lula da Silva.
O que acho muito importante e fundamental na assepsia, é que os candidatos ao cargo de presidente da República nas próximas eleições não fossem uma leva de corruptos, verdadeiros ratos de esgoto, envolvidos nas mais podres negociatas e onde há até candidato presidiário, como está acontecendo. O difícil é conseguir gente honesta e honrada com coragem para se envolver com essa leva de políticos corruptos e respirar nessa podridão que tomou conta do país há 15 anos.
A segunda frase que me chamou a atenção e que também merece uma análise foi dita pelo ministro Raul Jungmann; disse ele: “Há risco de o Congresso “rasgar” o Estatuto do Desarmamento”. Todos nós sabemos que ele é um defensor do desarmamento e como bom comunista tem conhecimento de que, em todos os países com regimes ditatoriais, a população civil não tem acesso a armas de fogo, só tem direito a receber balas de milícias a serviço do governo.
No Brasil, que ainda não copiou totalmente a Venezuela, por hora só recebemos balas de bandidos nas ruas e avenidas. Os bandidos, pobres vítimas da sociedade segundo os Direitos Humanos, podem usar arma inclusive de grosso calibre e atira em quem contrariar seus interesses. Quero aproveitar esse meu comentário para formalizar publicamente um convite ao ministro Jungmann.
Ministro, sei que o senhor só circula na cidade onde mora ou nas cidades que visita, em carros blindados e com três ou mais seguranças. Porém, sugiro que o senhor reserve duas noites para passearmos juntos durante toda uma madrugada; uma noite pelas nas ruas de São Paulo e outra nas ruas do Rio de Janeiro; veja que estou propondo as duas maiores cidades do país e supostamente as de maior segurança pública. As despesas ocorrerão por minha conta, só esclareço que meu veículo não é blindado. Em tempo: SOU HETERO.
Humberto de Luna Freire Filho - Médico – Cidadão brasileiro sem medo de corrupto.

Como funciona a justiça pelo mundo

Contas públicas ✰ Artigo de Astor Wartchow

Outrora apenas em volumosos livros e pastas, hoje as informações orçamentárias também estão disponíveis em meio eletrônico nos “sites” das casas legislativas e dos poderes executivos. E há acompanhamento da imprensa especializada.
Na sua plenitude e extensão, o orçamento público deverá representar a realidade do estado organizado (união, estados e municípios), sua dimensão e expectativa econômica, social e política, e se constituir em objeto e meio de ação e atividade pública.
Porém, ainda que organizado e garantido formal e legalmente, isso não assegura a necessária transparência, haja vista que a maioria das pessoas não consegue entender o que ali está (d)escrito.
Nos programas partidários de governo, principalmente durante o período e processo eleitoral, com certeza constará o compromisso de democratização e transparência do orçamento.
Afinal, é obrigação dos partidos, dos políticos e dos governantes, fazer com que a comunidade se interesse e entenda os números e as informações relacionadas às contas públicas. Conseqüentemente, é necessária a adoção de meios e dados mais acessíveis à linguagem popular, de modo informativo e qualitativo.
Trata-se de um esforço que não deve se restringir às entidades públicas. Por todos seus meios e formas de organização e ação comunitária, econômica e social, é essencial a participação da comunidade para exigir e garantir a transparência, a elaboração, a execução e a fiscalização compreensíveis(!) dos gastos públicos. Com certeza, resultará mais eficácia, qualidade e veracidade das políticas públicas. E justiça social.
Essa atitude democrática e popular irá detectar e propiciar reformas da administração pública, a exemplo de mais eficiência e menos burocracia, assim como poderá constatar e denunciar onerosas e ineficientes funções e tarefas. E a ocorrência de corrupção.
Um exemplo e detalhe depreciativo que merece uma urgente e definitiva reação e atitude popular corretiva. Regra geral, em quase todas as casas legislativas, em todos os níveis de governo, o orçamento público é votado tardia e açodadamente. Sem prévios estudos e análises rigorosas.
Habitualmente, a “culpa” é do poder executivo que atrasa propositalmente sua remessa ao poder legislativo para encurtar o debate público e parlamentar e “forçar/acelerar” sua aprovação.
Por isso, enquanto não houver maior divulgação, linguagem acessível, esclarecimentos e debate público, bem como clareza e exatidão na confecção e execução orçamentária, permanecerá o rótulo pejorativo de “peça de ficção” e “caixa-preta”.
Astor Wartchow - Advogado

A política brasileira é um lixo! Então por que entrar? Entenda comigo, #JoiceHasselmann

 

A Refinaria de Pasadena, EUA, continua dando prejuízo aos brasileiros

Lembre-se, Dom Lulone está preso, mas o STF continua em atividade, Dirceu, Dilma e Gilberto Carvalho estão soltos. 
Logo! tudo poderá acontecer.

Lembram daquela sucateada refinaria de Pasadena no Texas, Estados Unidos que na época do governo petista, os belgas compraram por US$ 42 milhões aos norte-americanos e que venderam 50% à Petrobras, por mais de US$ 300 milhões e, após desistirem da sociedade com a petrolífera brasileira, venderam a outra parte a inocente e/ou incompetente ex-sócia, por mais de US$700 milhões de dólares?
Pois é! Se o dinheiro da compra da sucata não tivesse sido usado na corrupção, por políticos brasileiros, poder-se-ia dizer que os belgas são melhores do que judeus na hora de fazer negócio.
Segundo a imprensa, a maldita e polêmica Refinaria comprada pelos “artistas do PT”, continua dando prejuízo aos investidores e aos contribuintes do Brasil. Essa semana, a Petrobras fez um acordo com a Justiça americana para pagar multa de US$ 3,5 milhões (R$ 13 milhões) e realizar investimentos para reduzir os índices de poluição na região metropolitana de Houston, no Texas, Estados Unidos, área onde a refinaria sucateada está instalada.
Portanto, prepare o bolso, aperte o cinto, diminua a feira e tire os filhos de escolas particulares, pois a conta vai continuar vindo para você, pois assim e, só assim, esses bandidos poderão continuar roubando o país. Mas, como essa nossa geração parece ser composta por um bando de omisso, covarde e indiferente, com certeza, nada vai acontecer. E, como sempre, você irá continuar rindo, fazendo piada, frequentando futebol, carnaval, parada gay e outros circos, sem se incomodar com tamanho do fumo que há tempo vem levando no rabo. Mas, o povo GOSTA !!!!!

Lula presidente: eu apoio!!!

Rodrigo "chileno" Maia arregou e anuncia desistência de candidatura à Presidência.

 
Presidente da Câmara dos Deputados afirma que desistência foi uma decisão conjunta com o partido, que irá apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou que desistiu de concorrer à presidência da República nas eleições de 2018. Maia era pré-candidato do DEM (Democratas). 
Maia publicou um comunicado em sua página oficial do Facebook. O presidente da Câmara agradeceu o apoio que recebeu dos partidos e da população. Segundo Maia, a desistência se deu em apoio à candidatura de Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). 
Segundo o comunicado, a desistência de Maia foi uma decisão conjunta. "A decisão conjunta que tomamos, anunciada hoje formalmente para o país, foi a de unir nossos esforços e nossos ideais em torno do nome de Geraldo Alckmin, do PSDB", diz nota. 
O presidente da Câmara diz que a experiência como pré-candidato permitiu que voltasse a viajar pelo Brasil e pode "constatar de perto avanços e retrocessos em todo o nosso território". 
Maia afirma que vai concorrer à reeleição como deputado federal do Rio de Janeiro.

O tempo de TV de Alckmin pode ser uma âncora ou uma alavanca ✰ Comentário de Vera Magalhães

 

Mais uma vez, TRF-4 nega a defesa de Lula pedidos de suspeição de Moro.

 
Ex-presidente queria o afastamento do juiz federal de dois processos contra ele que tramitam na 13ª Vara Federal de Curitiba
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou nesta quarta-feira (25/7) dois embargos de declaração, impetrados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os advogados pediam o afastamento do juiz federal Sérgio Moro da condução de dois processos contra o petista, que ainda tramitam na 13ª Vara Federal de Curitiba. 
O ex-presidente é réu em duas ações ainda não julgadas. Um dos processos apura se Lula seria o verdadeiro proprietário de um sítio na cidade de Atibaia, no estado de São Paulo. O outro processo trata de um apartamento do petista e de um terreno do Instituto Lula. 
Segundo o relator, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, “nenhuma omissão ou contradição há no julgado, integrado pelo relatório, votos e notas de julgamento”. 
“No caso, há mera insatisfação com o resultado do julgamento, o que não abre a oportunidade de rediscussão pela via dos embargos de declaração”, concluiu Gebran. 
No dia 4 deste mês, o tribunal já havia negado recurso semelhante a defesa do ex-presidente. Os advogados, então, ingressaram com pedido de embargos de declaração da decisão, que não foram conhecidos – ou seja, não foram admitidos para julgamento. A sentença foi unânime. Antes desse, outros pedidos de suspeição contra Moro também foram negados. 
Ex-presidente queria o afastamento do juiz federal de dois processos contra ele que tramitam na 13ª Vara Federal de Curitiba 

A eficiência do Estado

O povo faz uso indevido de programas sociais

O Governo Federal conseguiu fazer uma economia de R$ 10 bilhões promovendo rigorosa fiscalização no programa Bolsa Família no qual havia um grande número de empresários, servidores públicos e até parentes de políticos que não poderiam receber o benefício por estarem totalmente fora do perfil dos que têm direito ao mesmo. 
Também no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a fiscalização encontrou muita gente aposentada por invalidez que nunca sequer estiveram doentes, e outros afastados do trabalho por motivo de doença gozando de boa saúde e, pior ainda, trabalhando em outro local. Como se vê, nem todos podem achar que somente os políticos são corruptos. Uma boa parcela dos brasileiros também é.
Um povo corrupto não pode reclamar da corrupção. Os fraudadores já foram banidos. Quem está pensando dar uma de esperto, pode tirar seu cavalo da chuva, porque com certeza a correnteza irá arrastá-lo.

A máquina pública, aquela que nos consome

 

Quem chora por Rayneia Lima? ✰ Artigo de Marcelo Aiquel

Para quem não sabe, Rayneia Lima era brasileira, estudante, e foi covardemente assassinada pelas tropas do bolivariano que é o ditador da Nicarágua.
Este senhor, Daniel Ortega, que foi apoiado por Lula e pelo PT como um bravo “cumpanheiro”, não passa de um assassino repressor e o é representante e expoente da esquerda na Nicarágua.
Por esta singela razão, a morte violenta da estudante brasileira passou “quase” despercebida na telinha da Rede Globo, muito mais interessada em promover justiça na interminável (e bastante fatigante) novela Marielle Franco.
Mas, também não escutamos a já tradicional “tagarelice” da – sempre hipócrita - deputada Maria do Rosário, a eterna e vigilante defensora das mulheres oprimidas.
Por que será?
Por que os assassinos pertencem á um governo bolivariano? Pode até ser uma bela e consistente justificativa, porém, tão dissimulada quanto o silêncio da referida ativista esquerdopata.
E igual a ela, outras tantas defensoras da mulher (por puro interesse) também evitaram manifestar-se.
Que curioso!
Num país onde o simples fato de uma mulher assassinada transforma o “velho” crime de assassinato em feminicídio(independente da causa, por óbvio), é muito estranho que estas vigilantes tenham se omitido vergonhosamente.
O mesmo chapéu serve “na medida” ao JN do Bonner, o maior exemplo do politicamente correto em termos de jornalismo mundial.
Que vergonha!
Pois bem, não vou nem me cansar em perguntar onde estavam a Manuela D’Ávila; a Marcia Tibury; a senadora Gleise; a senadora Vanessa; a Dilma; entre outras tantas, que literalmente “se esconderam” e não choraram por Rayneia?
E assim caminha a hipocrisia da esquerda: se for “deles”, a interpretação dura da lei. Mas, se for dos “nossos”, vamos pesar todas as atenuantes.
Afinal...
Marcelo Aiquel – advogado (26/07/2018)

1º Encontro de Carros Antigos e Fuscas - Marilândia ES

TAP Maintenance & Engineering já demitiu 500 empregados em Porto Alegre

A TAP Maintenance & Engineering em Porto Alegre já demitiu pelo menos 500 pessoas e outras 600 estão sob risco de perda do emprego, uma vez que este processo pode resultar no encerramento da operação da companhia na capital gaúcha. 
Os hangares do aeroporto Salgado Filho, que eram ocupados para a revisão de aeronaves pela companhia, serão usados pela Fraport, concessionária do aeroporto. Eles irão para o serviço de terminal de cargas. 
A TAP Maintenance & Engineering é a empresa de manutenção e engenharia de propriedade da companhia aérea TAP Air Portugal. Ela é antiga VEM (Varig Engenharia e Manutenção).

27 de Julho - Dia do Locutor Hispano-Americano

quinta-feira, 26 de julho de 2018

A nova tática da grande mídia para tentar derrotar o fenômeno Bolsonaro

A grande mídia surgiu ontem com um nova tática para derrotar o presidenciável líder nas pesquisas, Jair Bolsoanro. 
Trata-se de uma manobra para tentar associá-lo a Michel Temer. Como se sabe, Temer tem um alto índice de rejeição no país. 
Por isso, a velha imprensa noticiou em diversos veículos que o PSL, legenda de Bolsonaro, foi o mais fiel ao governo Michel Temer em votações na Câmara dos Deputados ao longo do primeiro semestre deste ano. 
É dessa forma que a grande mídia manobra a população e deturpa a informação para escapar de ser acusada de propagar "fake news". 
No entanto, a população está atenta. É possível ver nos comentários destas publicações uma crítica contundente ao conteúdo da informação. 
Aparentemente, ninguém mais se deixa enganar pela velha imprensa.

Maconha não mata!

Palocci entrega rastreador veicular para provar reuniões e pagamentos de propina a Lula

O Antagonista apurou que o delator Antonio Palocci entregou à Polícia Federal dois rastreadores que estavam instalados em veículos de uso pessoal.
Os equipamentos trazem o registro histórico de percursos utilizados pelo ex-ministro, inclusive locais visitados, como escritórios de advocacia, empresas, residências e restaurantes.
Após a perícia da PF, esses registros vão ajudar a corroborar episódios de negociação e entrega de propina narrados por Palocci em sua delação premiada.
O 'italiano' já contou à Lava Jato que fez ao menos cinco pagamentos a Lula, em dinheiro vivo, para cobrir despesas pessoais do ex-presidente.
Palocci também forneceu à PF quatro HDs de computadores da Consultoria Projeto, com emails, contratos e agendas. A empresa era usada para repasses ilícitos de grandes empresários ao PT.
Os HDs já estão sendo periciados pelos investigadores.

Conheça o fenômeno BOLSONARO! - 2018

 

Palocci é um dos fundadores do PT e 3 º na hierarquia do partido, sua delação é fatal para a legenda

 
A homologação do acordo de delação que o ex-ministro Antonio Palocci fechou com a Polícia Federal pode resultar em mais problemas para o Partido dos Trabalhadores e seus integrantes do que todas as delações feitas até hoje na Lava Jato.
Diferentemente de Marcelo Odebrecht, Joesley Batista e Léo Pinheiro, entre outros delatores que apontaram para supostos crimes praticados por Lula, Dilma e demais integrantes dos governos do PT, Palocci é um membro do núcleo duro do partido e participou da maior parte dos ilícitos relatados por delatores. A diferença entre os relatos é considerada dramática, uma vez que Palocci estava do outro lado do balcão de negócios espúrios comandados pelo ex-presidente Lula. 
Uma pequena amostra do poder devastador das delações do ex-ministro pode ser conferida em algumas confissões feitas de forma espontânea por Palocci ao juiz Sérgio Moro durante um de seus depoimentos na Lava Jato em setembro do ano passado. 
Na ocasião, Palocci falou por duas horas a Moro e incriminou diretamente os ex-presidentes Lula e Dilma no esquema de corrupção na Petrobrás, O petista, que está preso desde 2016, detalhou o acerto de R$ 300 milhões em propinas da Odebrecht para o projeto político de Lula, em 2010.
Entre outras coisas, Palocci confirmou que a reforma do sítio de Atibaia, a compra de um terreno de R$ 12 milhões para ser sede do Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo foram propinas da Odebecht, dentro de um “pacto de sangue” fechado, em 2010, com o patriarca da maior delação da Lava Jato, Emílio Odebrecht.
Durante o depoimento, o juiz Sérgio Moro quis saber se a acusação contra o ex-presidente Lula no caso de recebimentos de vantagens indevidas da Odebrecht procedia, se a empreiteira comprou mesmo o terreno para Instituto e sobre a participação de Palocci no episódio. 
Palocci não apenas confirmou sua participação, como foi além dos elementos contantes na acusação contra Lula:
“Participei”. “A denúncia procede, os fatos são verdadeiros. Eu diria apenas que os fatos desta denúncia dizem respeito a um capitulo de um livro um pouco maior do relacionamento da Odebrecht com o governo do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma, que foi uma relação bastante intensa, bastante movida a vantagens, a propinas pagas pela Odebrecht para agentes públicos, em forma de doação de campanha, de benefícios pessoais, em forma de caixa 1 e caixa 2.” Confirma o que foi dito por Marcelo Odebrecht de que ele era interlocutor da empresa com o governo, para seus interesses e para temas de campamha e inclusive “ilícitos, disparou Palocci logo nos primeiros minutos de seu depoimento ao juiz Sérgio Moro. 
Palocci afirmou ainda que Marcelo Odebcht não mentiu sobre planilha de propinas encontrada no Setor de Operações Estruturadas da empresa que registrava quase R$ 200 milhões, que seriam créditos para o PT e Lula administrados por Palocci, o “Italiano”. Conta que relação era “fluida com governo em todos aspectos”, em projetos e em campanhas. 
O ex-ministro confirmou ainda que, como membro da cúpula dos governos do PT, tinha ciência dos ilícitos cometidos na Petrobras para arrecadação de propinas. “Era um intenso financiamento partidário.” O ex-ministro disse que a Petrobrás não era sua área de atuação direta, mas como membro da cúpula do governo ele disse que sabia dos desvios e discutiu isso internamente. “Eu sabia porque era da cúpula do governo e conversava com Lula sobre essas relações.”, garantiu o ex-ministro. 
Todos estes relatos, e outros mais envolvendo outros negócios espúrios dos governos do PT de Lula e Dilma, estão registrados em vídeo do depoimento de Palocci ao juiz Sérgio Moro cerca de um ano atrás. Apesar da gravidade das revelações, o Ministério Público Federal criou empecilhos para celebrar o temido acordo de delação com o petista. Coube à Polícia Federal 'contornar' estas dificuldades e garantir que dezenas, talvez centenas de crimes, fossem investigados. Tudo vai começar agora, após decisão do TRF-4 de homologar a delação de Palocci. O STF reconheceu que delegados podem firmar acordos de delação com criminosos. Em breve, novas investigações, diligências e novas operações da Lava Jato serão realizadas com base na delação do primeiro integrante do núcleo duro do PT. 

Alckmin e o jeito PSDB de governar

Lula na cadeia vez por outra cai em si e se desespera informa jornalista

 
Lula na prisão. O petista está preso desde o início de abril, após ter sido condenado a uma pena de 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. 
No cárcere, Lula, assiste ao canal de tv que acusa de ser culpado por sua desgraça. Diz palavrões quando alguma notícia o contraria. Recebe visitas que fingem acreditar em sua candidatura. Dá ordens para os que o esperam ansiosos aqui fora. Vez por outra cai em si e se desespera, segundo as informações do jornalista da veja. 

Alckmin não tem voto nem vice, mas não lhe faltam corruptos ✰ Comentário de José Nêumanne Pinto

 

Programa do PT: rançoso, estatista, antiliberal.

Além disso, o programa exposto por Haddad promete mais do mesmo: reeditar a catastrófica política econômica de Dilma - vade retro

No roadshow que promoveu na função de dublê de coordenador de programa de governo e candidato a candidato real à Presidência pelo PT, Fernando Haddad usou sua conhecida ironia para dizer que a proposta de governo do partido promoveria um “choque de liberalismo”.
Trata-se, isso sim, de um libelo em favor do intervencionismo estatal, da tutela a instituições públicas e privadas e até a outros Poderes e da reedição da política econômica de Dilma Rousseff que mergulhou o País na recessão.
Haddad diz que falta regulação às concessões de comunicações, mas, quando se põe a detalhar sua proposta, revela a intenção de controle sobre o conteúdo da imprensa, ao falar em espaço para “representatividade étnica”, “liberdade de expressão para camadas vulneráveis” e “compromisso com a diversidade”, todos eles conceitos subjetivos o suficiente para abranger alta carga de ideologização e partidarização.
Da mesma maneira, quando fala em controle “social” do Judiciário e do Ministério Público, resta subjacente a intenção de tutela do Poder e da instituição que nos últimos anos foram escolhidos pelo PT como inimigos, que promoveriam uma suposta perseguição ao partido. 
A proposta petista de redução dos spreads bancários aumentando a tributação remete ao ápice da tese dilmista de baixar juros ou preço de tarifas na canetada. “Conceitualmente a proposta está errada porque usa um instrumento (tributo) para atingir um objetivo (reduzir o poder de mercado dos bancos) que não é atendido pelo instrumento. Tributo não é instrumento de elevação de competição”, diz o economista Samuel Pessôa.
O PT chegou ao poder em 2002 com um discurso, aí sim, pró-mercado, expresso na tal carta ao povo brasileiro. Colhido pelo mensalão e o petrolão e apeado do poder depois de 13 anos pelo impeachment de Dilma, o partido retroage às ideias econômicas pré-2002 – que, empregadas no governo dela, deram em desastre. 
Na política, mira as instituições com tutela para tentar atribuir a um complô o fato de seus principais líderes estarem presos ou denunciados. 
O resultado é um programa intervencionista, mas que é vendido por Haddad como um “diálogo com a modernidade da base para o topo”.
Vera Magalhães - Jornalista, radialista e comentarista de política brasileira

Ex-petista tatuou Bolsonaro na perna!

Carta de Lula mostra que curso de escrita para presos não faz milagres. Zero com louvor em redação

 

Uma carta manuscrita enviada por Lula ao parceiro Wagnão (Wagner Santana, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) informa que o Curso Intensivo de Leitura e Escrita para Presidiários Nota Zero produz efeitos admiráveis, mas não faz milagres.
Em pouco mais de 100 dias na cadeia, como garantem dirigentes do PT que o visitaram em Curitiba, Lula aprendeu a escrever e ler (além de rezar). Mas ainda escreve com o jeitão de quem sempre achou que leitura é pior que exercício em esteira. Como atestam as correções no original, reproduzidas abaixo, o autor do manuscrito cometeu pelo menos 13 crimes contra o idioma, alguns dos quais decididamente hediondos.
clique na imagem para ver em tamanho normal 
É possível que Lula esteja lendo com tamanha velocidade que não tem tempo para memorizar a grafia das palavras que só agora começou a usar. É possível que tenha resolvido torturar a língua portuguesa para não humilhar o amigo Wagnão. O certo é que o único analfabeto funcional do mundo que jura ter lido 20 livros em menos de um mês não teria, caso se inscrevesse no exame do Enem, a menor chance de escapar do zero com louvor na prova de redação.

Ciro fala em pôr Justiça na caixinha. A fala de Ciro "sardinha" Gomes é um desastre

Declaração foi dada em entrevista a uma TV do Maranhão. O pedetista se defendeu e disse ter sido mal interpretado.

Como tenente do Exército, “Doutor Bumbum” chegou a trabalhar no Palácio do Planalto

Dr. Bumbum trabalhou no Palácio do Planalto e em hospital militar

O médico Denis César Barros Furtado, o “Dr. Bumbum”, trabalhou no Palácio do Planalto durante o governo da ex-presidente petista Dilma Rousseff, em 2012. A passagem pelo Planalto foi rápida, cerca de três meses, mas neste período ele já costumava falar de sua especialidade e oferecer realização de procedimentos estéticos a quem foi atendido, criando queixas entre pacientes, conforme apurou o jornal O Estado de S. Paulo.
O Planalto confirma que Furtado trabalhou na Presidência da República, mas “não integrou o quadro” da Coordenação de Saúde. Durante o período que esteve servindo no local, ainda de acordo com informações obtidas pela reportagem, ele não teria atendido a ex-presidente Dilma ou seus parentes.
A assessoria não informou, no entanto, se chegou a ser instaurada alguma investigação para apurar o comportamento do médico. De acordo com dois servidores, a insistência do médico em falar sobre questões estéticas e principalmente em fazer exames mais detalhados nas pacientes causou estranheza.
Furtado foi preso na quinta-feira da semana passada, dia 19, juntamente com a mãe, Maria de Fátima Barros. Ele é investigado pela morte de uma de suas pacientes, a bancária Lilian Calixto, de 46 anos, após um procedimento estético de preenchimento dos glúteos, realizado em seu apartamento, no Rio.
O “Dr Bumbum” estava trabalhando como médico temporário no Exército, em Brasília, quando foi designado para prestar serviços na Coordenação de Saúde da Presidência da República. Na época, havia carência de médicos para atender os servidores e seus familiares e ele, apesar de ser temporário e não de carreira, foi reforçar o quadro.
Furtado foi designado para trabalhar no pronto-atendimento do serviço médico do Planalto. Ele acabou devolvido ao Exército, sem que houvesse prorrogação do seu prazo de permanência na Presidência.
Outro caso
Furtado trabalhou também no Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB). Por causa de queixas sobre seu comportamento, não teve o contrato prorrogado. Como temporário, ele poderia ter ficado no Exército por pelo menos mais três anos.
Segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, Furtado é “ex-militar temporário, ingressou no Exército em 23 de junho de 2008 e foi licenciado por término de prorrogação de tempo de serviço em 31 de agosto de 2013”. Ainda conforme o Exército “a partir daquela data, foram encerrados todos os vínculos com o Exército Brasileiro, passando para reserva não remunerada”.
Quando era do serviço ativo do Exército, o “Dr. Bumbum”, além do Hospital Militar, serviu no Hospital das Forças Armadas e no Posto Médico da Prefeitura Militar de Brasília.

A Família Real da Inglaterra está com Bolsonaro

Gleisi "amante" Hoffmann se beneficiou de dinheiro desviado de aposentados, diz PF

 
Apesar de terem sido recentemente inocentados pela Segunda Turma do STF das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo ainda são alvos de outra investigação envolvendo esquemas de corrupção.
Recentemente, a Polícia Federal concluiu que Gleisi se beneficiou de dinheiro desviado em contratos do Ministério do Planejamento no caso dos contratos envolvendo empréstimos de aposentados e servidores da ativa. O responsável pela pasta na época era seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo.
Em matéria publicada há poucos dias, a revista VEJA informou que "teve acesso ao relatório final do inquérito, que tramita sob segredo de justiça no Supremo Tribunal Federal. Segundo a PF, as condutas da senadora paranaense podem configurar corrupção passiva, lavagem de dinheiro e crime eleitoral. “Existem indicativos de que Gleisi Helena Hoffmann de alguma forma colaborou para ocultar ou a dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores oriundos do esquema criminoso Consist, pois foram identificados diversos registros de pagamentos feitos em benefício da senadora Gleisi Helena Hoffmann ou pessoas relacionadas a ela e/ou ao marido Paulo Bernardo entre os anos de 2010 e 2015”, conclui o a PF. A empresa Consist chegou a desviar cerca de 100 milhões de reais no Ministério do Planejamento.
Com base em planilhas apreendidas, depoimentos de testemunhas, acesso a dados bancários e mensagens eletrônicas, os policiais conseguiram rastrear todo o caminho de grande parte do dinheiro entregue a Gleisi, Paulo Bernardo e pessoas ligadas ao casal, que receberam recursos desviados no esquema de corrupção. Gleisi, o marido, seus assessores e o escritório do advogado Guilherme de Salles Gonçalves, que representava o casal, receberam 7 milhões de reais do Fundo Consist em cinco anos. “Tais pagamentos aparecem como tendo sido feitos regularmente pelo escritório de Guilherme Gonçalves, mas na realidade tratavam-se de valores de corrupção recebidos pelo escritório de Guilherme Gonçalves”, diz a PF". Informou a publicação. Leia a matéria completa no link abaixo: 
As informações são da Veja

#foraGLT ✰ Comentário de Liliane Ventura

Depois do ITA, o IME, AFA, Colégio Naval: FFAA confirmam que terão cota racial em concursos

Forças Armadas terão cota racial em concurso, a começar pelo ITA
Vestibular, que será aberto na próxima semana, já prevê 20% das vagas para negros; MPF obteve acordo

As Forças Armadas – Marinha, Exército e Força Aérea – firmaram acordo com o Ministério Público Federal (MPF) que determina a reserva de vagas em concursos públicos para cargos efetivos das Forças Armadas futuros e aos em andamento para candidatos negros. O acordo resulta de uma ação civil pública ajuizada pelo MPF.
Em abril, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade, reforçou o entendimento de que as vagas oferecidas nos concursos promovidos pelas Forças Armadas se sujeitam à política de cotas prevista na Lei 12.990/2014, que estabelece prioridade para negros e pardos no provimento de vagas na administração pública federal.
O acordo estabelece que os candidatos deverão se autodeclarar negros. Uma comissão utilizará exclusivamente o critério fenotípico para examinar a condição declarada pelo candidato. Não serão considerados registros ou documentos apresentados, como imagem, certidões referentes à confirmação em procedimentos realizados em outros processos seletivos e concursos públicos. O procedimento será filmado e a gravação será utilizada na análise de eventuais recursos interpostos pelos candidatos.
Em caso de descumprimento de quaisquer das obrigações pactuadas no acordo, haverá multa diária de R$ 20 mil para cada obrigação descumprida. O valor deverá ser revertido ao Fundo de Recuperação de Bens Lesados.
Como o Estado mostrou em janeiro, uma em cada três universidades federais do País já investigou a matrícula de estudantes por suspeita de terem fraudado o sistema de cotas raciais. Para minimizar casos assim, o governo do presidente Michel Temer decidiu reativar um grupo de trabalho, encabeçado pelo Ministério de Direitos Humanos e incluindo secretarias do Ministério da Educação e da Fundação Nacional do Índio (Funai), para dar base a comissões de aferição de autodeclaração da etnia dos estudantes em todas as federais.
ITA
Em nota, a Assessoria de Comunicação da Procuradoria da República no Distrito Federal informou que o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) adotará o sistema de cotas pela primeira vez já no processo seletivo para 2019. As inscrições começam daqui a uma semana (no dia 1.º) e vão até 15 de setembro. O ITA oferece cursos de Engenharia em seis modalidades: aeroespacial, aeronáutica, civil-aeronáutica, computação, eletrônica e mecânica. No ano passado, um total de 11.135 pessoas concorreram às vagas da instituição. Os concursos oferecidos pelo Colégio Naval, pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e pela Academia de Força Aérea também adotarão o sistema.

Marco Antônio CABRAL, filho de Sérgio "proximus" CABRAL, candidato no RJ

MPF pede informações ao Facebook por remoção de perfis da direita

 
O Ministério Público Federal em Goiás solicitou ao Facebook explicações sobre a decisão de remover 196 páginas e 87 perfis por violação das políticas de autenticidade da rede social. O Facebook recebeu prazo de 48 horas para apresentar a lista de todas as páginas e perfis removidos com justificativa para cada exclusão.
No ofício dirigido ao Facebook, o procurador da República Ailton Benedito de Souza, responsável pela iniciativa, ressalta que o Ministério Público pode propor ação civil pública e implicar responsabilidade em caso de “falta injustificada ou retardamento indevido” da solicitação.
O Facebook justificou, mais cedo, que as páginas removidas faziam parte de uma rede de contas falsas que tinham o objetivo de espalhar desinformação. Entre as páginas excluídas está a do Movimento Brasil Livre (MBL).
Em nota, o MBL criticou a exclusão e argumentou que a página não era falsa, pois continha informações que permitiam a identificação dos responsáveis.
Benedito investiga o Facebook desde setembro do ano passado alegando supostos atos de censura e bloqueio de usuários brasileiros que se manifestaram nas redes sociais para protestar contra a mostra Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, promovida pela Santander Cultural, durante os meses de julho a setembro de 2017, em Porto Alegre.
Em documento que instaura o chamado procedimento preparatório referente à investigação de 2017, o procurador diz que as normas que regulam a internet no Brasil atuam ‘‘sempre com vistas à liberdade de expressão, ao direito de acesso de todos à informação, ao conhecimento e à participação na vida cultural e na condução dos assuntos públicos; a impedir a censura bem como a discriminação dos usuários, por motivo de origem, raça, sexo, cor, idade, etc”.

26 de Julho - Dia da Recepcionista

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Veja como fiscalizar as urnas eletrônicas: VOCÊ FISCAL

 
Programa "VOCÊ FISCAL" pode ser antídoto para urnas eletrônicas

O app fará uma contagem paralela dos votos, mas precisa da sua ajuda. Assista ao vídeo do Professor DIEGO ARANHA e entenda como. Além disso, sabemos que existem diversas formas de se fraudar as urnas eletrônicas, talvez isto ocorra mesmo antes da impressão do B.U., dentro da maquininha mesmo. Porém, é nossa missão tentar de todas as formas garantir a transparência das votações já que o TSE não faz isso. Baixe o aplicativo ou acesse: www.vocefiscal.org  

Atualização

Mais uma resposta para o verme do Psol na internet

Qual a diferença entre: caixa da “birosca” e caixa de supermercado?

O governo atual é uma verdadeira Birosca. Espera-se que Bolsonaro venha a ser um supermercado

Bem! Na “Birosca” a gaveta é uma só, o dinheiro é todo misturado, não existe controle e o empregado poderá pegar uma ou mais notas de R$100,00 sem que o dono perceba, pois o patrão, trabalha com o apurado e ali, também, não existe controle de estoque.
Enquanto, que no Supermercado, são várias gavetas nas quais o dinheiro é, meticulosamente, separado e o controle é feito através da saída do produto de estoque. No fim do expediente, ao fechar o caixa, o empregado tem que prestar contas da falta ou sobra de até, um centavo ou mais. Em seguida, pronto para deixar o trabalho, passa por uma câmara de controle onde troca de roupa, e apanha seus bens.
Daí, comparando-se o Brasil gerido pelo PT e/ou seu vice do MDB, pode-se afirmar que o mesmo, é semelhante a gaveta da birosca. Pois, quanto maior for a bagunça e desorganização, mais fica fácil de roubar, ou seja, o cofre estará sempre aberto, a disposição da bandidagem.
Porém, comparando-se o Brasil que deverá ser gerido pelo PSL do ex-capitão do Exército, Jair Bolsonaro. Pelas suas propostas e colocações, podemos afirmar que se aproxima à semelhança de uma gaveta de supermercado. É por isso que a bandidagem não o quer, porque quanto maior a falta de disciplina e controle, mais fácil é de se tirar proveito, levar vantagem, roubar e, cinicamente, proferir a frase: “ele rouba mais faz! ”. No entanto, agora, parece que o Brasil quer ter alguém, que faça muito sem roubar e isso, com certeza, estar incomodando a performance do crime organizado.
Birosca: um pequeno comércio de bairro no qual o patrão e empregado se confundem.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...